Modelos de patrocínio esportivo no futebol

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O marketing nos clubes de futebol do país começou a ser visto com mais atenção pelos dirigentes a partir dos anos 80, época em que começaram a surgir as primeiras marcas de empresas ou produtos nas camisas das equipes, depois da Fifa ter liberado os clubes a adotarem essas ações como meio para melhorar as receitas.

Atualmente, as formas de patrocínio no futebol, principalmente no exterior, não estão mais restritas às camisas de futebol, até porque novas ações e propriedades de marketing foram descobertas.

Os tipos mais comuns de patrocínio são os seguintes:

Patrocinador exclusivo – nesta categoria a empresa adquire o direito exclusivo de utilizar e associar o logotipo, nome e símbolos do evento (ou equipe, atleta, por exemplo) à sua marca.

Naming Rights – são os direitos que a empresa adquire para associar sua marca a um evento ou local, como ocorre nos casos das arenas multiuso dos Estados Unidos e, mais recentemente, nos estádios europeus.

Patrocinador oficial – a empresa convive com outras organizações que também se enquadram nesta categoria, mas nenhuma delas concorre comercialmente entre si.

Fornecedor oficial (official supplier) – nesta categoria enquadram-se as empresas que, de alguma forma, possuem produtos ou serviços essenciais ao evento (ou clube). Como retorno, ganham o direito de ser chamados de fornecedores oficiais. Em alguns casos, também pode ser chamado de Apoiador, quando seus bens ou serviços não tiverem uma ligação com as necessidades diretas do evento ou da equipe.

Bibliografia

CARDIA, Wesley. Marketing e Patrocínio Esportivo. Editora Bookman, 2004.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Mais conteúdo valioso