Artigos

18/05/2017

A interpretação do jogo a partir dos tipos de superioridades

Antes de iniciar essa reflexão, permita-me me apresentar. Meu nome é Jonathan e atualmente trabalho como auxiliar técnico da equipe sub-20 do Clube Atlético Bragantino e como professor na FCBEscola São Paulo.

Sou graduando em Educação Física na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Iniciei minha trajetória como preparador físico do Sev – Hortolândia na categoria sub-15. Em seguida me transferi para o Clube Atlético Bragantino onde assumi o papel de auxiliar técnico no sub-15 e sub-17. Hoje me encontro na mesma função, mas agora na categoria sub-20. Também sou professor na FCBEscola São Paulo, escola oficial do FC Barcelona no Brasil, local de constante aprendizado não somente pelos profissionais competentes, mas também pelo fato de lidar com uma metodologia de treinamento encantadora e que justifica o histórico vencedor do FC Barcelona. Feito isso, vamos a reflexão!

Meu objetivo com essa reflexão é proporcionar um modo para a interpretação do jogo de futebol – dentre inúmeras formas de interpretá-lo – na perspectiva da superioridade. Tal modelo é essencial para desenvolver o Jogo Posicional, método de construção do jogo que serve como ferramenta e filosofia de muitos treinadores e clubes, respectivamente. Tendo como grande expoente o treinador Pep Guardiola e o FC Barcelona.

Antes de tudo é preciso frisar que no FC Barcelona não existe um modelo de jogo padronizado, mas sim estruturas de interpretação do jogo de futebol. Tais estruturas fazem parte do Jogo Posicional, sendo este também um modo de interpretação do jogo.

O princípio mais importante do Jogo Posicional é buscar em todos os momentos do jogo (momento com bola e sem a bola) a criação de vantagens sobre a equipe adversária a partir dos diferentes tipos de superioridades.

Mas quais são os tipos de superioridades?

Pois bem, existem três tipos de superioridades: numérica, posicional e qualitativa. Estas podem ser identificadas durante todos os momentos do jogo, porém vou me ater somente ao momento ofensivo nessa ocasião, apresento as vantagens defensivas em uma outra oportunidade.

 A superioridade numérica: visa incorporar mais jogadores num determinado espaço de jogo que o adversário. Com objetivo de garantir maior número de apoios e automaticamente mais linhas de passes ao portador da bola. Podemos identificar esse tipo de superioridade na Figura 1, onde os jogadores do FC Barcelona estão em maior número que o adversário (Real Madrid) e o portador da bola possui uma possibilidade maior de conectar passes com seus companheiros.

Imagem1

A superioridade posicional: os jogadores buscam ocupar os espaços livres entre as linhas de marcação (ou não) visando receber a bola sem oposição. É importante dizer que não basta somente  estar no espaço vazio para criar uma superioridade posicional, é preciso ter atenção a alguns detalhes, como: a perfilação do corpo do receptor da bola, a força e direção do passe do emissor. Na Figura 2, podemos observar o jogador do FC Bayern de Munique se posicionando entre as linhas de marcação da equipe do Borussia Dortmund. Atenção, para o corpo orientado ao ataque do jogador e a direção (em diagonal) do emissor da bola.

Imagem2

Vale apontar que não necessariamente o jogador precisar estar entrelinhas para criar uma superioridade poscional, existem outras formas de estabelecer essa vantagem. Uma delas se dá através de desmarques de ruptura, como mostra o video abaixo:

A superioridade qualitativa: objetiva criar situações de enfrentamentos ofensivos 1×1; 1×2; 1×3 em determinados espaços do campo de jogo em que a equipe consiga criar condições para que os jogadores mais habilidosos alcançem uma vantagem no confronto sobre o adversário. Na figura 3, o jogador Douglas Costa recebe a bola (certamente provinda de uma virada de jogo com um passe longo) em uma situação de 1×1 onde poderá levar vantagem com seu alto poder ofensivo. Lembrando que poderia ser uma situação de 1×2 ou 1×3, onde a vantagem ocorre dependendo da qualidade do jogador.

Imagem3

Existem muitos detalhes técnico/táticos que fazem tais princípios surgirem no jogo, mas a partir dos princípios das superioridades apresentados acima é possível interpretar o jogo de futebol (pelo menos em sua fase ofensiva) e gerar vantagens sobre a equipe adversária desde a perspectiva do jogo posicional. Além disso, é possível priorizar um determinado tipo de superioridade durante o treinamento. Tudo vai depender das características dos jogadores, qualidade técnica da sua equipe e a forma como o treinador pretende ver sua equipe jogar.

Sem dúvida, são inúmeras as formas de enxergar a lógica do jogo e nenhuma é mais certa ou errada que a outra. Estaremos sempre olhando o espetáculo com diferentes óculos e cada um apreciando e decifrando-o com a ótica que mais lhe agrada.

E você, leitor, como interpreta o jogo de futebol? Quais tipos de superioridade mais desenvolve em suas equipes?

Um forte abraço e até a próxima!

Para entender melhor o que é o jogo posicional. Sugiro a leitura do artigo proposto pelo treinador Leandro Zago, disponibilizado nesse endereço:
http://universidadedofutebol.com.br/wp-content/uploads/2016/02/Jogo-de-Posi%C3%A7%C3%B5es-e-o-Counter-Pressing_Leandro-Zago.pdf 

Comentários

  1. Carlos Felipe Santos disse:

    Todos os artigos onde queremos expor metodologias de trabalhos de equipes da Europa não podemos esquecer que a estrutura pré treino, treino e pós treino são determinantes para sua execução.

    Um dos grandes problemas na formação brasileira é a estrutura dos clubes e a falta de artigos que enfatizem a necessidade delas.

    Estudar livros e assistir vídeos sobre mapeamento tático, especificidade de jogo, funcionalidade atlética ou metodologia técnica é “bonito”, mas sem estrutura para executa las é “ilusão”.

    Artigos técnicos e táticos devem sempre conter a parte estruturar de execução, senão é apenas mais um bom artigo baseado em uma realidade “enganosa”, se tornam idéias ao vento.

    Grande abraço

  2. Bernardo disse:

    Concordo contigo, Carlos! Tem razão…uma boa tática num artigo deve ser realizada também no campo para que seja uma boa tática mesmo! Uma análise profunda é muito importante, bem como as últimas estatísticas que se encontram por exemplo nos diversos prognósticos no site http://www.sites-de-apostas.net/prognosticos-noticias no final da página… E Jonathan, você fez um bom trabalho! Eu gostei bastante do seu artigo e da interpretação

Deixe uma resposta