Universidade do Futebol

Artigos

07/01/2019

Dificuldade Extra Campo

Controle emocional dos atletas em momentos decisivos

Fica cada vez mais claro que para o bom desempenho dos atletas em campo, não basta somente um bom trabalho nas partidas e nos treinos. Para elevar a performance, além de habilidade, preparo físico e agilidade, é indispensável que eles possuam também autoconfiança, domínio, tranquilidade e principalmente controle das emoções.

Os profissionais passam diariamente por momentos que geram ansiedade, tensão, nervosismo e estress e essas sensações se intensificam ainda mais em momentos decisivos, assim, quando não possuem preparo emocional, prejudicam não só o desempenho individual como o coletivo.

Não é raro vermos um elenco com enorme capacidade técnica, ter seu desempenho abalado pela ausência de controle emocional. Acompanhamos exemplos semanalmente de partidas que tem seu resultado comprometido e alterado por falta de foco, e disputas entre equipes com habilidades técnicas semelhantes o fator decisivo ser o emocional.

Antigamente, o sucesso e as conquistas estavam relacionados a Inteligência Cognitiva, o célebre QI, porém surgiram diversos conceitos sobre inteligência e observou-se que fatores emocionais interferem na resolução de problemas, velocidade de percepção, habilidades e raciocínio, desta forma passou-se a estudar a inteligência associada às àreas afetivas, surgindo então a Inteligência Emocional – controle das emoções.

A autora Patricia Ribeiro de Souza, através de seu artigo publicado no site Psicologado.com, cita o psicólogo Daniel Goleman e seu conceito sobre o que é inteligência emocional.

Como exemplo, podemos citar o ex-atacante Ronaldo Fenômeno passou pelas duas situações em finais de Copa do Mundo. Em 2002, ele mostrou equilíbrio na decisão contra a Alemanha, quando marcou dois gols e o Brasil venceu por 2 a 0. Quatro anos antes, ele passou por uma série de problemas antes da decisão que atrapalharam o desempenho dele na partida, perdida para a França por 3 a 0.

 

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

Comentários

  1. JOÃO MURTA disse:

    Muito bom o artigo, deveria servir como cartilha e ser um curso dado de forma intensiva aos profissionais ainda nas categorias de base!! Todo profissional deve saber controlar o seu emocional e no futebol não pode ser diferente, os jogadores, treinadores, preparadores, dirigentes e etc precisam saber lidar com o emocional e principalmente com as vaidades. Parabéns pelo artigo Amanda e Camila.

  2. Robson da Silva disse:

    Excelente conteúdo.

  3. Lilian Lima disse:

    Algo que as pessoas não dão muita importância mas que se faz necessário para todos.

  4. Manuel Costa disse:

    Achei muito boa a forma que abordaram o conteúdo. Deveria ser mais aplicado no dia a dia dos clubes.

  5. Rodrigo Mota disse:

    Tive o prazer de trabalhar com elas em um momento difícil pra mim, conseguem aplicar isso na prática de forma boa e fazer com que a gente mude de vida. Parabéns pelo artigo e trabalho.

  6. Lucas Caxis disse:

    Alguns pontos pra refletir em questao

  7. Afonso Batista disse:

    Excelente. Parabéns!

Deixe uma resposta