Universidade do Futebol

Publif

10/08/2007

Considerações acerca da competição durante o processo de iniciação esportiva

A competição faz parte do processo de iniciação esportiva em qualquer modalidade. Entretanto, seu grau de importância deve ser levado em consideração para que as crianças participem de forma sadia dos jogos, torneios e campeonatos.

O professor/treinador responsável por inserir a criança no processo competitivo deve ter bem clara a complexidade deste fenômeno, pois a partir de uma ótica mais detalhada, a criança quer jogar, competir e vencer a qualquer custo, mesmo que esta competição possa excluir seu companheiro menos habilidoso.

Através de uma partida de futebol durante o processo de iniciação esportiva, o professor possui ferramentas importantes. Sendo assim, deve obrigatoriamente incentivar a prática de atividade física, de modo a não valorizar demasiadamente os mais habilidosos tecnicamente e sim a incluir, de forma prazerosa, o hábito saudável de fazer exercícios físicos e o gosto de praticá-los.

Alguns fatores devem ser levados em consideração no decorrer desta fase, logo, a utilização de materiais adequados, como por exemplo, o peso e tamanho da bola, as dimensões do campo e também a altura e largura das balizas são preocupações relevantes.

Os pais também possuem fundamental importância no sentido de respeitar os procedimentos pedagógicos utilizados pelo professor, diante dessa perspectiva, cabe ao professor explicar aos pais vossa metodologia, esta que deve estar voltada para a participação de todos alunos, objetivando assim um considerável desenvolvimento das capacidades de desempenho corporal e motor e também a socialização das crianças.

O resultado em si, ou seja, a vitória não deve ser ânsia exagerada do professor, tendo em vista que o resultado positivo, ou seja, a vitória não lhe trará benefício algum se comparado ao fato de todas as crianças que estiverem naquela partida participarem de forma ativa do jogo, e assim vivenciarem plenamente os momentos mágicos que o futebol pode proporcionar às crianças.

Ao considerarmos a satisfação dos pais ao observarem seus filhos jogando e se divertindo, os professores devem ser altamente capacitados para proporcionar aos alunos a experiência de praticar o esporte preferido com a maior segurança possível e propiciar bom ambiente para a prática.

Um outro aspecto igualmente importante, é que tanto professores quanto pais contribuam no sentido de encorajar, motivar, incentivar as crianças para que uma simples partida de futebol seja uma experiência rica e positiva para a criança.

Augusto Moura de Oliveira é pós-graduando em Futebol pela Universidade Federal de Viçosa, coordenador técnico de escola de futebol e professor da escola de futebol do Clube Atlético Paranaense com sede na AABB de Maringá-PR.

Comentários

Deixe uma resposta