Universidade do Futebol

Artigos

28/12/2015

Defesa à zona: roubar sem “correr”

No intuito de melhor compreender a complexidade do jogo de futebol, faz-se necessário segmentar o jogo em momentos (ofensivo, defensivo, transição ofensiva e transição defensiva). Dentre esta divisão, os momentos críticos do jogo estão nas transições (ofensiva e defensiva) e no momento defensivo. A equipe que está em transição defensiva e no momento defensivo não possui a bola, mas isso não significa invariavelmente que não tem o controle de jogo. Há a possibilidade de se ter o controle do jogo mesmo sem a bola. Controlar o jogo sem a posse de bola se caracteriza como uma estratégia extremamente complexa.

Defender ou atacar em coletivo (em transições ou momentos) não é pensar a mesma coisa em determinados e diversos momentos, mas pensar tendo os mesmos referenciais em determinados e diversos momentos – mesmo realizando ações de formas diferentes. Essa talvez possa ser a diferença entre a mecanização da organização e a complexidade da organização (diferença entre organização rígida e complexa)

Para ler o artigo na íntegra, basta clicar aqui

Comentários

Deixe uma resposta