Artigos

13/07/2017

A importância da inserção do treinamento situacional para o goleiro

O treinamento de goleiros tem apresentado evolução constante, principalmente no Brasil. O país, que não possui tradição na área, vem apresentando tais melhorias nos goleiros e seus treinadores que tem exportado esses profissionais com maior frequência nos últimos anos – Europa e Ásia são destinos difundidos.

O treinador ou preparador de goleiros, como são chamados, tem a missão de deixá-los em forma nos quesitos físico, técnico, tático e psicológico, já que são poucos os clubes que possuem um psicólogo do esporte. Contudo, esse profissional se faz relevante, uma vez que a Psicologia do Esporte vem demostrando que as principais diferenças entre os atletas não mais se encontram nos âmbitos fisico, técnico e/ou tático, mas sim na sua capacidade de enfrentamento de situações específicas e muitas vezes estressantes geradas durante as competições (BARA FILHO et al., 2005). Essa asserção nos faz pensar ser necessário gerar um estresse semelhante em algumas sessões de treinamento semanal, com o intuito de melhor preparar o goleiro. Porém, para realizá-lo, o preparador deve necessariamente se aprofundar em todas as áreas envolvidas no treino.

Antigamente o posto de treinador de goleiros era ocupado quase que exclusivamente por ex- atletas, que viam na carreira uma alternativa à aposentadoria total no esporte mesmo que sem experiência. Já o mercado de trabalho atual tem se mostrado mais aberto a novos profissionais no ramo, incluindo acadêmicos, ex-atletas formados e os demais que continuam em busca de conhecimento e evolução profissional. Vale ressaltar que um dos debates mais acalorados no meio do treinamento de goleiros se refere à suposta oposição entre acadêmicos e ex-atletas, mas tal discussão não vem ao caso no presente momento.

No que diz respeito à evolução da rotina dos treinamentos de goleiros, os trabalhos que hoje observamos e que contam com mais fundamentação teórica e prática em muito contrastam com o método anterior em que se tinha uma reaplicação de treinamentos antigos e por vezes até monótonos. Alguns pontos devem ser considerados quando se avalia um treinamento dessa ordem: qual o melhor momento para se utilizar esse treinamento? Qual a importância desse treinamento dentro da programação geral? Este treinamento condiz com a faixa etária de trabalho? Caso as respostas sejam negativas, cabe ao treinador buscar alternativas para recriar esses exercícios e não somente reaplicá-los.

Outro questionamento válido consiste na união do treinamento situacional com o analítico específico para goleiros em uma mesma sessão de treinamento. Essa unificação dos treinamentos é bem-vinda, pois pode gerar uma melhora tanto na tomada de decisão e velocidade de execução do movimento técnico específico do goleiro, quanto na concentração do atleta, que não tem nenhuma ação pré-estabelecida.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

* Bacharelado e licenciatura em Educação Física pela Universidade Salgado de Oliveira – Belo Horizonte. Goleiro profissional de 2005 a 2012 no Brasil e em Portugal. Sócio-proprietário na escola LF Academia de Goleiros – Belo Horizonte desde 2013. Atualmente é treinador de goleiros do Cruzeiro Academy na Tailândia.

Comentários

Deixe uma resposta

Sobre a Universidade do Futebol

A Universidade do Futebol é uma instituição criada em 2003 que estuda, pesquisa, produz, divulga e propõe mudanças nas diferentes áreas e setores relacionados ao universo do futebol, enquanto atividade econômica e importante manifestação de nosso patrimônio cultural, nas dimensões socioeducativas e no alto rendimento, e que conquistou o reconhecimento e credibilidade da comunidade do futebol.

Posts Recentes

Cursos em Destaque

© 2016 Universidade do Futebol. Todos os direitos reservados.