Universidade do Futebol

Artigos

09/08/2014

A Mentalidade Vencedora

Introdução

A grande maioria dos treinadores, lembrando-se de algum jovem atleta, já disse ou pensou: “ele tinha tudo para dar certo”. Mas ele não deu certo. Aquele garoto promissor, de qualidade técnica superior aos demais da equipe, nunca se desenvolveu para se tornar o que era esperado dele.

Outro caso típico é daquele que chegou à equipe se destacando, depois de algumas partidas perdeu o brilho e não voltou mais a fazer a diferença. E os treinadores, dirigentes e torcedores, durante muito tempo, se perguntam porque ele não deu certo.

Em geral, a resposta é que o jogador não tinha tudo. Ele não tinha a mentalidade certa para se desenvolver ou para encarar as adversidades.

No artigo mais interessante sobre psicologia que já li até hoje – publicado pela doutora Carol S. Dweck para o “Soccer Journal” (2011) nos Estados Unidos –, a autora explica os dois tipos de mentalidade que encontrou, baseada em suas diversas pesquisas: a mentalidade fixa e a mentalidade de crescimento.

As pessoas com mentalidade fixa acreditam possuir uma certa quantidade de talento. Elas não acreditam que essa “quantidade de talento” possa variar. Isso afeta como elas encaram o treinamento e como lidam com fracassos. Para pessoas com essa mentalidade, se esforçar muito para se desenvolver diversas vezes significa dizer a si mesmo que o próprio talento não é suficiente.

Já as pessoas com mentalidade de crescimento acreditam que o talento possa ser desenvolvido; por isso, quanto mais se esforçarem mais desenvolverão as próprias habilidades. Essas pessoas (incluindo atletas e treinadores) possuem muito mais probabilidade de sucesso, pois estarão sempre trabalhando para se desenvolver e conseguirão lidar de forma mais efetiva com os momentos de fracasso.

Neste primeiro artigo, explicarei melhor cada uma das duas mentalidades e suas consequências no desenvolvimento de cada atleta.

No segundo artigo, explicarei como desenvolver a mentalidade que proporcionará ao atleta as maiores chances de desenvolvimento: a mentalidade de crescimento.

No terceiro artigo, mostrarei as consequências práticas da mentalidade de crescimento no dia a dia de um jogador de futebol.

E, no quarto e último artigo desta série, proporei um modelo para treinadores de como criar um ambiente de desenvolvimento que permita aos atletas atingirem todo seu potencial.

Parte 1: Ele tinha tudo para dar certo, mas não aconteceu.
Explicando como a mentalidade fixa ou a de crescimento pode ser o fator decisivo para o sucesso ou fracasso de um jogador.

Diversos fatores podem contribuir para o sucesso ou fracasso de um atleta, incluindo problemas físicos e graves lesões. No entanto, frequentemente, um dos fatores mais decisivos no sucesso de um atleta não é uma causa que pode ser fisicamente identificada, como uma lesão que não permite recuperação. A resposta mais comum é a mentalidade do jogador. Se o jogador não tiver a mentalidade certa, não desenvolverá todo seu potencial e terá maiores dificuldades em superar momentos de adversidade.

Pouco tempo após ler o artigo da Dra. Dewck, resolvi pesquisar sobre esta e comprar seu livro “Mindset” (DWECK, 2006) para compreender melhor cada tipo de mentalidade, quais as consequências de cada uma delas e descobrir se seria possível modificar a mentalidade de um atleta para oferecer a ele uma oportunidade de atingir todo seu potencial.

Lendo o livro e aplicando as ideias ao meu dia a dia de treinamento, comecei a refletir sobre o sucesso e fracasso de um grande número de atletas com os quais joguei ou que treinei. Em todos os casos, os conceitos teóricos do livro se aplicavam perfeitamente às atitudes práticas do dia a dia destes atletas. Incluindo as escolhas que fiz, relacionadas a minha própria carreira. O conhecimento e a reflexão sobre tais ideias poderia ter modificado para melhor muitas carreiras.

Vamos inicialmente sintetizar cada uma das mentalidades e suas consequências:

A mentalidade fixa (the fixed mindset):
A mentalidade fixa é aquela na qual as pessoas nascem com uma certa quantidade de capacidades que não podem ser modificadas.

Essa mentalidade coloca a genética como o fator decisivo na capacidade de se realizar uma tarefa, de se praticar um esporte. A pessoa, ao se defrontar com o sucesso ou fracasso em cada atividade, acredita ser inteligente ou incapaz, ter ou não um dom.

No caso do futebol, a associação mais fácil é a dessa carga genética com o “talento”. Um atleta acredita ser “bom” ou não o ser suficiente para jogar em um certo nível. Ou seja, se um jogador tiver talento suficiente, terá sucesso em determinada equipe, caso contrário, seu esforço em se desenvolver não será relevante para modificar o resultado.

De acordo com essa mentalidade, os resultados serão uma das grandes formas de se avaliar até onde o próprio talento pode levar o atleta.

Assim sendo, o problema é que essas pessoas se tornam tão preocupadas em sempre parecer talentosas, para validar a quantidade de talento que acreditam ter, que acabam por não desenvolver plenamente as próprias habilidades.

A mentalidade de crescimento (the growth mindset):
A mentalidade de crescimento é aquela na qual as habilidades podem ser desenvolvidas.

De acordo com essa mentalidade, o esforço e a dedicação próprios poderão consistentemente levar uma pessoa a melhorar o próprio rendimento. A pessoa acredita que resultados negativos poderão ser modificados como consequência de esforço e treinamento. A preocupação em parecer inteligente, capaz ou talentoso é muito menor do que na mentalidade fixa e a autoestima não se abala facilmente com derrotas. Os fatores genéticos ficam em um segundo plano e não irão necessariamente decidir os resultados de uma competição ou o sucesso em uma tarefa; principalmente, quando os objetivos a serem alcançados podem ser a longo prazo.

Não necessariamente uma pessoa tem a mesma mentalidade (mindset) em todas as áreas. Ou seja, uma pessoa pode ter uma mentalidade fixa relativa a própria capacidade de desenhar, mas uma mentalidade de crescimento para matemática. Cada pessoa pode também variar em qual medida acredita que poderá se desenvolver através do treinamento. Uma pessoa com uma pura mentalidade de crescimento dificilmente encontra um limite para o próprio desenvolvimento. Mesmo após muito treino, sempre existirão outras formas de continuar a se desenvolver.

A grande maioria das pessoas – professores, cientistas e a própria autora da pesquisa sobre os mindsets –, acredita que o potencial de uma pessoa é uma mistura entre genética e experiências de vida (incluindo treinamento). Os resultados das pesquisas não indicam que qualquer pessoa pode simplesmente escolher uma área e atingir o topo do mundo em termos de performance nela. Entretanto, as pesquisas indicam que é impossível saber o limite ao qual qualquer pessoa chegará após anos de esforço e dedicação para atingir um determinado objetivo.

Enquanto não se pode prever a longo prazo quais serão os limites de uma pessoa com mentalidade de crescimento, uma série de consequências imediatas podem ser individualizadas como consequência de um mindset.

A seguir, listaremos as consequências de cada mindset em duas importantes áreas que podem ser facilmente relacionadas a um jogador de futebol.

As consequências da mentalidade na forma como se lida com os fracassos

A primeira grande consequência de cada mentalidade é a forma como se lida com os fracassos. De acordo com a mentalidade fixa, as habilidades não podem ser modificadas. Consequentemente, uma derrota (ou a falha em uma atividade) é muito dura para a autoestima, já que a pessoa não acredita que poderá fazer muito para modificar o resultado em uma situação similar. A pessoa poderá ter pensamentos como: “eu sou um fracassado”, “eu sou idiota”, “eu sou um perdedor”, “as outras pessoas são melhores do que eu”.

Ninguém gosta de falhar em um exame, não ser escolhido para um trabalho ou perder uma partida. Mas, uma pessoa com a mentalidade de desenvolvimento procurará individualizar as razões para a falta de sucesso e trabalhar para melhorar e estar preparada para uma situação similar no futuro. A pessoa terá pensamentos como: “eu preciso me esforçar mais”, “preciso encontrar outras formas de estudar/treinar”.

As consequências da mentalidade na escolha de novos desafios

Após um fracasso, uma pessoa com a mentalidade fixa pensará: “por que me expor novamente e deixar as pessoas me julgarem? por que colocar tanto esforço e dedicação e como consequência me sentir tão mal? melhor evitar passar por uma situação semelhante”.

Por outro lado, uma pessoa com a mentalidade de crescimento, após um fracasso, em certas situações, pode chegar até mesmo a sentir uma sensação positiva após o fracasso, encarando a situação não como derrota, mas como oportunidade de desenvolvimento.

Como escrito anteriormente, na segunda parte deste artigo discutiremos o que se pode fazer para modificar a mentalidade de uma pessoa.

Na terceira parte, ilustrarei as consequências de cada mentalidade no contexto específico do futebol.

Na quarta e última parte, proporei um modelo para criar um ambiente de desenvolvimento.

Referências bibliográficas

Developing Talent Through a Growth Mindset. Soccer Journal, Delaware, OH, setembro-outubro, v. 56, n. 5, 2011.

DWECK, Carol S. (Ph.D). Mindset, The New Psychology of Success. New York, NY: Random House, 2006. 

Comentários

Deixe uma resposta