Universidade do Futebol

Colunas

10/10/2017

Internacionalizar é preciso

Internacionalizar a comunicação de um clube de futebol não significa apenas conquistar adeptos no exterior, mas antes disso comunicar-se com o mundo

Muito se fala do cenário em que jovens brasileiros optam para torcer por clubes europeus. O que acaba por se tornar grande concorrente dos clubes locais em busca de novos torcedores. A este cenário soma-se a máxima de que antes de buscar internacionalizar a marca de um clube de futebol, é preciso consolidar-se no mercado local.

Como se “Internacionalização” fosse exclusivamente isso.

Sim, é preciso ser mais forte dentro das suas fronteiras. Entretanto, dentro de um ambiente cada vez mais globalizado – como é o futebol – comunicar a instituição vai além da conquista de mercados. É como ela será reconhecida pelo mundo. Dentro do universo da comunicação estratégica do esporte, é a representação fiel e digna dos pilares da organização, da missão, visão e valores que ela possui. Como ela quer ser vista e reconhecida dentro do mercado do esporte, especificamente do futebol.

Foto: AFP PHOTO/Luis Acosta
Foto: AFP PHOTO/Luis Acosta

 

Com o desenvolvimento das comunicações e das redes sociais, o contato com clubes, seleções e ídolos de todo o planeta está diretamente nas palmas das nossas mãos. E nas mãos do mundo inteiro. O nosso idioma está longe de ser o mais falado no planeta e continua sendo grande barreira dentro de um processo de internacionalização. A simples utilização de outros idiomas nas comunicações digitais já confere à instituição uma reputação de agradável e atraente sob a ótica dos seguidores do futebol em outros países. Entretanto, geralmente quando isso acontece no Brasil – da utilização de outros idiomas nas comunicações – é com o objetivo de exportar atletas, não em também comunicar o clube enquanto organização esportiva para fãs do esporte que – em um segundo momento – podem se tornar consumidores.

É importante para uma marca que, para além de ser consumida, ela seja lembrada no mercado. Sobre saber que a marca existe. Entre os exemplos, muito antes de ter expressiva audiência no Brasil ou de contar com vários brasileiros em suas equipes, a NBA (liga norte-americana de basquetebol) já tinha um site em Português-Brasileiro.

Infelizmente iniciativas como estas raramente são levadas a cabo pelos clubes brasileiros e até mesmo pelas seleções de futebol do país. Um jovem daqui que acompanha o esporte saberia citar cinco ou seis clubes de cada potência do futebol mundial. Mas a mesma coisa muito pouco acontece quando os jovens destes outros países são procurados para mencionar clubes brasileiros.

Com tudo isso, dentro de um cenário cada vez mais integrado em escala global, o futebol do Brasil precisa se posicionar para o mercado externo, seus clubes e seleções. Em como querem ser reconhecidos, vistos e lembrados pelos fãs de futebol pelo planeta, tão importantes para uma marca quanto atrair consumidores. Isso é internacionalização.

Comentários

Deixe uma resposta