Método individualizado de interpretação das concentrações de creatina

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O calendário das divisões A e B do futebol brasileiro são compostos por variação de jogos de uma a duas vezes na semana, além disso, outros campeonatos regionais possuem esse formato de competição. Dessa forma, o intervalo de recuperação entre uma partida e outra pode não ser suficiente.
A creatina quinase (CK) tem sido amplamente utilizada no futebol com o objetivo de avaliar o estado de micro lesões musculares dos atletas. Com esta avaliação é possível regular as cargas de treinamento para que possa ser evitado que o atleta entre em estado de overtraining, o que pode culminar em lesão.
Tem sido observados valores de referência para interpretação das concentrações de CK no futebol. Contudo, devido à elevada variabilidade individual da CK, que é influenciada pelo estado físico, genética, idade e entre outras características, um valor de referência não é suficiente para individualizar e adequar as cargas de treinamento no futebol.
Portanto, o fisiologista Adriano Lima Alves propõe uma forma individualizada de interpretação dos valores de CK realizada no futebol brasileiro.
Para ler o artigo na íntegra, basta clicar aqui

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais conteúdo valioso