Artigos

31/01/2017

Efeito da idade relativa em jogadores sub-elite e elite no Brasil

A detecção de talentos e formação de jogadores visando negociação é hoje um importante caminho de arrecadação de lucros e é alvo de interesse crescente por parte de vários clubes de diferentes divisões. Cada vez mais vê-se os clubes numa busca desenfreada por conseguir identificar jovens jogadores talentosos em idade cada vez mais precoce[1].

Um dos acontecimentos mais comuns atualmente no futebol Sul-Americano é a venda de jovens jogadores para o mercado Europeu. Muitos nem chegam a jogarem profissionalmente em seus respectivos países de origem. Um exemplo atual sobre isso é do argentino Lionel Messi (melhor jogador do Mundo em 2009 e 2010 escolhido pela FIFA) que aos 13 anos vestia a camisa do Barcelona da Espanha e que nunca atuou em uma equipe da Argentina.

Com o sucesso de Messi e de tantos outros jogadores jovens, cada vez mais, os clubes passam a voltar seus olhos para as categorias de base investindo na detecção de talentos, e de forma secundária nos centros de treinamentos. A ideia de preparar um jogador para a equipe principal, já não é mais o objetivo principal dos clubes, e sim formar jogadores para negociar, mesmo que eles ainda sejam muito jovens[2].

O que comprova isso é o fato de várias equipes trabalharem nas categorias menores com um modelo de jogador voltado para o futebol europeu, e não para a estrutura tática utilizada pelo treinador da equipe principal. Um tradicional clube holandês proporciona a todos os seus jovens jogadores o sonho de um dia mais tarde serem jogadores profissionais de futebol com chances ampliadas de ser no próprio clube. A sua filosofia de formação é encarada por todos os intervenientes como uma forma de vida, de crescer e de todos se desenvolverem tanto a nível pessoal como profissional. O seu modelo de jogo é igual para todas as equipes. Todos os seus treinadores têm que estar preparados para trocar os seus próprios métodos por algo previamente definido e estabelecido para todas as categorias de formação[3].

Para ler o artigo na íntegra, basta clicar aqui.

Comentários

Deixe uma resposta

Sobre a Universidade do Futebol

A Universidade do Futebol é uma instituição criada em 2003 que estuda, pesquisa, produz, divulga e propõe mudanças nas diferentes áreas e setores relacionados ao universo do futebol, enquanto atividade econômica e importante manifestação de nosso patrimônio cultural, nas dimensões socioeducativas e no alto rendimento, e que conquistou o reconhecimento e credibilidade da comunidade do futebol.

Posts Recentes

Cursos em Destaque

© 2016 Universidade do Futebol. Todos os direitos reservados.