Universidade do Futebol

Alcides Scaglia

08/01/2012

Balanço pedagógico

Caros amigos da comunidade do futebol, os quais frequentam a Universidade do Futebol para cambiar conhecimentos e experiência, depois de três anos escrevendo semanalmente as crônicas pedagógicas neste site (perfazendo um total de 150 colunas), recebi do professor João Paulo Medina e do Gheorge Randsford o direito de gozar uma “licença sabática”.

Logo, como esta se finda, devo apresentar meu “relatório de atividades”. Ou seja, fazer um balanço pedagógico sobre o que tenho feito durante este primeiro ano de atividades desenvolvidas na Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp.

Somente para contextualizar, em julho de 2010, depois de ter sido aprovado em concurso público, iniciei minha vida acadêmica na FCA (Faculdade de Ciências Aplicadas) da Unicamp, coordenando o curso de Ciência do Esporte, que se localiza na cidade de Limeira-SP.

Meu principal objetivo como docente e pesquisador na Unicamp começou a se delinear com a criação do LEPE (Laboratório de Estudos em Pedagogia do Esporte), a organização e desenvolvimento de um leque de disciplinas sobre pedagogia do esporte e minha inserção no programa de pós-graduação stricto-sensu (mestrado).

Contudo, escrevo este “relatório” apenas para apresentar à comunidade o que meu laboratório (LEPE) tem produzido, com o objetivo de construir possíveis canais de comunicação acadêmica e profissional, pois como um dos colaboradores que fincaram as bases da Universidade do Futebol, sei que seu principal papel é se concretizar nesta teia de conhecimentos que se forma por meio da interação e da produção colaborativa de conhecimentos, fortalecendo as bases da verdadeira ofensiva pedagógica defendida pelo ilustre professor Jorge Bento, desde os idos dos anos 80.

Assim sendo, quero iniciar destacando os vários projetos que estamos concentrados. Um deles, que por sinal acredito que muito interessa à comunidade da Universidade do Futebol, dá-se por meio da constituição de um grupo de estudos sobre o perfil dos treinadores.

Apesar do grupo não se restringir aos estudos de treinadores de futebol, obviamente muitos treinadores de futebol, nacionais e internacionais, têm se transformado em temas de seminários e investigação. Mas não posso deixar de mencionar a importante contribuição dos livros que o Bernardinho tem editado na coleção “Na vida como no esporte” (até o presente momento foram publicados quatro), para nosso grupo, principalmente, destaco o livro do treinador de basquete John Wooden.

Do grupo de estudos tem se derivado algumas pesquisas individuais e de pequenos subgrupos, como por exemplo, uma pesquisa que busca identificar o perfil dos treinadores profissionais da região de Limeira. Além do interessante estudo sobre o Ranking do Treinador, construído na sua totalidade por informações objetivas retiradas da súmula do jogo. Ou seja, construímos um ranking descartando totalmente a análise subjetiva, e podemos inferir sobre as intervenções dos treinadores apenas a partir dos vários marcadores que aparecem oficialmente nas súmulas disponibilizadas pelo site da Federação Paulista de Futebol.

Já outro interessante grupo de alunos se reúne no LEPE para dar início à construção de um scout tático. Ou seja, este grupo de estudantes se preocupa com a análise de jogo, e hoje seu principal objetivo se concentra no estudo das finais da Champion League em comparação com as finais da Copa Libertadores da América.

Outro trabalho se perfaz na análise de todos os jogos (na íntegra) da Holanda na Copa de 1974, de modo a realmente entender o que é (ou foi) o “Carrossel Holandês”. E por fim, este grupo se prepara para estudar os jogos da seleção em 1982, comparando cientificamente com o Modelo de Jogo apresentado pela seleção brasileira na Copa de 1994.

Outro importante projeto de pesquisa do LEPE é se concretizar no delineamento e desenvolvimento de uma pesquisa-ação, em uma escola pública estadual, em que os alunos serão expostos a problemas que lhes possibilitem aprender a aprender futebol. Ou dizendo melhor, o nosso objetivo, a partir da nossa rica cultura lúdica das brincadeiras de bola com os pés, é fazer com que os alunos aprendam como se dá o processo de aprendizagem do futebol por meio de jogos, e, principalmente, como eles podem aprender com autonomia, sem depender exclusivamente de um adulto e muito menos de quaisquer escolinhas de futebol (objetivando de forma indireta a melhoria da qualidade dos processos desenvolvidos pelas atuais escolinhas).

Além destes estudos diretamente vinculados ao futebol (depois, ao final do texto quero apresentar os demais projetos com esta modalidade), o LEPE está construindo um banco de dados (com imagens, vídeos e textos) sobre esportes para alicerçar outros estudos; dois projetos de investigação metodológica sobre o tênis e a natação, estudos sobre a sistematização de todo um processo de aprendizagem das lutas por meio de uma metodologia que agrupa e desenvolve o aprendizado das diferentes lutas a partir de jogos contínuos, intermitentes e mediados; um estudo sobre políticas públicas na cidade de Limeira; estudos sobre futsal, e um consistente projeto de extensão envolvendo as lutas, o qual se chama “Crescendo com as Lutas”.

Por fim, o LEPE está sistematizando de forma muito rigorosa, em parceria com o Labex (Laboratório de Bioquímica do Exercício) e o Labin (Laboratório de Biomecânica e Instrumentação) da UNICAMP, estudos sobre as influências provenientes da lógica tática (por meio da lógica do jogo) no desenvolvimento físico e técnico, em meio à aplicação de uma metodologia pautada no jogo e sua lógica sistêmica/complexa.

Para tanto, está sendo utilizado neste último trabalho instrumentos tecnológicos e metodológicos advindos da cinemática e outros marcadores fisiológicos e bioquímicos para mensurar o envolvimento de todas as capacidades biomotoras envolvidas, mais todas as habilidades técnicas requeridas pelas exigências advindas da lógica tática, em meio ao cumprimento das ações provenientes do conceito objetivado no jogo (no caso, estamos investigando apenas os jogos conceituais, mas depois nos aprofundaremos nos jogos conceituais em ambiente específico, jogos específicos e jogos contextuais, balizados pelas competências essenciais dos jogos coletivos).

As conclusões advindas destes últimos trabalhos com o futebol serão sobremaneira importantes para a consolidação da ideia de existência de um possível currículo de formação de jogadores (dainiciação à especialização) que se pauta apenas no jogo para o desenvolvimento e aprimoramento de todos os componentes (conceitos) presentes na composição de performances no futebol. Além de consolidar cada vez mais a ideia de que é possível aprender e se aperfeiçoar (treinar no alto nível) no jogo de futebol apenas jogando, e construindo uma periodização de jogo.

Portanto, principalmente, os projetos direta ou indiretamente estão em busca da avaliação da inteligência tática, que gerará o índice de inteligência tática, um marcador para nós muito importante. Mas, enfim, são muitas as frentes de trabalho de nosso laboratório, mas o LEPE tem exatamente este compromisso, que sempre será o de disponibilizar à comunidade o que de melhor podemos fazer.

Essa devolutiva poderá acontecer de várias formas, mas uma em especial muito me apetece: a forma com que todos os meus alunos (vinculados ao LEPE) têm se empenhado e, principalmente, abraçado a causa da pedagogia do esporte.

Para interagir com o autor: alcides@universidadedofutebol.com.br

Comentários

Deixe uma resposta