Universidade do Futebol

Artigos

20/08/2009

Influência da avaliação dos pés em atletas de futebol

O futebol associa contato físico, movimentos rápidos e descontínuos. Essas características tornam os praticantes de um dos esportes mais praticados no mundo suscetíveis a lesões. A importância de preveni-las está sendo finalmente difundida, diante da necessidade de proporcionar aumento do desempenho do atleta, através de uma melhora funcional global.

A boa estática, condicionada pelo bom apoio dos pés no chão, proporciona dinâmica articular adequada e movimentos harmônicos, com menor gasto energético. Uma assimetria dos pés repercutirá sempre em estruturas superiores e necessitará de uma adaptação do sistema postural.

A análise da mecânica de um trauma desportivo pode se tornar imprecisa ao ser realizada isoladamente, podendo ocorrer recidivas da lesão, devido ao tratamento terapêutico ineficaz – este não realiza uma avaliação global adequada, buscando a causa da disfunção e relacionando as estruturas subjacentes.

Um desequilíbrio postural jamais se apresenta de forma isolada. Um bom exemplo disso são as lesões recorrentes de joelho, como luxações patelares, frequentes em jogadores de futebol. Elas podem ser causadas por uma má estática dos pés, geralmente associadas à ausência/diminuição do arco plantar, que acarreta na desestruturação das cadeias musculares ascendentes, levando a compensações para áreas adjacentes, como joelho, quadril – há possibilidade de evolução com alterações de tronco, ombro e cabeça.

O desequilíbrio do arco plantar que ocasiona o pé pronado, também conhecido como “pé chato”, leva à rotação interna do eixo da tíbia e do fêmur (geno valgo) e medialização da patela, com compensações no quadril e aumento das curvaturas da coluna.

Pacientes com esse tipo de pé terão uma instabilidade maior em tornozelos e joelhos, sendo mais suscetíveis a lesões limitantes no futebol, como entorses de tornozelo e joelhos.

Outra lesão comum do atleta de futebol é a pubalgia, patologia de difícil tratamento, responsável pelo afastamento do atleta por em média seis meses. É causada por uma sobrecarga abdominal, associada a desequilíbrios pélvico-podais e um overuse da musculatura flexora do quadril, recrutada sempre no momento do chute. É possível prevenir essa lesão por intermédio de uma análise biomecânica do atleta e intervenção nos desequilíbrios musculares de todo o membro inferior.

As lesões no futebol também podem ser associadas ao uso de calçados inadequados, bem como ao tipo de gramado ou solo utilizado. Uma avaliação dos pés e da pisada torna-se indispensável, pois permite identificar alterações estruturais que predispõem desequilíbrios nos mecanismos de controle neuromuscular. A partir dessa análise é possível realizar a adaptação da pisada e prescrição da chuteira correta, de acordo com a distribuição de cargas plantares e dinâmica do caminhar.

Um programa de intervenção na área desportiva dedica-se não somente ao tratamento do atleta lesado, mas principalmente à adoção de medidas preventivas e reparadoras visando potencializar capacidades para melhorar o desempenho durante o jogo. O intuito é reduzir a ocorrência de lesões, as quais, uma vez ocorridas, promovem o afastamento do atleta e o consequente prejuízo para o clube.

*Gracielle Azevedo é fisioterapeuta do ReHaB

Comentários

  1. Amanda Augusto disse:

    Olá! A partir de que idade é aconselhável utilizar uma palmilha ortopédica? Meu filho tem 13 anos e joga futebol no mínimo 3x por semana com treinos de 1h30. Ele tem pé chato e uma leve escoliose

    • leonardo disse:

      Mas vai aonde… Ele não vai ser jogador! Esquece filha! vai trabalhar para enriquecer!

      • Lenilson disse:

        Como é que vc sabe que o filho dela não vai ser jogador?
        Você é sem noção Leonardo esta falando besteira!

    • Paulo Japhet disse:

      Amanda talvez o preocupante não seja nem os pés serem chatos, p preocupante é a escoliose, isso sim pode gerar hernia de disco etc… Ele precisa tratar disso, vai num medico, ele trata esse problrma… Nem sempre ter pés chatos é preocupante, tambem tenho pés chatos…

Deixe uma resposta