Universidade do Futebol

Entrevistas

18/04/2015

Lino, jogador do Londrina

Quando falamos em Fernando Santos, sabemos que se trata de um treinador vitorioso, com boa passagem pelo futebol grego e que assumiu a seleção portuguesa de futebol depois da saída de Paulo Bento. O que poucos sabem é a relação do experiente comandante com um lateral brasileiro que hoje tenta conduzir o Londrina à Série A do Campeonato Brasileiro.

O atual treinador de Cristiano Ronaldo em Portugal já teve como xodó um atleta que começou a carreira profissional mais tarde do que a maioria dos atletas e hoje aos 37 anos se sente como um menino. Trata-se de Lino, paulista que começou a carreira no São Caetano quando já tinha duas décadas de vida e tinha de dividir o ofício dos campos com o trabalho em um supermercado.

Em 16 anos de carreira, o canhoto passou por vários clubes, entre eles São Paulo e Fluminense, e deu um passo importante na trajetória própria ao embarcar para a Europa. Em 2006, foi jogar no Acadêmica de Coimbra, e depois de uma temporada já estava no Porto. Lá, cresceu graças a dois treinadores em especial.

“Jesualdo Ferreira é um treinador com uma leitura tática muito apurada. Ele apostou em mim quando eu tinha 29 para 30 anos, abrindo esta exceção de contratar um jogador mais experiente. Mas o Fernando Santos detectou bem minhas qualidades”, elogia Lino, referindo-se ao atual técnico do selecionado lisboeta.

“Consegui adquirir com ele o equilíbrio entre o a participação na defesa e no ataque. Foi ele quem me levou ao PAOK. Sempre me tratou com muito respeito e foi o treinador mais completo com quem trabalhei”, completa.

Em 2008, Lino acertou com o clube da ilha de Creta que disputa o Campeonato Grego. Lá, novamente comandado por Fernando Santos, permaneceu por seis anos. Ídolo, ele superou os problemas econômicos que assolam o país até hoje e deve, no futuro, se tornar uma espécie de representante do PAOK no Brasil.

Nesta entrevista à Universidade do Futebol, Lino fala sobre sua condição física atual e revela por que aceitou o desafio de regressar ao país natal.

Ouça a íntegra:

Comentários

Deixe uma resposta