Colunas

15/06/2016

Conversando sobre “a lógica do jogo de futebol”…

Como que ela pode nos aproximar de jogar de uma maneira bem elaborada, para conquistarmos nossos objetivos

Olá amigos!

Após um pequeno tempo ausente, retorno aqui para mais uma discussão, em cima do seguinte questionamento: qual é a lógica do jogo de futebol? Bom, como sempre, vale lembrar que a ideia não é conceituar (até porque alguns autores já o fizeram em um espaço muito maior que este). A ideia é debater, provocar, refletir, pensar, conversar…

Buscando algumas referências na literatura, encontraremos autores dizendo que há uma lógica comum a todos os jogos desportivos coletivos. Outros dirão que o futebol tem uma lógica interna específica. Alguns defenderão que cada equipe tem (conscientemente ou não, bem estruturada ou não) sua própria lógica interna de jogo, e que uma equipe deve procurar fazer prevalecer sua própria lógica. Encontraremos muitas informações relacionadas também às maneiras de cumprimento da lógica do jogo de futebol a partir do conhecimento e utilização de suas regras, princípios e referências norteadoras. Recomendo a busca de autores franceses (Gréhaigne), portugueses (Garganta, Castelo) e brasileiros (Scaglia, Leitão, Freire, Daolio) para aprofundar os detalhes conceituais desta questão.

Conversando informalmente com algumas pessoas que transitam no meio futebolístico, fiz a pergunta tema desta coluna, solicitando uma resposta simples de um parágrafo (eu sei, o tema é complexo, mas o fiz de propósito). A ideia era que as respostas viessem de um sistema cognitivo de fácil acesso – responda aquilo que lhe vem na cabeça espontaneamente e de imediato. Foram interessantes respostas. Sem querer generalizar, encontrei algumas ideias similares (na minha interpretação, que fique claro), outras nem tanto. As respostas mais comuns foram “a lógica do jogo de futebol é fazer mais gols do que o adversário” ou “vencer o adversário”. Outros disseram que a lógica do jogo está relacionada com fazer o gol com o menor esforço possível, ou ainda, com o menor número de ações possíveis, ou chegar ao gol de maneira mais óbvia e efetiva. Também ouvi que a lógica do jogo está relacionada aos caminhos que levam ao cumprimento do objetivo do jogo (este sim seria fazer mais gols do que o adversário), e outra muito interessante também, onde a lógica do jogo está diretamente relacionada ao prazer em jogar. Este rápido levantamento não tem cunho científico, era apenas uma busca informal por padrões de respostas imediatas.

Mas para que discutir sobre a lógica do futebol? Seja a lógica interna ao jogo de futebol ou comum a todos os jogos, interna à equipe, relacionada aos meios de cumprir o objetivo do jogo, relacionada ao prazer em jogar, devemos conhecê-la no nosso ambiente para buscar o acesso ao bom jogo. Entre os vários motivos para isso, vou me atentar apenas a dois aqui neste espaço. O primeiro deles é, a partir do conhecimento da lógica do jogo, ter um norte para modulação do treino. Cada sessão de treino, cada detalhe, cada atividade, deve ter como norte a melhora no cumprimento da lógica do jogo, seja ela qual for. Por exemplo, se para efetuar a lógica do jogo devemos fazer mais gols que o adversário, é pertinente sabermos, entre outras várias coisas, como acontece a maioria dos gols no jogo de futebol – regiões de finalizações, melhores regiões e momentos para recuperação da posse, estruturação de espaço para aumentar as chances de fazer o gol, entre outros – e assim estimularmos isso no dia a dia. Outro motivo para conhecermos a lógica do jogo é termos uma diretriz para avaliação do trabalho, e as ferramentas que serão utilizadas para mensurar a performance da equipe.

Conhecer a lógica do jogo e preparar-se adequadamente para seu cumprimento não garante a vitória, infelizmente, por conta de um pequeno detalhe: a imprevisibilidade. Mas sem dúvida, nos aproxima de jogar de maneira bem elaborada e estar mais perto da conquista dos nossos objetivos. A ideia não é simplesmente definirmos a lógica do jogo, até porque simples ela não parece ser. A ideia é pensar, discutir, questionar.

Proponho o seguinte exercício para finalizar. Como sua equipe (que você treina, que você torce) ou a equipe adversária, ou ainda, alguma equipe qualquer de alto nível busca cumprir a lógica do jogo? Que elementos você consegue reconhecer e relacionar com o cumprimento da lógica? Aguardo sua resposta. Escreva para rafael@universidadedofutebol.com.br e vamos debater!

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários

  1. José Roberto F. Pitta disse:

    Acredito que são: conhecimento de táticas, treinamento contínuo, infraestrutura adequada ( preparo físico, nutrição, pesquisa, etc ), espírito coletivo ( conceito de time, grupo, lideranças, etc ).

    • Gostei do “espírito coletivo”. Porém como e/ou o que você me indicaria para “trabalhar” esse quisito?

      • José Roberto F. Pitta disse:

        Sendo justo (meritocracia), bastante transparente nas decisões e dando responsabilidades bem definidas em termos do grupo ( mais experientes com responsabilidade de “acolher” os menos experientes, os mais bem dotados fisicamente assumindo funções mais “pesada”, etc), encontrando os líderes naturais dentro do grupo, etc.

  2. Godofredo Ramão Yarzon disse:

    Acredito que na formação pisco-social adequada, aliada a formação moral e a formação do atleta com bases em fundamentos são necessários para ter um jogador preparado para ser atleta profissional. infelizmente esta formação se perdeu devido ao grande interesse financeiro dos empresários. E pulou várias etapas buscando um breve retorno do dinheiro investido em um determinado atleta.

  3. Godofredo Ramão Yarzon disse:

    Logica do jogo de futebol é vc ganhar o jogo e, ganha-se um jogo fazendo gols. Logo uma equipe bem treinada bem encaixada, bem entrosada e armada taticamente, tem grande possibilidade de fazer parte da logica do futebol. A vitória…

    • Seu comentário é muito bom, Godofredo. A motivação central para a prática do futebol deveria ser a da vocação e gosto constante por jogar bola. O interesse financeiro do empresário, e antes disso, do próprio jogador, e antes disso da família do jogador, cria uma zona cinzenta em torno do processo de aparecimento de atletas de qualidade inequívoca e constante, sufocando possíveis aparecimentos mais espontâneos de bons e ótimos jogadores. Os clubes estão abarrotados de jogadores, sem gosto constante por jogar bola e sem vocação.

    • Se a lógica do futebol fosse apenas fazer mais gols que o adversário, bastaria uma meta e cobranças de pênaltis. Devemos pensar o futebol também no contexto geográfico e dos equipamentos previstos para sua realização. O campo (território, que é dimensionado e demarcado) é dividido em duas partes iguais. Ao fundo, cada parte do território tem uma meta (o próprio nome nos orienta sobre a sua funcionalidade: meta a ser atingida ou defendida). As regras impõem o comportamento durante o jogo. A bola é objeto principal de desejo a ser pelejada no jogo. Numa partida de futebol, a lógica deve ser invadir o território contrário, buscando posicionamentos estratégicos dos jogadores e conduzindo a bola de modo participativo ou individual, com os cuidados e habilidades de superar a resistência do adversário, até fazê-la ultrapassar, por dentro, a meta do adversário. A lógica do futebol passa pelo conceito de uma sucessão de conquistas e defesas de território, tendo a bola como objeto comum a ser conduzido sem uso das mãos e braços, com um objetivo final de marcar gols…

Deixe uma resposta

Sobre a Universidade do Futebol

A Universidade do Futebol é uma instituição criada em 2003 que estuda, pesquisa, produz, divulga e propõe mudanças nas diferentes áreas e setores relacionados ao universo do futebol, enquanto atividade econômica e importante manifestação de nosso patrimônio cultural, nas dimensões socioeducativas e no alto rendimento, e que conquistou o reconhecimento e credibilidade da comunidade do futebol.

Posts Recentes

Cursos em Destaque

© 2016 Universidade do Futebol. Todos os direitos reservados.