Universidade do Futebol

Artigos

11/02/2008

Avaliação funcional na detecção de lesões em atletas

Nos últimos anos, o trabalho funcional tem sido o principal norte nas atividades de condicionamento e recuperação física de atletas. No entanto, a ligação com os movimentos realizados durante a prática esportiva não precisa ser necessariamente restrita a esses momentos. O perfil funcional pode aparecer desde a avaliação de atletas para a detecção de lesões ou problemas físicos.

A avaliação funcional estuda as diferentes estruturas do aparelho locomotor em conjunto, levando em consideração sua inter-relação com a mesma unidade funcional. Para isso, esse exame se baseia em meios visuais, manuais e instrumentais que visam a obtenção de dados quantitativos e qualitativos sobre as estruturas.

Mais do que simplesmente identificar os problemas, a avaliação funcional estuda o comportamento motor do atleta lesionado e acompanha as mudanças nesse processo durante toda a recuperação. Assim, possibilita o estabelecimento de problemas ou distúrbios que devem ser corrigidos no tratamento.

O primeiro objetivo da avaliação funcional é auxiliar o fisioterapeuta a identificar o que é mais importante trabalhar com o atleta e qual é a expectativa do tratamento. Ela representa uma mensuração do quanto a lesão afetou o desempenho e quanto isso está sendo corrigido com o tratamento.

Para isso, o fisioterapeuta deve estabelecer quais os fatores funcionais que são importantes para o paciente. Os problemas físicos causam restrições de movimentos, mas também podem restringir a carga possível para o atleta em questão.

Além da carga, o fisioterapeuta deve dispensar atenção às repetições e ao comportamento do atleta durante o repouso. Em alguns casos, até a velocidade dos movimentos pode fornecer informações sobre possíveis lesões.

Para efeito de estudo, Goldstein propõe uma divisão das atividades funcionais em quatro categorias: atividades da vida diária, atividades instrumentais, atividades de trabalho e atividades esportivas. O fisioterapeuta precisa estar atento a todas essas esferas para realizar uma avaliação completa com o esportista.

O primeiro passo para a avaliação funcional, portanto, é a determinação do histórico clínico do paciente. Antes de determinar quais são as limitações, o fisioterapeuta precisa conhecer o rendimento padrão do atleta para ter uma base e tirar conclusões.

Depois de colher informações sobre o atleta e o esporte que ele pratica, o fisioterapeuta pode montar um exame com base no rendimento desse esportista e o que ele pode alcançar. O cruzamento dessas informações é parte determinante para a avaliação funcional.

Bibliografia

UMEDA, Iracema Ioco. Manual de fisioterapia na reabilitação. Editora Manole, 2006.
DAVIS, Carol. Fisioterapia e reabilitação. Editora Guanabara Koogan, 2006.
MALONE. Fisioterapia em ortopedia e medicina no esporte. Editora Santos, 2000.
AMADO-JOÃO, Silvia M. Métodos de avaliação clínica e funcional em fisioterapia. Editora Guanabara Koogan, 2006.

Comentários

Deixe uma resposta