Universidade do Futebol

Geaf

27/07/2010

Goleiros: percepção e antecipação

O posicionamento no gol e as atitudes do goleiro são de grande importância para o seu rendimento e de sua equipe dentro de uma partida. Ele é o único que, durante todo o tempo, se encontra atrás de toda a equipe, observando o posicionamento de seus companheiros e dos adversários, podendo, assim, auxiliar e interferir tanto nos aspectos defensivos quanto ofensivos da sua equipe.

Percepção é basicamente um processo de organização de informações e que depende de ações e experiências passadas. A capacidade perceptiva se desenvolve paralelamente nos processos de aprendizagem e pode ser influenciada pelo nível de rendimento de fatores como atenção seletiva, capacidade sensorial de detecção de informação, memória e processos de processamento de informação no alto nível, como antecipação e predição.

Entende-se por antecipação o processo de resposta motora em função da ação do próprio jogador, do companheiro de equipe ou em função da ação do adversário. Isso implica dizer que, durante todos os momentos do jogo, o jogador deverá observar as ações de seus companheiros e adversários e com base nestas tomar decisões no intuito de executar uma resposta motora adequada que lhe permita se antecipar e deste fato tirar grande vantagem. A antecipação permite diminuir o tempo de resposta, porém, assume o risco de assumir uma resposta errada.

A antecipação, por exemplo, permite que um jogador, mesmo sendo “mais lento” do que o outro do ponto de vista fisiológico, possa atingir mais rapidamente uma área de jogo que lhe seja favorável, porque previu e antecipou a resposta. A capacidade de usar sinais antecipatórios para fazer previsões dos movimentos de jogadores e da bola, normalmente, é mais eficaz em atletas mais experientes.

Goleiros que alcançam alto índice em defesas de pênalti possuem alto capacidade de antecipação, aliado, claro, à velocidade de reação, explosão, elasticidade, dentre outros, já que a bola estará sobre a linha da meta em 0,5s, aproximadamente.

A qualidade das ações do goleiro depende diretamente de sua capacidade de observação. Em um pênalti, por exemplo, quando os sinais relevantes aparecem, o goleiro poderá relacionar as informações com o intuito de antecipar a possível ação do cobrador na penalidade máxima e, assim, encurtar o tempo com um “atalho”.

A capacidade de percepção e antecipação parece revelar-se um indicador fundamental para discriminar jogadores experientes ou inteligentes de jogadores principiantes ou pouco esclarecidos taticamente.


*Adriano Silva Soares é treinador de goleiros da equipe juvenil do Clube Atlético Mineiro, pós-graduado em Treinamento Esportivo (UFMG) e membro do GEAF

Contato: adrianounileste@yahoo.com.br

Leia mais:
Entrevista: Adriano Silva Soares, preparador de goleiros da base do Atlético-MG

Comentários

Deixe uma resposta