Universidade do Futebol

NUPEF

02/05/2013

Identificação e seleção de talentos no futebol

Com a evolução do futebol ao longo dos anos, a necessidade da formação de jogadores vem ganhando um papel cada vez mais importante na estrutura da modalidade.

Para aumentar a possibilidade de aproveitar ao máximo os jogadores advindos das categorias de base, é necessário se investir naqueles que apresentam maior talento e, consequentemente, maior potencial para se destacarem neste esporte.

Segundo Weineck, o atleta talentoso é aquele que apresenta um desempenho esportivo acima da média levando em consideração o grupo de atletas em que este está inserido.

Como são muitos os aspectos que interferem no desempenho do atleta no futebol, é necessário, no momento da seleção de talento, levar em consideração esses aspectos, que são as capacidades físicas, técnicas, psicológicas e táticas do jogador.

Por muito tempo, a detecção de talentos se deu embasada, principalmente, no desenvolvimento físico do atleta, sendo muitas vezes selecionados àqueles que apresentavam estatura e força acima da média para a idade. Hoje, entende-se que esses são fatores realmente importantes para a modalidade, mas de longe são os preditores de alto rendimento.

Ainda tratando do aspecto físico na seleção de talento é necessário levar em consideração não só a estatura e força do jogador, mas também a velocidade, o tempo de reação, a capacidades coordenativas, capacidade aeróbia, capacidade de recuperação às cargas de treino/ jogo e outro fator muito importante que é o estado maturacional.

Em relação à capacidade técnica, entende-se esta como a execução dos gestos motores para a solução de tarefas advindas de cada situação, de maneira eficiente e com o máximo de economia de energia.

Para a avaliação desta capacidade, deve-se levar em consideração a habilidade do atleta em dominar, passar, chutar, cabecear e driblar.

Hoje, há uma grande valorização do atleta que é ambidestro, e dos jogadores que quanto mais novos desenvolvem um melhor domínio na condução de bola, possibilitando-os jogar de "cabeça erguida", aumentando sua capacidade de leitura do jogo, o que é imprescindível para o alto rendimento.

Quando tratamos do aspecto psicológico, nós devemos avaliar nos atletas a sua capacidade de liderança, a maneira como o jogador se relaciona com a equipe dentro e fora do campo, a criatividade, o controle emocional, a competitividade, a confiança, a aplicação aos treinamentos, a tolerância a frustração, a concentração e a disciplina.

Uma ação importante para trabalhar é aspecto psicológico é traçando o perfil psicológico do atleta através de avaliações, para potencializar os pontos fortes e diminuir os pontos fracos.

Já a capacidade tática, que por muitos autores tem sido considerada a mais importante para o alto desempenho no futebol, deixa de ser uma variável que poderia ser medida apenas de forma subjetiva pelos profissionais envolvidos na detecção de talentos e passa a contar com um instrumento, o Sistema de Avaliação Tática no Futebol (FUT-SAT). Este instrumento quantifica o desempenho tático do atleta, levando em consideração os dez princípios táticos fundamentais do futebol, que gera um parâmetro concreto na identificação da capacidade tática do jogador.

Além de identificar os talentos, é importante entender que este talento é atualizável, ou seja, um garoto que com 12 anos é considerado um talento no futebol, mas que não obteve estímulos adequados durante o processo de formação, em uma categoria mais avançada pode ser apenas mais um jogador dentre muitos.

Portanto, o papel do treinador é fundamental nesse processo, sendo ele responsável pela sistematização do treinamento a fim de dar estímulos que desenvolvam as potencialidades dos jogadores de maneira a manter "atualizado" esse talento.

Comentários

Deixe uma resposta para bruno antonio gomes Cancelar resposta