Universidade do Futebol

Colunas

05/02/2017

Dificuldades formação dos atletas

A importância das transições entre as fases da carreira e a influência dos pais

Tenho refletido a respeito sobre a importância das transições entre as fases da carreira esportiva e sobre o quanto de influência os pais e responsáveis pelos atletas podem interferir em situações do cotidiano de uma carreira.

Relembrando uma das fases da carreira, a fase de desenvolvimento representa uma opção do atleta amador por uma determinada modalidade esportiva, com isso, os jovens passam a participar de competições regulares e o nível de comprometimento passa a ser crescente, o que demanda maior organização da rotina do atleta.

É nessa fase que o papel dos pais pode ser um diferencial, tanto para o bem do atleta, quanto para o mal, mesmo de maneira involuntária, pois estes passam a exercer uma influência que pode levar o atleta ao baixo desempenho na prática esportiva, devido a cobranças excessivas ou a orientações equivocadas que vão na direção contrária do que os membros de uma comissão técnica estão programando.

Entrando ainda mais nessa questão, podemos observar o modelo desenvolvimentista de Wylleman e Lavalle (2004), já comentado por mim em outra coluna, que faz uma integração da vida esportiva com a vida não esportiva do atleta, conforme a figura abaixo.

Modelo desenvolvimentista da carreira esportiva (adaptado de Wylleman & Lavalle, 2004)
Modelo desenvolvimentista da carreira esportiva (adaptado de Wylleman & Lavalle, 2004)

 

 

A percepção integrada da carreira esportiva e não esportiva contribui para que os pais possam compreender melhor a vida de um atleta com um todo e a importância de considerar outras demandas que vão além da vida esportiva. A partir desta compreensão, todos podem se tornar mais conscientes que cada transição entre as fases é um processo que resulta numa mudança de percepção do atleta sobre si mesmo e o mundo, o que passa a requerer uma mudança de comportamento e nos relacionamentos pessoais do atleta. Por esse ponto de vista, vou compartilhar as características de duas transições que impactam a fase de desenvolvimento.

Transição da iniciação para o desenvolvimento – momento no qual o atleta passa por adaptações no estilo de vida, devido ao aumento da carga de treinamentos. A influência do treinador aumenta, bem como a convivência mais intensa com os colegas de equipe.

Transição do desenvolvimento para a excelência – etapa de total dedicação, especialização do treinamento e muitas vezes oportunidade de profissionalização. Nesta transição, a orientação dos treinadores e demais profissionais do meio esportivo é fundamental para que o atleta possa lidar positivamente com esse momento.

Após este esclarecimento sobre essas transições, fica mais claro que os pais vão deixando de protagonizar o contexto esportivo do atleta, fazendo com que os profissionais envolvidos passem a ter um papel mais expressivo junto ao atleta e influenciando positivamente para os caminhos da alta performance.

Para finalizar, como podemos facilitar para que os pais possam compreender esse cenário, sem que fiquem com a sensação de falta de prestígio junto ao atleta?! Acredito que um alinhamento, entre os pais, atletas e comissão técnica, dos objetivos do atleta e das metas de curto e longo prazo estabelecidas, pode ser fundamental no papel da definição de responsabilidades e com isso fazer com que os pais possam assumir apenas o papel que lhe cabem, muito valioso nesse processo, sem que despercebidamente entrem em outras esferas do desenvolvimento da carreira de seus filhos enquanto atletas!

Até a próxima.

Slider-Site(1)

Comentários

Deixe uma resposta