Universidade do Futebol

Colunas

14/03/2018

Discutindo Treino – 3

Olá, caro leitor!

Na coluna desta semana iremos discutir sobre dois exercícios de treino nos quais o foco das abordagens será para as referências operacionais de manutenção da posse da bola, progressão ao alvo adversário e recuperação da posse da bola.

O gol, para a ampla maioria daqueles que jogam e que desfrutam ao assistir uma partida de futebol, é talvez o objetivo máximo do jogo. Digo talvez pois, o jogo desperta várias emoções naqueles que o vivenciam e, não necessariamente para todos, o gol seja o evento do jogo onde haja a maior descarga de serotonina (um dos hormônios responsáveis pela sensação de prazer). Porém, é o número de gols marcados que determina qual será a equipe vitoriosa, sendo assim, são os principais objetivos do jogo, e podem ser alcançados de diversas formas a partir dos comportamentos treinados e manifestados numa partida.

Trago, hoje, dois exercícios que utilizo, no intuito de criar comportamentos na equipe a fim de aproximar (a partir das crenças e experiências com o jogo que o clube, atletas e eu possuímos) a equipe deste objetivo essencial para se vencer os jogos: marcar gols.

 

Jogo Conceitual para Manutenção da Posse de Bola

  • Conteúdos Primários: gerar apoio, criação constante de linhas de passe (próximas e distantes) para o portador da bola, retirada rápida da bola de zonas de pressão adversária, pressão constante ao portador da bola e coberturas.
  • Conteúdos Secundários: mobilidade, desmarques, passe, domínio, rápida transmissão da posse individual da bola e abordagens de marcação.
  • Desenvolvimento: equipes de 4 jogadores, num campo dividido em 4 setores. Ficam 4 jogadores da equipe “A” dentro do campo contra 2 jogadores da equipe “B”, os outros 2 jogadores da equipe “B” ficam fora do campo demarcado, sendo apoio aos seus companheiros. Os jogadores da equipe “A” buscam manter a posse da bola trocando 8 passes entre si para ganhar 2 pontos, estes não podem devolver um passe para o mesmo jogador de quem recebeu, a não ser que este se desloque para um setor diferente do que fez o passe. Os jogadores da equipe “B” buscam recuperar a posse da bola e rapidamente realizar passes para os apoios, pois sempre que a bola sair de um apoio e chegar ao outro, a equipe ganha 1 ponto. Não são permitidos passes de apoio para apoio. É livre a quantidade de toques na bola para todos, porém os apoios tem 3’’ de posse individual da bola.
  • Feedbacks: são realizados com o intuito de que os jogadores busquem gerar constante apoio e linhas de passe ao portador da bola, busquem espaços vazios e desmarcar-se do adversário, rápida transmissão da bola entre eles, pressão constante ao portador da bola e realização de coberturas pelos demais, rápida retirada da bola de zonas de pressão adversária e rápida mudança de comportamento.

 

Jogo Conceitual para Progressão ao Alvo Adversário

  • Conteúdos Primários: gerar apoio, criação constante de linhas de passe (próximas e distantes) para o portador da bola, busca por passes de ruptura, dribles verticais, pressão constante ao portador da bola e coberturas.
  • Conteúdos Secundários: mobilidade, desmarques, penetrações, passe, domínio, rápida transmissão da posse individual da bola, retirada rápida da bola de zonas de pressão adversária e abordagens de marcação.
  • Desenvolvimento: equipes de 4 jogadores, em um campo dividido em 2 setores. Assim, 8 jogadores se enfrentam com o objetivo principal de cruzar a linha de fundo adversária com a bola dominada para ganhar 1 ponto.
  • Feedbacks: são realizados com o intuito de que os jogadores busquem gerar constante apoio e linhas de passe ao portador da bola, busquem espaços vazios (principalmente próximos a linha de fundo adversária) e desmarcar-se para que haja rápida transmissão da bola entre eles, pressão constante ao portador da bola e realização de coberturas pelos demais, rápida retirada da bola de zonas de pressão adversária e rápida mudança de comportamento.

Após a exposição das duas atividades, pode surgir a seguinte dúvida: “Ok, mas, Danilo, você disse que as atividades visavam facilitar a equipe para que conseguisse marcar gols. Porém, não há gols e nem goleiros na atividade! Como então estes trabalhos irão facilitar isso?”

Caro leitor, peço que retorne ao primeiro parágrafo do texto. Nestas atividades, não está evidenciada a Referência Operacional do Ataque Alvo (não na forma de balizas defendidas por goleiros), porém todos os outros conteúdos que irão facilitar a equipe a marcar gols estão evidenciados. Basicamente, faz gols a equipe que está com a bola e quanto mais perto da baliza adversária, maior será a chance de se conseguir fazer um gol.

Nestas atividades faço a inserção dos goleiros realizando ações com os pés, e/ou com as mãos. Podendo ser um apoio ofensivo ou um coringa que pode recuperar a bola com as mãos em qualquer parte do campo e a repor para a equipe contrária, ficando a critério da comissão inserir os goleiros da melhor forma como entender para o momento.

Não há empecilhos para que nestas atividades, sejam adicionadas balizas, desde que o treinador saiba como manipular as regras do treino a fim de serem coerentes com os seus objetivos para a sessão.

Muitas variações podem decorrer destas atividades, assim como inúmeros outros exercícios podem ser realizados para se trabalhar estes conteúdos. Convido o leitor para que expresse sua opinião sobre estes exemplos e que traga novos também, afinal, vamos agregar, vamos evoluir, vamos discutir treino!

Comentários

  1. Outro excelente texto! muito didático!

  2. Wagner Ferreira disse:

    Grande profissional , treinador de muito conhecimento , estuda futebol , e tem muita facilidade enorme em partilhar tudo isso , pois é uma pessoa de índole e caráter irretocável. Obrigado por mais uma “aula ” professor . Sempre aprendendo contigo . Grande abraço ! Deus te abençoe .

Deixe uma resposta