Universidade do Futebol

Gepeff

31/01/2012

Comparação de um teste de agilidade com e sem bola entre duas categorias de uma escola de futebol na cidade de Campinas-SP

O futebol é um dos esportes mais praticados no Brasil e no mundo, tendo fiéis espectadores, e desde cedo já encanta crianças e jovens na busca de um sonho, que é se tornar jogador profissional. Dentro das diversas variáveis de capacidades físicas que o futebol exige, a agilidade pode ser em alguns momentos um fator determinante para uma partida, estando diretamente relacionada à perfeição de passe (SILVA, et. al. 2006). Pensando nesta afirmação, podemos afirmar que o atleta que é mais ágil, consequentemente, terá um número menor de passes errados.

Segundo Schmid e Alejo, 2002, a agilidade no futebol é caracterizada quando um atleta consegue mudar o sentido de direção da forma mais eficiente possível, diante de situações imprevisíveis do jogo, tomando decisões rápidas e eficazes.

Portanto, o presente estudo teve como objetivo comparar a diferença da agilidade entre duas categorias, sendo sub-13 e sub-15 sem bola e sub-13 e sub-15 com bola.

Para obtenção dos resultados foi utilizado o Illinois Agility Test (Roozen, 2004 apud MARIA et al, 2009), que avalia agilidade sem e com bola em jogadores de futebol.

Participaram do estudo 43 sujeitos de uma escola de futebol, sendo que foram divididos em dois grupos: sub-13 (12,8 ± 0,51 anos) e sub-15 (14,6 ± 0,49 anos), conforme determinação da Federação Paulista de Futebol (FPF). Os resultados apresentados pela categoria sub-13 na realização sem e com bola foram 17,48±1,56 e 23,22±2,35 segundos, respectivamente. Para a categoria sub-15, a média dos resultados foi 16,64±1,02 segundos sem bola e 21,89 ±2,14 segundos com bola.

Os dados dos diferentes grupos foram comparados entre si por meio de análise estatística, utilizando o teste “t”, correlação de Pearson (p<0,05).

Discussão

Nos estudos de Mohammadtaghi, et. al., 2010 foi concluído que jogadores que possuem mais experiência dentro do esporte, ou seja, mais tempo de prática, possuem um melhor desempenho esportivo na realização de testes de agilidade.

Em outro estudo de Fogo, et. al., 2010, que visou avaliar a aptidão física de crianças do interior da cidade de São Paulo, analisou 41 crianças e dentro dessas, 19 tinham idade para participar da categoria sub-13. Dentre os diversos testes realizados, os utilizados para mensurar a agilidade foi o illinois agility test que possuía a condução de bola, onde neste foram encontradas diferenças significativas entre as idades analisadas que foram de 9 e 12 anos, 10 e 12 anos e 11 e 12 anos.

O presente estudo concluiu que, quando comparadas às duas categorias sem bola entre sub-13 e sub-15 e com bola entre sub-13 e sub-15, não foram encontradas diferenças significativas para a realização do Illinois Agility Test (p<0,05).

Referências

FOGO, M. A; CHIMINAZZO, J. G. C; SANTOS, C. F. Avaliação da aptidão física em crianças de 09 a 12 anos praticantes de futebol. Anais – 14° Congresso Paulista de Educação Física – 3 a 5 de junho de 2010 – Fontoura – Jundiaí – SP.

MARIA, Thiago S.; ALMEIDA, Alexandre G.; ARRUDA, Miguel. Futsal Treinamento de Alto Rendimento. São Paulo – SP: Phorte, 2009.

MOHAMMADTAGHI, A. K; MANSOUR, S. S; KOUROSH, G. T; ASHRIL B. Y.Acute Effect of Different Stretching Methods on Illinois Agility Test in Soccer Players. The Journal of Strength and Conditioning Research, v. 24, n. 10, 2010.

SILVA, L.J.; ANDRADE, D.R.; OLIVEIRA, L.C.; ARAÚJO, T.L.; SILVA, A.P.; MATSUDO, V.K.R. Associação entre “shuttle run” e “shuttle run” com bola e sua relação com o desempenho do passe no futebol. Revista Brasileira de ciência e Movimento. 2006; 14(3): 7-12.

Comentários

Deixe uma resposta