Universidade do Futebol

Gustavo Lopes Pires de Souza

26/06/2015

Eles também perderam de 7 da Alemanha

Na última rodada das Eliminatórias para a Eurocopa de 2016, a seleção alemã voltou a vencer marcando 7 gols. Desta vez, a vítima foi o Gibraltar que não marcou sequer um gol de honra.

O Gibraltar é um território britânico ultramarino localizado no extremo sul da Península Ibérica. Trata-se de uma pequena península com uma estreita fronteira terrestre ao norte, e limitado, dos outros lados, respectivamente, pelo Mar Mediterrâneo, Estreito de Gibraltar e Baía de Gibraltar, este último, já no Atlântico.

A Espanha reivindica o Rochedo, o que é não é aceito pela população local, já que em um referendo no ano de 2002, 99% dos votantes rejeitaram qualquer proposta de partilha de soberania entre o Reino Unido e a Espanha.

A Seleção de Gibraltar de Futebol foi criada em 1993 e representa Gibraltar em competições não-oficiais. Seus maiores êxitos no futebol resumem-se aos Jogos das Ilhas, vencidos em 2007.

Como não era filiada à UEFA/ FIFA, até então Gibraltar disputava apenas amistosos e torneios não-oficiais. Em 1993, fez sua primeira partida internacional contra a Seleção das Ilhas Jersey (dependência da Coroa Britânica que não faz parte do Reino Unido), perdendo por 2 a 1. A maior vitória dos Giblets, como são chamados, veio dez anos depois: 19 a 0 contra a Seleção de Sark (ilha pertencente ao grupo de Ilhas do Canal que pertence administrativamente ao bailiwick de Guernsey).

Já a maior derrota de Gibraltar ocorreu também em 1993, quando a equipe perdeu de 5 a 0 da Groenlândia (nação constituinte autônoma do Reino da Dinamarca). A equipe nacional do Gibraltar participa desde 1993 do torneio de futebol dos Jogos das Ilhas, espécie de Olimpíadas entre territórios ultramarinos.

Em 2006, Gibraltar foi convidado para a disputa da primeira FIFI Wild Cup, torneio disputado por seleções não-reconhecidas pela FIFA, oportunidade em que conquistou a terceira colocação. A seleção da República Turca de Chipre do Norte foi a campeã desta competição.

Após rejeições por parte da Espanha e de setores da FIFA e da UEFA em relação à filiação de Gibraltar, o Tribunal Arbitral do Esporte determinou a entrada do território nos dois órgãos.

O Comitê Executivo da Uefa admitiu, então, Associação de Futebol de Gibraltar (GFA) como membro provisório, conforme determinação do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) por meio de resolução exarada em agosto de 2011.

Enfim, em 24 de maio de 2013, durante o XXXVII Congresso Ordinário da UEFA, ocorrido na cidade de Londres, a entidade admitiu Gibraltar como seu 54º membro de pleno direito, apesar da insatisfação da Real Federação Espanhola.

Para evitar conflitos mais acentuados, a UEFA determinou que Gibraltar não enfrente a Espanha em fase eliminatória de torneios.

Diante da decisão do O TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), os clubes de Gibraltar conquistaram o direito de disputar as competições européias e a sua seleção de disputar as eliminatórias da UEFA, entre as quais as fases de qualificação para o Europeu e para a Copa do Mundo.

Criado em 1984, TAS julga conflitos entre partes que não estejam no mesmo país, como Comitês Olímpicos, o COI, federações esportivas, clubes, atletas. Dentre os casos mais comuns, estão as disputas relativas às transferências internacionais de futebolistas e casos de doping.

O Gibraltar lutava pelo seu reconhecimento desde 1997, sempre com oposição da Espanha, primeiro porque os espanhóis reivindicam a posse da pequena península britânica. Segundo porque a filiação de uma Associação de um país não reconhecido pela ONU poderia abrir um perigoso precedente para que a Catalunha e o País Basco (Comunidades Autônomas espanholas) busquem sua filiação.

A primeira experiência oficial do Gibraltar foi a participação na fase de classificação para a Eurocopa de 2014 de futsal, graças ao reconhecimento até então provisório. Na primeira rodada, Gibraltar foi derrotado por Montenegro por 10×2. Em seguida, perdeu para a França por 6×2. Na despedida da competição, bateu San Marino por 7×5.

Gibraltar possui uma competição nacional composta por seis equipes que se enfrentam em quatro turnos, o que assegura uma partida de futebol todos os dias entre os meses de maio e outubro.

Todas as partidas são disputadas no Victoria Stadium, que possui capacidade de cinco mil torcedores e, agora, deverá adequar-se às normativas UEFA/FIFA. Há, ainda, uma segunda divisão, denominada “Liga Reserva”, torneios juvenis, equipes femininas e a Copa del Peñon.

Como o Victoria Stadium não possui os requisitos mínimos de infraestrutura exigidos pela UEFA e a Espanha, por questões políticas inviabiliza as partidas em seu território, a seleção de Gibraltar manda seus jogos em Portugal, no Algarve,

Enfim, não estamos sozinhos no vexame do 7 gols da Alemanha. Basta saber se é o caso de se sentir aliviado ou ainda mais preocupado. 

Comentários

Deixe uma resposta