Universidade do Futebol

Entrevistas

26/07/2013

Moisés Cohen, coordenador do centro Fifa-UNIFESP

O mês de julho começou de maneira histórica para o esporte brasileiro. Em especial ao futebol. No dia primeiro, foi inaugurado o Centro Médico de Excelência da Fifa, na Disciplina de Medicina Esportiva e Atividade Física, do Departamento de Ortopedia e Traumatologia, da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp).

Em uma cerimônia que contou com a presença do Prof. Dr. Jiri Dvorak, Chefe do Escritório Médico da entidade máxima do futebol, do Presidente do F-MARC, além de atletas e autoridades governamentais, a cidade de São Paulo recebeu tal certifição.

"Isso nos dá um volume muito grande de conhecimento, de informação e força de trabalho. Com o rótulo da Fifa, o potencial de fazermos trabalhos de nível internacional e levar para o atleta esses benefícios é enorme. Nosso objetivo é ensinar, pesquisar e prestar assistência", explica Moisés Cohen, coordenador do centro e uma das maiores autoridades quando o assunto é medicina esportiva.

Nesta entrevista concedida à Universidade do Futebol, no instituto que leva o seu nome, o doutor Cohen enalteceu a capacidade organizacional da Fifa e a característica social do organismo.

"O melhor médico é aquele que permite ao jogador voltar na hora certa, depois de uma recuperação plena. Isso garante que o jogador continue a praticar a atividade física por muitos anos mais", avalia.

Percebe-se que o melhor tratamento para jogadores de futebol exige muita experiência e precisão não só em diagnósticos e no tratamento das lesões, mas também no pós-tratamento. E a prevenção é um ponto primordial em todo esse processo global.

Todos os centros da Fifa têm de passar por uma rigorosa seleção, e o credenciamento é concedido por um período de cinco anos – em todo o mundo são 34 pólos de excelência.

O doutor Cohen falou ainda sobre a relevância dos aspectos multi e interdisciplinares, da pesquisa de lesões, o que diferencia as iniciativas brasileiras das realizadas pela Uefa e em que patamar se encontram os nossos profissionais formados nessa área.

Centro Médico de Excelência FIFA


 

Interdisciplinaridade no Esporte


 

Credenciamento na FIFA e pesquisa de lesões


 

Qualificação Profissional e Medicina Preventiva


 

A UEFA e as Iniciativas Brasileiras

Leia mais:
Rodrigo Gonçalves Dias, pesquisador do Instituto do Coração
João Pesquero, coordenador do "Atletas do Futuro"
Fernando Catanho, especialista em Bioquímica e Fisiologia

Estudo quantitativo da ação física velocidade em atletas juniores de futebol

Adaptações ao treinamento anaeróbio

Sinônimo de futebol, velocidade é condicionada por fatores genéticos e reação neuromuscular

Comentários

Deixe uma resposta