Universidade do Futebol

UdoF na Mídia

24/08/2016

Especialistas provocam reflexões no futebol: ‘precisamos de mudança’

Em evento da Universidade do Futebol, especialistas falaram sobre a necessidade de profissionalizar as gestões de clubes para desenvolvimento do futebol no Brasil

Gestão e futebol devem andar de mãos dadas. Esta foi a mensagem passada a quem estava presente no auditório do Museu do Futebol, em São Paulo, durante o evento de abertura do curso Gestão Técnica no Futebol, nesta última terça-feira.

Com o intuito de trocar conhecimentos e ajudar no desenvolvimento do esporte mais praticado pelos brasileiros, especialistas discutiram sobre temas relevantes como a formação de jogadores e a transição base-profissional, assim como os principais desafios da gestão esportiva no Brasil. Para eles, a profissionalização de todos os setores em um clube é essencial para desenvolver uma conduta diferenciada no futebol brasileiro:

– A mudança tem que vir de dentro dos próprios clubes, quando um presidente assumir que não tem capacidade técnica para administrar um clube. Não adianta contratar um CEO, porque isso é uma certa doença do Brasil. Enquanto um presidente não admitir que ele não entende de tudo, de marketing, de jurídico, de RH, de gestão, nada vai mudar – afirmou Amir Somoggi, especialista em marketing e gestão esportiva, complementando:

– O Barcelona, por exemplo, gasta 27 milhões de euros com gestão e tem uma estrutura profissional em todas as áreas. Está certo que o Barcelona é uma referência, mas por que nós não podemos fazer o mesmo? A Espanha é um país latino e tem os mesmos defeitos que a gente. O poder que o executivo e o legislativo têm para fazer leis e criar uma mudança estrutural pode acontecer. Precisamos de mudanças – finalizou.

O professor João Paulo Medida, fundador da Universidade do Futebol, que ministra o curso, foi o responsável por conduzir a reunião. O encontro ainda contou com outros grandes profissionais como Agustín Peraita Serra, coordenador da Escola Barcelona em São Paulo, Rodrigo Leitão, coordenador das categorias de base da Ponte Preta e Marcelo Lima, gerente do Ituano.

André Mazzuco, diretor de futebol do Red Bull Brasil, José Francisco Manssur, vice-presidente de comunicação e marketing do São Paulo, e Cícero Souza, gente de futebol do Palmeiras, também estiveram presentes e deram suas visões sobre o cenário do futebol no Brasil e no mundo.

O curso terá duração de quatro meses e será conduzido através de uma plataforma online. O volante Elias, do Corinthians, e o goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, estão entre os alunos matriculados.

Captura de Tela 2016-08-24 às 17.11.37

Comentários

  1. Joel disse:

    Com a abertura de tantos segmentos intrínsecos do futebol, temos a perspectiva que aprenderemos questões básicas e fundamentais, para trabalharmos em consonância com novas cadeias de conteúdo programático,dentro de uma visão sistêmica, que a UdoF nos oferece, visando uma nova realidade, de crescimento e desenvolvimento de nosso bem maior, que é o Futebol.

  2. Tiago Borges disse:

    Trabalho com futebol desde 2008 e sei o quanto este processo é complicado de ser inserido nos clubes, tenho passado por diversas situações que nos remetem a inicio do século XX, mas como sempre falo, devemos continuar a bater nesta tecla a cada dia mais e com a chegada das novas regras(leis) do futebol profissional tenho certeza que deixaremos de ver clubes administrados por profissionais amadores. Em 2014 tive o prazer de realizar este curso que tem um conteúdo nota 10.

  3. Gestão e profissionalismo é um binômio que poderá salvar o futebol da sua desorganização atual.

Deixe uma resposta