Universidade do Futebol

Gustavo D’Avila

13/11/2014

A música como recurso para performance e o controle emocional

Muitos atletas que buscam alta performance podem se utilizar de um recurso presente em todas as culturas do mundo: a música! Isso mesmo, a música!

Quantos de nós já não dissemos que não vivemos sem música ou que a música alegra nossa vida. E aquele ditado, “quem canta os males espanta”? Quem já não ouviu falar?

Pois bem, a música tem o poder de acalmar, estimular a memória, aliviar as dores e ajudar no exercício físico. Escutar uma determinada música pode trazer muitos benefícios para a saúde, corpo e mente dos atletas. E tem mais, sabiam que ela tem sido usada, inclusive, por médicos e terapeutas como tratamento?

Atualmente, tem sido abordada a capacidade de cura da música, funcionando como um verdadeiro remédio para vários problemas da vida cotidiana como apontam a pediatra Ana Escobar e a musicoterapeuta Marly Chagas.

A razão da tudo isso acontecer é devido a música ativar o centro de prazer do cérebro, assim como fazer sexo e ou comer um chocolate, por exemplo. Ela promove a liberação de dopamina e causa uma sensação de bem-estar.

Ainda conforme estes profissionais, os benefícios mais comuns da música para a saúde estão:

• Induz o ser humano ao movimento
• Melhora a comunicação, contribuindo para uma melhor organização das ideias
• Cria vínculos emocionais
• Ameniza a dor, pois contribui para a mudança de foco e distrai quanto a dor ou ao problema que se estabeleceu
• Acalma, ajudando a combater o estresse
• Fortalece a memória, criando novos caminhos no cérebro
• Promove o autoconhecimento, estimulando a imaginação das pessoas e com isso a descoberta de sensações e sentimentos

Para termos um exemplo relacionado entre a realização de exercícios físicos e a música, Costas Karageorghis, consultor de psicologia do esporte da Universidade de Brunel, na Inglaterra, aponta os efeitos da música quando se está praticando atividade física. Ela pode influenciar o humor, elevando potencialmente os seus aspectos positivos, como a energia, entusiasmo e felicidade, e reduzindo a depressão, tensão, fadiga, raiva e confusão. Além disso, a música pode ser usada para definir o ritmo do indivíduo, como ele cita no caso do etíope Haile Gebrselassie, que conquistou o ouro nos 10 mil metros dos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000. O último efeito, segundo Karageorghis, é o de que a musicalidade pode superar o cansaço e controlar a emoção durante uma competição.

Pelo comentado acima, já estamos mais do no momento de usar e abusar da música de maneira intencional e planejada para melhorar o desempenho geral de nossos atletas e um bom Coach Esportivo deve estar muito atento a utilização deste grande aliado ao alto rendimento na prática esportiva.

Até a próxima! 

Comentários

Deixe uma resposta