Categorias
Conteúdo Udof>UdoF na Mídia

Universidade do Futebol e ESPN lançam Ranking dos Treinadores do futebol brasileiro

A Universidade do Futebol e a ESPN lançam o Ranking dos Treinadores Universidade do Futebol/ESPN, que procura avaliar os comandantes de todos os times que disputam o campeonato nacional por meio de critérios objetivos de desempenho. A novidade estreia no Bate Bola Bom Dia, na ESPN Brasil, nessa terça-feira, dia 05 de Julho e será discutida após as rodadas do meio e final de semana do Campeonato Brasileiro.
Para desenvolver o Ranking dos Treinadores, a Universidade do Futebol trabalha no projeto há mais de três anos, analisando os profissionais desde o Campeonato Brasileiro de 2013. “O Ranking dos Treinadores é uma contribuição efetiva para o desenvolvimento do nosso futebol, na medida em que representa um esforço isento para avaliar o principal profissional capaz de influenciar na qualidade do jogo que se pratica hoje no Brasil. Afinal, o treinador é o grande responsável pelos treinamentos, pela gestão eficaz do seu grupo, quem define o modelo de jogo de sua equipe e, sobretudo, o líder que procura evitar que fatores externos e internos influenciem negativamente no resultado do jogo”, destaca João Paulo Medina, fundador da Universidade do Futebol.
“A parceria com a Universidade do Futebol é mais uma inovação dos canais ESPN para oferecer o melhor conteúdo ao fã do esporte. Nossa equipe de comentaristas passa a contar com uma importante ferramenta para análise dos treinadores, embasando suas opiniões com números trazidos pelo ranking e fornecendo mais um elemento para as discussões dos apaixonados por futebol”, ressalta João Palomino, Vice-Presidente de Jornalismo e Produção da ESPN no Brasil.
Entenda como funciona o ranking http://espn.com.br/rankingdostreinadores e acompanhe a performance dos profissionais através de infográficos e análises especiais que serão desenvolvidas ao longo do campeonato.
 
CmjxwO5WgAAqGUo.jpg-large
Sobre a ESPN
A ESPN chegou ao país em 1989 e foi o primeiro canal de esportes da TV paga brasileira. Em 1995 a empresa criou o canal ESPN Brasil. Em abril de 2009, lançou o ESPN HD, em alta definição, que a partir de julho de 2012 passou a se chamar ESPN+, com uma programação diferenciada. As atividades da ESPN Internacional incluem televisão, rádio, impresso, internet, banda larga, internet sem fio, produtos de consumo, e gestão de eventos.
A empresa mantêm escritórios e/ou instalações de produção em locais-chave de todo o mundo incluindo Bangalore, Bristol (EUA), Buenos Aires, Cidade do México, Hong Kong, Londres, Miami, Melbourne, Mumbai, New York, Rio de Janeiro, São Paulo, Sidney e Toronto.  Desde 1983, ESPN (originalmente fundada em Bristol, Connecticut, em 1979) tem crescido ao redor do mundo, se estabelecendo como a marca líder mundial em esportes. A filosofia da empresa de crescimento global é a de sempre servir aos fãs do esporte e ser relevante localmente, com conteúdos e produtos que preencham sua grande paixão e dedicação.

Categorias
Conteúdo Udof>Colunas

O Atlético não tem BI: mito ou verdade

Após o título do Atlético-MG na Libertadores, a torcida do Cruzeiro rebateu as piadas e “memes” dos atleticanos dizendo que o rival não tem bicampeonato.
O time mineiro não conquistou novamente a principal competição nacional, após o título do campeonato brasileiro de 1971.
Igualmente, a Libertadores de 2013 e a Copa do Brasil de 2014, foram os primeiros títulos do alvinegro mineiro nessas competições.
Naturalmente, a premissa inicial é de que não se consideram os títulos mineiros para essa contagem, em virtude da larguíssima vantagem de Atlético e Cruzeiro em relação aos demais clubes mineiros.
Em 1937, o Atlético conquistou um título importantíssimo que é extremamente menosprezado pela imprensa, pela CBF e pelo próprio clube mineiro, a Copa dos Campeões.
Organizado pela Federação Brasileira de Futebol, a Copa dos Campeões de 1937, foi a primeira competição nacional profissional do Brasil e reuniu campeões estaduais e era a maior competição nacional da época. Tanto que o Jornal Estado de Minas proclamou o Atlético campeão brasileiro.
Vale dizer que a primeira competição nacional reconhecida pela CBF é a Taça Brasil de 1969 que, desde 2010 junto com o ‘Robertão”, alçou seus vencedores à categoria de campeões brasileiros.
Apesar de ter sido a única competição nacional de época e de sua importância, o título de 1937 não foi sequer levado à CBF para reconhecimento. Entretanto não seria exagero considerar o Atlético campeão brasileiro deste mesmo ano.
Em 1992, a Confederação SulAmericana de Futebol, inspirada na Copa da UEFA, criou a Copa Conmebol que reunia os melhores clubes, não classificados para a Libertadores, dos campeonatos de seus países.
No caso do Brasil, do 2º ao 4º lugar no Campeonato Brasileiro e, o vice campeão da Copa do Brasil. As colocações do Brasileirão, que classificavam à Copa Conmebol, são as mesmas que atualmente classificam para a Libertadores.
Assim, especialmente, entre os anos de 1992 e 1997 quando foi criada a Copa Mercosul, a competição possuía nível técnico altíssimo com finais envolvendo clubes tradicionais da América do Sul como Olímpia, Peñarol, Lanús e Rosário Central, além dos brasileiros São Paulo, Santos, Botafogo e o próprio Atlético, que conquistou os títulos durante esses anos.
Além do bicampeonato extraoficial em competições nacionais e do bicampeonato oficial da Copa Conmebol, é importantíssimo destacar o tricampeonato brasileiro do futsal do Atlético (1985/1997 e 1999) que, especialmente nos títulos dos anos 90, encantou o Brasil com uma equipe repleta de craques como Manoel Tobias e Falcão (dois dos maiores de todos os tempos na modalidade).
Portanto, dizer que o Atlético não tem bi é MITO.