Copa do Mundo e o retorno dos investimentos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Os grandes eventos esportivos podem trazer grande aquecimento para o turismo brasileiro. Para se ter uma ideia, segundo um gerente do Minas Hostel, em Belo Horizonte, durante a Copa das Confederações, o estabelecimento teve lotação máxima e teve como clientes turistas de dezessete nacionalidades diferentes.

Além da Copa das Confederações, as partidas do Atlético Mineiro pela Libertadores contra Tijuana, Newell’s Old Boys e Olimpia levaram mexicanos, argentinos e paraguaios a lotar o hostel.

Neste esteio, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) realizou estudo levando em conta somente os gastos de turistas brasileiros e estrangeiros durante os 30 dias de jogos da Copa do Mundo de 2014. A conclusão é que, em razão do turismo, a economia brasileira já terá garantido retorno de todo o investimento público feito para a realização do evento.

O estudo levou em conta os gastos médios de turistas de eventos no Brasil e nos gastos realizados por estrangeiros na Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul.

Segundo os economistas da Embratur os brasileiros vão gastar R$ 18,35 bilhões em suas viagens. Já os estrangeiros devem gastar R$ 6,85 bilhões, e com isso a soma final chega a R$ 25,2 bilhões.

Este valor supera todos os investimentos públicos feitos ao longo dos anos para garantir a realização da Copa, eis que estimados em R$ 22,5 bilhões.

Dessa forma, o valor de ganho com a Copa do Mundo corresponde a mais de 30 vezes o gasto de turistas na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), já que, segundo a Embratur quem esteve no Rio para acompanhar o papa Francisco desembolsou cerca de R$ 660 milhões.

A Copa do Mundo gerará, também, valores muito superiores ao da Copa das Confederações que, segundo dados da Embratur, oportunizou lucros de R$ 740 milhões de reais para o turismo.

Destaque-se que os ganhos não se restringem ao turismo, a AmBev (Companhia de Bebidas das Américas) ,a maior empresa da América Latina, que responde pelas marcas grandes de cerveja, Antarctica, Skol e Brahma divulgou dados de que foi beneficiada pela Copa das Confederações com um acréscimo de 30 milhões de litros nas vendas e um lucro de 1,88 bilhão de reais.

Diante de tudo, percebe-se que os investimentos nos grandes eventos esportivos possuem retorno financeiro e é justamente por esta razão que sempre há uma acirrada disputa para sediá-los. Portanto, desde que bem geridos, os gastos públicos trarão imenso retorno ao povo brasileiro.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais conteúdo valioso