Universidade do Futebol

Eduardo Fantato

20/12/2011

O currículo de um atleta: o que o clube olha e o que o empresário vende

Olá, amigos!

No texto desta semana, trago à discussão novamente as questões que devem ser consideradas para a contratação de um jogador de futebol, analisando não somente o tão famoso DVD.

E coloco em pauta uma análise por mais de um viés. O primeiro e mais tradicionalmente discutido é relativo ao clube interessado em contratar. Como deve ser analisado o currículo de um atleta para decidir sobre sua aquisição?

Sabemos que é de suma importância agregarmos a maior quantidade de informações sobre o atleta e sobre o perfil de que o clube necessita.

Como se pudéssemos elaborar um checklist de fatos a considerar:

– condição física
– condição técnica
– capacidade tática e de leitura de jogo
– aspectos financeiros
– relacionamento pessoal e personalidade
– aspectos comportamentais
– carências da equipe
– projeção de encaixe e adaptação ao elenco

Enfim, eis alguns dos elementos que o clube deve observar. E será que dá para olhar isso tudo apenas com um DVD?

Com certeza não. É necessário que o clube lance mão de recursos tecnológicos, metodológicos e organizacionais para criar seu acervo de informações para tal fim.

Aí, esbarramos num outro aspecto que caracterizamos como o viés de quem quer vender o jogador. Quem vende um jogador e por que? Essa pergunta é chave para entender um pouco desse viés.

O empresário e o próprio atleta podem tentar fechar uma negociação por seus interesses ou ainda o clube pode desejar que o atleta seja negociado por diferentes motivos. Tanto num caso como no outro a parte interessada influencia diretamente no que é apresentado.

Ou vocês acham que um DVD de um empresário apresentará as fraquezas de seu jogador? Lógico que não. Um DVD é composto sempre pelos melhores momentos do atleta em diferentes funções, é verdade, mas nunca com suas falhas.

Concordo que seria ilógico tentar vender algo mostrando seus defeitos. Mas será que não é possível ser mais detalhista para valorizar o desempenho de seus atletas, e mesmo que esses detalhes exponham uma ou outra fraqueza, apresentar possibilidades de adaptação?

O atleta precisa criar uma espécie de currículo, com seu histórico profissional e de desempenho, baseado em informações padronizadas, pois não tem cabimento – e isso ocorre no cenário do futebol – manipular informações para dar destaque para um jogador e escondê-las de outros para evitar expor suas fraquezas. Que credibilidade tem o empresário que usa métodos diferentes? Por isso o DVD é mais fácil e acaba se tornando uma ferramenta universal? Mas será que isso não está mudando?

É complicado, porém o atleta tem de criar um currículo. Não basta ficar apenas no DVD, mas, mais do que isso, é necessário que quem avalia também tenha critérios e conhecimento para analisar tal currículo, pois caso contrário as imagens dirão mais que mil palavras e os fiascos poderão ocorrer.

Para interagir com o autor: fantato@universidadedofutebol.com.br

Comentários

  1. ArnaldC. disse:

    Gratidão Eduardo .

Deixe uma resposta