Universidade do Futebol

CAAF

30/10/2012

Futebol e a análise tática, uma união necessária para o desenvolvimento

No futebol, é comum afirmarmos que o mesmo é multidimensional, pois há vários aspectos que o integram, como fatores táticos, técnicos, físicos e psicológicos. (Bangsbo, 1993; Miller, 1995).

Nesse sentido, o entendimento do jogo de futebol se faz necessário, principalmente, destacando suas características de imprevisibilidade, irredutibilidade, sendo sistêmico, aonde irá requerer habilidades abertas e alta capacidade de adaptação às necessidades que o próprio jogo expressa.

Ao jogador de futebol, o jogo requer a todo tempo, inúmeras tomadas de decisões em diversos lances, sendo que neste processo, o praticante tem que observar processar e avaliar as situações, para que a partir disso ele tome a melhor ação técnica e tática para a resolução do problema encontrado no jogo.

Sendo o futebol um esporte situacional (Pittera & Riva, 1982; Morino, 1985) de prevalência tática (Gréhaigne, 1992; Garganta, 1997), observa-se a necessidade do analista de jogo em clubes de futebol. O mesmo tem como função observar, coletar e tratar dados a fim de poder oferecer ao clube em que trabalha um feedback e/ou um diagnóstico da performance, afim de que se demonstre os pontos positivos a serem valorizados e os pontos que vão requerer melhorias.

Sendo assim, o aumento de interesse de clubes e acadêmicos por este tipo de trabalho tem demonstrado a valorização e a necessidade de maior sustentação teórica e prática que permita aos analistas passar informações reais sobre o desempenho de sua equipe sendo antes, durante ou após a partida.

No futebol, os instrumentos existentes apresentam variáveis técnicas ou de simples descrição dos eventos do jogo, como o tempo de posse de bola, ocorrência de passes, setor de origem da jogada, entre outros (Castellano Paulis; Hernández Mendo, 2002).

No futebol, poucos estudos buscam a inter-relação entre os componentes deste esporte, a fim de entender o jogo em referência à configuração situacional do futebol.

Sendo assim, podemos realizar questionamentos (Garganta, 2001), para que possamos entender o jogo de futebol de uma melhor maneira:

• Quem – executa a ação?
• Qual – como e de que tipo a ação é realizada?
• Onde – se realiza a ação?
• Quando – é realizada a ação?

Como isso, apresento o CAAF (Centro de Análises Aplicadas ao Futebol), que está inserido no LEPE (Laboratório de Estudos em Pedagogia do Esporte, FCA, Limeira), e que proporciona aos seus integrantes discussões sobre diversas vertentes do futebol através de reuniões periódicas em nosso laboratório, que em crescente expansão e início de produção e divulgação científica (Añon, et. all. 2012; Añon & Scaglia, 2012; Catanha, et. all. 2012; Duarte, et. all. 2012; Lima, et. all. 2012), desenvolveu uma metodologia de análise de jogo, que apresenta e descreve as características do modelo do jogo de equipe de futebol.

Referências bibliográficas:

AÑON, I. C, CATANHA, I. F. L, LIMA, L., VIEIRA, L. M., SANTOS, M. V. R., FRANCHINI, V. H. F., DUARTE, J. G. S., LIZANA, C. J. R., SCAGLIA, A. J., Análise comparativa dos fundamentos técnicos realizados pelo santos F.C. e seus adversários na copa Libertadores da América. In: XIV Congresso Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, 2012, Belo Horizonte. Desporto: cultura, estética e excelência. Belo Horizonte : UFMG/Casa da Educação Física, v. 1. p. 1-1. 2012.

AÑON, I. C., SCAGLIA, A. J., “Scout zona de ação do segundo jogo Barcelona e Real Madrid no Campeonato Espanhol”. V Congresso Brasileiro de Ciências do Futebol. São Paulo, 2012.

BANGSBO, J. (1993): The Physiology of Soccer – with special reference to intense intermittent exercise. August Krogh Institute. University of Copenhagen. Denmark.

CASTELLANO PAULIS, J.; HERNÁNDEZ MENDO, A. Análisis diacrônico de la acción de juego en fútbol. Revista Digital, Buenos Aires, Ano 8, no 45, 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2012.

CATANHA, I. F. L., VIEIRA, L. M., AÑON, I. C., SCAGLIA, A. J., “Scout fundamentos do segundo jogo Barcelona e Real Madrid no Campeonato Espanhol”. V Congresso Brasileiro de Ciências do Futebol. São Paulo, 2012.

DUARTE, J. G. S., AÑON, I. C., SCAGLIA, A. J., “Análise dos dados Técnicos e táticos realizados pelos goleiros no confronto Barcelona e Real Madrid (BBVA 2012)”. V Congresso Brasileiro de Ciências do Futebol. São Paulo, 2012.

GARGANTA, J. (1997): Tactical modelling in soccer. A study about the attack organisatin in top lever soccer teams. PhD Thesis. Faculty of Sport Sciences and Physical Education. University of Porto.

GARGANTA, J. “ A análise da performance nos jogos desportivos. Revisão acerca da análise do jogo.“ Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v.1. n.1. p.57–64. 2001.

GRÉHAIGNE, J.F. (1992): L´Organisation du jeu en football. Editions Actio. Joinville-le-Pont.

LIMA, L. O., AÑON, I. C., SCAGLIA, A. J., “Scout Tempo e número de jogadores por ataque do segundo jogo Barcelona e Real Madrid no Campeonato Espanhol”. V Congresso Brasileiro de Ciências do Futebol. São Paulo, 2012.

MILLER, R. (1995): A “small-game” approach to tactical awareness. Scholastic Coach, 64 (10): 27-30.

MORINO, C. (1985): Alcuni problemi dei giochi sportivi. Rivista di Cultura Sportiva, IV (1): 54-58.

PITTERA, C. & RIVA, C. (1982): Pallavolo – dentro il movimento. Tringale Ed. Torino.

Comentários

Deixe uma resposta