Universidade do Futebol

GEPEFFS

28/11/2011

Avaliação do desempenho da arbitragem na Copa do Mundo de 2010

A atuação da arbitragem durante os jogos é um dos assuntos mais debatidos no meio do futebol. Ao longo dos anos, várias propostas foram formuladas por profissionais da área para tentar minimizar os erros de arbitragem, como usar as imagens da televisão nos lances polêmicos e profissionalização dos árbitros entre outras sugestões.

A Fifa também tem grande preocupação sobre este tema. Dentro da entidade tem um setor exclusivo para avaliar a atuação dos árbitros e criar programas de aprimoramento e preparação. Na última Copa do Mundo da África do Sul, a comissão de arbitragem da Fifa divulgou um relatório comentando a preparação dos árbitros e o desempenho da arbitragem na última Copa. Este relatório está dentro do relatório técnico tático da Copa-10.

Neste post será realizado um resumo deste relatório escrito por José María García-Aranda Encinar.

Durante a Copa foram enviados 24 trios de árbitros, sendo que as federações africana, asiática, e da América do Norte e Caribe enviaram três trios cada uma, a federação da Oceania um, América do Sul cinco e a européia nove. Além destes foram solicitados cinco trios de apoio.

Preparação:

Todos os árbitros passaram por um longo processo de avaliação e preparação. Ela começou em 2007 com seminários e monitoramento do desempenho nas competições organizadas pela Fifa. Em fevereiro de 2010 foi realizado um intensivo controle médico sobre os árbitros e a avaliação física.

Antes do começo da competição os membros da comissão de arbitragem da Fifa e os instrutores de árbitros se reuníram com todas as equipes para debater os assuntos técnicos de arbitragem e enviaram material multimídia com informações sobre interpretação das regras do jogo.

Logo que chegaram à África do Sul, todos os árbitros e assistentes passaram por diversas atividades teóricas e práticas. Durante o treinamento prático foi utilizado um programa chamado de “virtual refereeing” que permitia aos árbitros e assistentes analisar as suas decisões imediatamente depois dos lances em um monitor que passava as jogadas em diversas velocidades.

Já durante a competição uma plataforma virtual permitiu a gravação e análise integral das 64 partidas da Copa, onde os instrutores puderam imediatamente selecionar as jogadas desejadas para análise posterior. Após as partidas aconteciam reuniões para analisar os lances mais importantes dos jogos.

Além disso, durante os jogos foram realizados diversos estudos científicos, como o trabalho que avaliou a posição dos árbitros no campo de jogo com as decisões que foram tomadas, e a pesquisa que estudou como é percorrida a distância pelos árbitros e assistentes durante as partidas e suas distintas velocidades.

Resultados:

Os membros da comissão de arbitragem da Fifa concluíram que o rendimento físico dos árbitros foi excelente. Eles também ficaram muito satisfeitos com o controle disciplinar; segundo eles, o bom controle disciplinar foi um dos fatores que mais contribuíram para que diminuísse o número de jogadores lesionados na copa do mundo de 2010 em comparação com as outras competições realizadas pela entidade, como a Copa da Alemanha em 2006. Comparando as duas últimas Copas, em 2010 caiu a média do número de cartões amarelos (3,82 vs. 4,8) e vermelhos (0,27 vs. 0,44) aplicados durante as partidas.

Análise das decisões da arbitragem:

Foi constatada que apesar da enorme dificuldade, a grande maioria das decisões foi acertada. Dos 145 gols marcados, 142 foram validados corretamente. Treze gols foram anulados corretamente e dois gols foram mal anulados, um índice de acerto de 96,88% das decisões. Treze gols foram anulados por impedimento, sendo todos corretos (100% de acerto).

Das 663 finalizações que foram no gol somente cinco ficaram próximas da linha do gol (onde existe a dúvida se a bola entrou ou não). Destas cinco, quatro foram interpretadas corretamente e uma errada (jogo Alemanha e Inglaterra).

Aconteceram 65 situações de choque dentro da área. Destas, 20 situações foram interpretadas corretamente com não sendo pênalti, cinco situações deveriam ter sido assinaladas como pênalti e não foram e 15 pênaltis foram corretamente assinalados (100% de acerto).

Como conclusão os comissários ficaram satisfeitos com o rendimento geral dos árbitros destacando o surgimento de novos árbitros com talento, como exemplo eles citaram Irmatov do Uzbequistão.

Apesar dos dados apontados pela Fifa, mostrando altos índices de acerto, durante a Copa aconteceram vários lances polêmicos com erros de arbitragem (tanto nos aspectos técnicos como disciplinares) que influenciaram os resultados de algumas partidas. Isso gerou muitas críticas ao desempenho de alguns trios de arbitragem.

Esta constatação mostra que apesar dos esforços da comissão de arbitragem ainda é necessário melhorar as avaliações e os programas de treinamento e aperfeiçoamento. Espero que no futuro se consiga minimizar os erros para as discussões ficarem voltadas somente para os aspectos técnicos e táticos do jogo.

Comentários

Deixe uma resposta