Universidade do Futebol

Bruno Baquete

06/11/2011

O esquema tático: estruturando a linha defensiva

O Modelo de Jogo, como sabemos, é o norte que orienta as ações dos jogadores nos diferentes momentos da partida.

Esse norte é balizado por inúmeras referências que se integram e se relacionam complexamente.

O esquema tático é uma das referências e não a única dentro do modelo.

Sendo uma das referências, o esquema não garante por si só a “ofensividade” ou a “defensividade” de uma equipe, ou seja, jogar com três atacantes não quer dizer que minha equipe é ofensiva, ou jogar com cinco na linha de defesa quer dizer que estou na retranca: tudo depende de como o esquema tático está se relacionando e sendo utilizando para o cumprimento do modelo e dos objetivos dentro do jogo!

Contudo, não podemos negar que essa referência é fundamental (Será? Podemos jogar sem um esquema tático?) para a estruturação do espaço do jogo e precisa ser desenvolvida no dia a dia de treino.

Para que o esquema seja treinado é preciso antes de tudo que ele seja definido, juntamente com o Modelo de Jogo da equipe.

Não vamos definir aqui todo o Modelo de Jogo e apresentar um processo completo para o desenvolvimento do esquema tático em especial.

Vou definir a dinâmica que envolve a linha defensiva dentro do 1-4-4-2 em linha e apresentar três atividades para o seu desenvolvimento.

Volto a destacar que dentro do 1-4-4-2 existem “n” possibilidades e vou explorar uma delas.

Pois bem!

Em meu Modelo de Jogo hipotético, pensando na “linha de 4” defensiva, minha equipe irá se comportar a partir de uma marcação zonal com a participação do goleiro como um elemento que fará a cobertura dos defensores.


 

Além disso, a linha defensiva terá como princípio operacional de defesa a recuperação da posse de bola nas laterais do campo e impedir progressão na região central, onde os jogadores devem direcionar a jogada para as laterais.


 

Quando a bola entrar nos corredores do campo, os laterais devem pressionar a bola e os demais jogadores da linha devem se movimentar a fim de criar uma linha de três jogadores atrás do atleta que realiza a pressão.


 

(Vejam que um Modelo de Jogo contém muito mais conteúdos, mas utilizarei apenas esses dentro da organização defensiva para fins didáticos)

Sendo assim, posso elaborar algumas atividades para desenvolver o jogar específico de minha linha defensiva.

Vale a pena destacar que essa linha não deve ser confundida com linha de impedimento, pois sua dinâmica não busca deixar o adversário nesta condição, mas sim neutralizar o ataque adversário.

Atividade 1

Descrição
– Atividade de 4 X 4 + Coringa , em que o objetivo das equipes é fazer o gol nos golzinhos adversários.

Regras e Pontuação
– Região central do campo: dois toques na bola.
– Gol nos golzinhos vale 1.

Atividade 2

Descrição
– Atividade de 4 + Goleiro + Coringa X 5 , em que o objetivo da defesa é recuperar a bola nas laterais do campo e fazer um passe para o coringa posicionado no meio-campo. O ataque deve fazer o gol.

Regras e Pontuação
– A linha defensiva não pode realizar desarmes na região central do campo, enquanto os jogadores do ataque só podem dar dois toques na bola nesse espaço. Dentro da área e nas laterais do campo é livre.
– Gol vale 3.
– Fazer o passe para o coringa vale 1.

 

Atividade 3

Descrição
– Atividade de 4 + Goleiro X 6.

Regras e Pontuação
– Defesa marca ponto quando recuperar a bola nas faixas laterais do campo (1 ponto) ou quando trocar cinco passes (1 ponto).
– Ataque marca ponto quando fizer o gol no gol oficial (3 pontos) ou nos golzinhos (1 ponto).

 

Defender é mais que correr atrás do adversário!

Até a próxima!

Para interagir com o autor: bruno@universidadedofutebol.com.br 

Comentários

Deixe uma resposta