Universidade do Futebol

Entrevistas

22/08/2003

Alex Bellos, autor do livro “Futebol – o Brasil em campo”

Quando desembarcou no Rio de Janeiro em 1998 para ser correspondente da América do Sul para os jornais britânicos The Guardian e The Observer, o jornalista inglês Alex Bellos, 33, (formado em Matemática e Filosofia pela Universidade de Oxford) jamais poderia imaginar que iria envolver-se com o futebol brasileiro de forma tão profunda, até receber a proposta para escrever um livro diferente, que mostrasse os aspectos sociológicos do Brasil através do futebol.

 

Assim surgiu a obra Football – The Brazilian Way of Life, lançada em 2002 no país por Jorge Zahar Editor sob o título ‘Futebol – o Brasil em campo’, com 350 páginas. Neste ano o livro escrito por Bellos foi eleito o melhor de esporte no Reino Unido e a Publishers Weekly, revista especializada em livros, colocou ‘Football‘ como um dos melhores na categoria de não-ficção, no ano passado. Foi publicado também na Finlândia, Japão, Itália, Turquia e Holanda.

 

Este ano Alex Bellos voltou a residir em Londres, de onde concedeu esta entrevista exclusiva (via e-mail) para a Cidade do Futebol e que publicamos a seguir.

 

Cidade do Futebol – Depois de escrever o livro ‘Futebol – o Brasil em campo’, sua idéia a respeito do Brasil como país continuou a mesma, piorou ou melhorou?

Alex Bellos – Acho que não mudou. Melhor dizer que meu conhecimento só aprofundou. Quis mostrar que no futebol dá pra enxergar o Brasil – da política até a arte, da arquitetura até a religião… e acho que fiz isso.

 

Cidade do Futebol – Em suas pesquisas, o que mais te chamou a atenção ou despertou curiosidade?

Bellos – O que mais me chamou atenção, por razões óbvias, foi o torneio de futebol em Manaus, onde todo time tem uma miss e todas as misses têm que desfilar juntas, vestidas de biquini e camisa de futebol.

 

Cidade do Futebol – No livro, você procura mostrar a influência do futebol no estilo brasileiro de viver. O que você pode dizer a respeito?

Bellos – O Brasil é o país onde o futebol faz parte da identidade nacional mais do que em qualquer outro país. Na Inglaterra a gente talvez goste tanto de futebol quanto os brasileiros, mas o futebol não faz a gente se sentir inglês. O futebol é o maior esporte do mundo e o Brasil é o país mais bem sucedido em futebol, então as conseqüências vão ser mais profundas do que nos outros países. Na fala, na religião, na moda, em tudo na vida cotidiana brasileira dá para se cheirar o futebol.

 

Cidade do Futebol – Como o seu livro foi recebido pelo público e pela crítica britânica?

Bellos – Muito bem. Já está na Quarta impressão e figurou na lista dos mais vendidos.

 

Cidade do Futebol – Qual o seu time de coração na Inglaterra?

Bellos – É um time pequeno da Escócia – Hearts of Midlothian. Morei em Edimburgo dos dois aos 12 anos de idade, então, sinto-me mais escocês do que inglês. (Nota: em entrevista à revista Isto É, Bellos afirmou torcer para o Queens ParkRangers, modesto time de Londres).

 

Cidade do Futebol – É verdade que a paixão mais forte pelo futebol só aconteceu depois que você veio para o Brasil?

Bellos – Não necessariamente. Torcendo para o Hearts quando criança, ou para a Escócia, durante a Copa de 1978, senti mais paixão. No Brasil meu interesse é mais sobre a influência do futebol, do estilo de vida, do que propriamente o jogo em si. É difícil começar a torcer para um time com 30 anos. A paixão não é a mesma.

 

Cidade do Futebol – Você torce também para algum time brasileiro?

Bellos – Comecei com o Botafogo, flertei com o Flamengo e o Corinthians, mas gosto dos times da região norte, porque o inglês sempre gosta do underdog, o menos favorecido.

 

Cidade do Futebol – Você visitou alguns países para escrever uma obra sobre o futebol brasileiro. Por quê?

Bellos – Visitei, primeiro, o Uruguai, porque quis falar com o Alcides Ghiggia, autor do gol mais importante do futebol brasileiro, o gol da vitória do Uruguai na Copa de 50. Depois, visitei as Ilhas Faroe, uma região autônoma da Dinamarca. Isso para mostrar os ‘fins do mundo’ onde jogadores brasileiros vão jogar.       

 

Cidade do Futebol – Quais são as principais diferenças entre os técnicos ingleses e os brasileiros?

Bellos – Os ingleses geralmente ficam mais tempo no time, então podem construir estabilidade, que ajuda na performance. Demitir depois de perder um jogo é burrice.

 

Cidade do Futebol – Você tem algum novo projeto relacionado ao futebol?

Bellos – Tenho o meu website www.futebolthebrazilianwayoflife.com que é uma tentativa de ter um site abrangente sobre o futebol brasileiro em inglês.

 

Cidade do Futebol – O Manchester United é o clube mais rico do mundo. Você pode dar a receita para os clubes brasileiros?

Bellos – Quando o futebol brasileiro for melhor organizado, talvez.

 

Cidade do Futebol – Como está sua carreira de jornalista? Você ainda vive no Brasil?

Bellos – Voltei em abril deste ano para Londres. Vou ficar aqui um tempinho como free lancer – sempre indo ao Brasil e retornando à Inglaterra.

 

Cidade do Futebol – Você conhece algum portal que tenha uma proposta tão abrangente quanto à Cidade do Futebol?

Bellos – Há milhares de sites sobre futebol, alguns maiores do que outros, mas não vi, até agora, um site tão ambicioso. Achei também o design bonito.

 

22/08/03

Comentários

Deixe uma resposta