Universidade do Futebol

Artigos

09/08/2007

Causas e conseqüências dos distúrbios gastrintestinais

Durante uma atividade física, não são apenas as lesões que podem interferir no desempenho do atleta. É comum que distúrbios do trato gastrintestinal superior ou inferior atrapalhem o indivíduo, física ou psicologicamente. Refluxo, arroto, gastrite e vômito (superior), ou cólica, irritação na evacuação e diarréia (inferior) são alguns problemas aos quais os atletas estão sujeitos.

Além de deixar o indivíduo aflito e embaraçado, esses distúrbios podem gerar uma debilitação grande do desempenho e da saúde, por culpa, sobretudo, da desidratação ou da baixa disponibilidade de carboidratos. Vômitos e diarréias provocam perda de fluidos e eletrólitos ainda maior do que o já comum à prática esportiva.

Muitas vezes, o próprio exercício é causa dos problemas gastrintestinais. Em outra, porém, eles apenas exacerbam outros distúrbios latentes. Neste caso, quatro são os problemas mais comuns: atividades de alta intensidade, atividades que envolvem “sacudidelas” do intestino, níveis moderados ou graves de desidratação e ingestão de quantidades ou tipos inadequados de alimentos e fluidos antes do exercício.

Os distúrbios podem ser prevenidos com algumas medidas simples. O horário e o volume dos alimentos consumidos antes do exercício são duas delas. Grandes quantidades de fibras, gorduras, proteínas, frutose e lactose, imediatamente antes das refeições, também condicionam a ocorrência ou não dos problemas.

Alguns estudos apontam que as mulheres estão mais sujeitas a tais distúrbios, assim como o treinamento já é considerado uma maneira de evitar esses desarranjos, reduzindo a freqüência dos mesmos. Estratégias de nutrição, pré e pós-evento esportivo, são as soluções mais indicadas.

Bibliografia

MAUGHAN, Ronald J. & BURKE, Louise M.. Nutrição esportiva. Editora Artmed, 2004.

Comentários

Deixe uma resposta