Aline Pellegrino fala sobre os desafios históricos do futebol feminino

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Diretora da Federação Paulista de Futebol faz um relato sobre a trajetória das mulheres na gestão do futebol

Aline Pellegrino, diretora da Federação Paulista de Futebol (FPF), abriu caminho para os sonhos de muitas garotas nos campos de futebol. Agora, ela dribla as dificuldades na gestão. A liderança mais respeitada no futebol feminino brasileiro é formada em Educação Física, medalhista de prata pela seleção (2004), e tem experiência como técnica e supervisora de times femininos e masculinos.

Segundo a ex-atleta, em reuniões com outros gestores de clubes, ela ainda precisa de impor. “Eu começo trazendo minha história, falando que foram sete anos como capitã, nove na Seleção Brasileira, Copa do Mundo, campeã de duas Libertadores, Copa do Brasil… então, com esse currículo, se eu fosse homem, eu não precisaria me apresentar”, diz.

Pellegrino também falou sobre racismo em campo e fora dele. “Eu costumo dizer que infelizmente o futebol é uma das áreas mais hipócritas que temos no Brasil”, diz. Segundo ela, muitas vezes os clubes e as instituições calam seus atletas. “O que aconteceu com o Aranha (em 2017), por exemplo. O Clube tenta tirar ele da linha de frente, quando na verdade deveria estar do lado dele e comprar a briga”, defende.

Veja como foi a participação da Pellê no Fut Talks:

+ posts

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no pinterest

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

Mais conteúdo valioso