Colunas

09/04/2017

A importância da emoção em campo

Como podemos melhorar o controle emocional dos atletas durante competições importantes?

Neste momento, as competições sul-americanas engrenam de vez com a participação de vários times brasileiros. Sabemos que sempre acontece um certo descontrole emocional, que pode levar até a uma desclassificação prematura pelo contexto de expulsões e perda de atletas durante as partidas.

Então, como se pode melhorar esse contexto com um adequado controle emocional dos atletas durante essas competições?! Isso traria algum valor para os times brasileiros?

As emoções têm um enorme impacto na saúde de qualquer pessoa e podem impactar positiva ou negativamente os atletas, uma ou mais pessoas, um time e um ambiente inteiro. Existe um exercício que visa trabalhar a forma como o atleta enfrenta suas emoções negativas no seu dia a dia que é denominada tomada de consciência. Com essa prática, estima-se reduzir os efeitos da emoção negativa durante suas práticas desportivas, inclusive nas partidas de futebol.

Na prática, faz-se uma reflexão/avaliação das suas emoções negativas do atleta que aconteceram ao longo do dia, como elas se manifestaram, em que circunstâncias aconteceram e as suas consequências. Assim sucessivamente nos dias seguintes esta reflexão/avaliação se repete e assim o atleta começa a perceber que as emoções negativas, alimentadas por ele mesmo, começam a diminuir e suas reações a estes eventos são mais adequadas a sua necessidade de desempenho profissional.

Cabe também, estarmos atentos nos contextos que podem ser fatores geradores de ansiedade e perda de controle emocional nos atletas, tais como:

  • Local do jogo;
  • Importância do jogo;
  • Nível de rendimento dos jogadores;
  • Placar do jogo;
  • Posição e tarefa tática do jogador;
  • Comportamento do árbitro;
  • Comportamento dos técnicos;
  • Quantidade e comportamento dos torcedores.

Para contribuir no controle dos comportamentos dos atletas, sugere-se que os clubes que apliquem algumas recomendações para o treinamento esportivo, tais como:

  • O treinador pode gerenciar a pressão do sucesso e do rendimento sobre seus atletas;
  • Os profissionais que lidam com o desenvolvimento do comportamento humano podem orientar os treinadores e atletas como utilizar técnicas de relaxamento e controle do estado emocional;
  • O treinador pode representar um modelo positivo tranquilo, seguro e controlado de comportamento;
  • O treinador pode procurar desenvolver boas relações interpessoais com seus atletas e criar um bom clima emocional no treino e na competição;

E aí amigo leitor, será que os clubes brasileiros estarão com as emoções controladas para o desejado sucesso nas competições internacionais?!

Até a próxima!

Comentários

Deixe uma resposta

Sobre a Universidade do Futebol

A Universidade do Futebol é uma instituição criada em 2003 que estuda, pesquisa, produz, divulga e propõe mudanças nas diferentes áreas e setores relacionados ao universo do futebol, enquanto atividade econômica e importante manifestação de nosso patrimônio cultural, nas dimensões socioeducativas e no alto rendimento, e que conquistou o reconhecimento e credibilidade da comunidade do futebol.

Posts Recentes

Cursos em Destaque

© 2016 Universidade do Futebol. Todos os direitos reservados.