O time de futebol: um grupo ou uma equipe?

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Hoje resolvi falar um pouco sobre a questão da integração e engajamento de atletas numa equipe de futebol.
Vemos com frequência os jogadores comentarem sobre o grupo, que fazem parte do grupo ou que o grupo está unido e por aí vai. Porém, se observarmos detalhadamente o desempenho de algumas equipes, poderemos perceber que algo não está plenamente encaixado dentro e/ou fora de campo. Em alguns momentos os desencontros são visíveis, sejam eles reflexos de uma jogada mal executada ou numa declaração desalinhada.
Com isso podemos refletir sobre o fato de que em alguns grupos ainda podemos não ter equipes estabelecidas de verdade. Quero dizer, times onde os atletas colaboram efetivamente uns com os outros, que saibam exatamente seus papéis e suas responsabilidades, bem como onde podem ir além em favor da equipe, para obterem os verdadeiros e valiosos resultados tão esperados por todos os envolvidos e interessados.
Então, agora trago rapidamente a questão do tal engajamento.
O engajamento profissional tem a ver com a coneção das pessoas com o seu trabalho e com a organização ou clube para a qual se dedicam. Profissionais engajados entendem seu papel no contexto dos objetivos comuns e, por isso, dão valor ao seu trabalho e garantem uma contribuição produtiva efetiva.
Podemos compreender que o engajamento está diretamente ligado à motivação, ou seja, ele não se compra. Agora, podemos também entender que o engajamento não é simplesmente um projeto de temporada com objetivos claros e um prazo final. O trabalho com engajamento nunca é “acabado”. É um processo contínuo, de melhoria contínua que pode permear várias temporadas.
O engajamento é importante para qualquer equipe, pois tem impacto direto na produtividade e performance que se traduz em resultados dentro e fora de campo.
Parece complicado promover esse tal engajamento? Vamos lá, temos algumas dicas que podem ajudar.
1. Conheça seu atleta: conhecer suas habilidades e competências é muito importante para saber como explorar seu potencial, para estimulá-lo a cumprir as atividades esportivas com eficiência e ter a certeza de que ele fará tudo de maneira mais confortável e estará confiante.
2. Acompanhe e reconheça: muitas vezes, a frustração do atleta pode estar relacionada ao não reconhecimento pelo bom trabalho que ele realiza. Por isso, os treinadores e gestores precisam monitorar e recompensar seus atletas, para que mais do que cumprir tarefas, eles queiram superar seus próprios limites!
3. Dê feedback: é com ele que se poderá alinhar a expectativa entre o que se deseja dele e o atleta.
4. Estabeleça metas e recompensas: é importante que o atleta compreenda as metas da equipe e como eles poderão alcançá-las. Além de saber exatamente quais recompensas lhe espera ao final da jornada.
5. Crie um significado: tem muito valor para uma atleta conhecer o significado e importância da atividade que desempenha, a importância do seu papel no todo.
6. Incentive o espírito de equipe: trabalhar em equipe é a melhor maneira de levar o time para uma única direção. Assim, a elevada consciência sobre a importância da coletividade contribuirá para que a percepção de importância dos resultados coletivos seja sempre maior do que aquela alcançada individualmente. De quebra ainda se promove um ambiente mais agradável para todos que dele participam.
Então, vamos construir mais equipes do que apenas grupos no futebol brasileiro?
Abraços e até a próxima.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
neyber
neyber
4 anos atrás

de fato concordo com seus pontos de vista mas,vou acrescentar outros que atuam diretamente nos esportes coletivos aonde podemos identifica-los com um simples fator, não temos muitas pesquisas nos desporto coletivos que seria de relevância fundamental nesse procedimento,pois,o interesse do governo em não provocar ajuda para os profissionais que atuam em diversas áreas, parecem proposital haja visto,que quanto pior melhor e podemos associar que nosso principal produto coletivo cai pelas tabelas pelo fato de colocar-nos para tomar frente pessoas não preparadas para assumir tal cargo ou função e sim o jogo político de indicações de amigos que não querem contribuir… Read more »

Mais conteúdo valioso