Universidade do Futebol

Artigos

13/03/2008

A natureza holística da cinesiologia

A cinesiologia é uma disciplina que se concentra na atividade física, suas bases teóricas, o conhecimento obtido por meio de experiência no meio e a prática profissional. Com um campo tão abrangente, é impossível pensar que ela se limite a acompanhar o desempenho motor dos atletas. Sua abordagem precisa orientada de forma holística, condizente com a complexidade das inter-relações entre corpo, mente e espírito dos esportistas.

Embora seja muito comum para algumas pessoas entender a cinesiologia como uma ciência que estuda unicamente o movimento corporal, o objeto de estudo dela é extremamente mais amplo. Por ser focada na atividade física, a disciplina se interessa por tudo que pode causar diferenças no desempenho dos atletas. E essas razões podem ser provenientes de diferentes esferas ou da relação entre elas.

Portanto, o estudo da cinesiologia deve ser feito muito além dos aspectos biológicos da atividade física. Isso inclui uma análise dos antecedentes psicológicos e das conseqüências do esporte e do exercício, dos fundamentos sociológicos, filosóficos e históricos da atividade física, as dinâmicas do desenvolvimento de habilidades, desempenho e aprendizagem e o processo humano envolvido no ensino e transmissão de conteúdo referente à atividade física.

A idéia de amplitude deve permear até o conceito de atividade física. A cinesiologia não estuda apenas o esporte, mas toda forma de atividade realizada com o propósito de melhorar o desempenho, a saúde e/ou a aparência corporal de seus praticantes. O esporte pressupõe atividades físicas que as pessoas façam para atingir determinado objetivo, sustentado por regras, que existem para delinear o conceito de jogo.

Portanto, a inter-relação entre corpo, mente e espírito não é pertinente apenas para o esporte de alto rendimento. Muitas pessoas dizem, por exemplo, que correm para “relaxar” ou “pensar”. Se a atividade física propicia um momento de reflexão para quem corre, os efeitos dessa relação para o desempenho devem ser estudados.

Além disso, a base do pensamento holístico é que é impossível separar “nós de nós mesmos”. Apesar de ser fácil falar do corpo ou de partes dele, é fundamental entender que todas as estruturas se relacionam e dependem umas das outras para funcionar em um contexto global. A eficiência não está apenas na atuação isolada dos componentes.

A idéia de aplicação do pensamento holístico no estudo da cinesiologia é a base para uma grande discussão sobre a terminologia aplicada na atividade física. Afinal, qual expressão pode caracterizar o curso acadêmico concentrado amplamente na atividade física?

Há alguns anos, a resposta para isso seria o curso de educação física. Contudo, essa expressão tem sido utilizada para designar uma missão contida na cinesiologia, que é a preparação e o desempenho físico. O termo carrega essencialmente a limitação no aspecto físico, que é apenas um dos motivos do estudo da cinesiologia.

Muitos pesquisadores propuseram a criação de um departamento de cinesiologia, performance humana ou ciências do movimento humano para descrever a corrente acadêmica voltada ao estudo da atividade física. Essa discussão afeta diretamente o entendimento teórico da disciplina cinesiologia.

A Physical Education, sociedade nobre de aproximadamente 120 pesquisadores associados nos Estados Unidos, referendou o termo cinesiologia como o estudo global da atividade física. Essa conclusão aconteceu depois de um estudo bianual publicado em 1990 e alterou o nome da associação para American Academy ok Kinesiology and Physical Education.

A cinesiologia é, por conseqüência, uma ciência ligada a tudo que se relaciona com a atividade física. Além de estudar os efeitos e o rendimento do corpo humano, ela se preocupa diretamente com a experiência proporcionada pelos esportes e o aprendizado que isso gera (não apenas com a prática, mas com o estudo ou o acompanhamento de atividades físicas).

Assistir a uma Copa do Mundo, por exemplo, pode desencadear uma experiência que não é sensorial, mas provoca mudanças na relação do espectador com o futebol. A cinesiologia se preocupa diretamente com esse contato.

Bibliografia

FATTINI, Carlo A. & DANGELO, José. Anatomia humana sistêmica e segmentar. Editora Atheneu, 2007.
MOREIRA, Demóstenes. Cinesiologia: clínica e funcional. Editora Atheneu, 2005.
FORNASARI, Carlos Eduardo. Manual para estudo da cinesiologia. Editora Manole, 2001.
DOBLER, Günter. Cinesiologia – Fundamentos, prática e esquemas de terapia. Editora Manole, 2003.

Comentários

Deixe uma resposta