Longevidade de um técnico pode contribuir para o sucesso do time

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Não é só pela questão cronológica, que é vantajoso um treinador ficar muito tempo em um clube de futebol. A permanência e seqüência de um trabalho só fazem sentido se houver uma clara proposta política, administrativa e metodológica do que diretoria e treinador pretendem executar ao longo de meses ou anos (se é que no Brasil se pode falar em anos de trabalho no mesmo clube para um treinador).
 
Há clubes que chegam ao absurdo de trabalhar com quatro, cinco ou até mais treinadores em uma única temporada de 11 meses. Mas existem algumas raras exceções.
 
Sábado passado assisti ao jogo entre Paulista de Jundiaí e Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro da série B, ao lado do treinador do Paulista, Vagner Mancini.
 
Suspenso, ele teve de assistir ao jogo em uma cabine, acompanhado de alguns auxiliares e do consultor Evandro Mota, que faz palestras motivacionais ao grupo. No banco de reservas ficou o treinador de goleiros, recebendo instruções do técnico.
 
Foi curioso verificar como Mancini pôde realizar um trabalho coordenado com seu grupo interdisciplinar, sem que jamais fosse fragilizado ou comprometido seu papel de treinador, verdadeiro líder da equipe técnica e dos jogadores.
 
Entre várias ocorrências interessantes, a mais marcante deu-se perto dos 30 minutos do primeiro tempo, quando o Paulista vencia por 1 a 0 e passou a ter problemas em seu sistema defensivo. Atento, o treinador decidiu mexer no esquema tático da equipe, o que exigia alterar a postura e posicionamento de vários jogadores.
 
Constatei, impressionado, que entre a decisão de mudar e sua correta aplicação prática, não se passaram mais de dois minutos.
 
Várias razões podem contribuir para que uma ordem do treinador seja cumprida com tanta agilidade. Mas uma delas, com certeza, é que Vagner Mancini é o treinador que há mais tempo está no cargo, entre as 40 equipes que disputam o campeonato brasileiro das séries A e B.
 
Considerando que mais da metade dos treinadores está no cargo há menos de três meses, é de se comemorar que Mancini esteja caminhando para o terceiro ano como treinador do modesto, mas sensato e organizado Paulista de Jundiaí.

Para interagir com o autor: medina@universidadedofutebol.com.br

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais conteúdo valioso