Universidade do Futebol

Futciência

18/03/2010

Os blogs esportivos como meios de comunicação

RESUMO

Este trabalho apresenta um estudo sobre os blogs esportivos brasileiros. O objetivo é entender qual o papel destas ferramentas para o jornalismo. O artigo busca descobrir se os blogs podem ser considerados como meios de comunicação ou apenas uma das possibilidades de se comunicar por meio da internet, este sim já um meio reconhecido como tal.

INTRODUÇÃO

Não existe consenso quanto ao início dos weblogs [o termo weblog vem do inglês e significa diário pessoal na internet] no mundo, mas uma das teorias mais aceitas é de que tenha surgido em 1997 nos Estados Unidos. Jorn Barger teria criado o “robot wisdom” o primeiro blog. Foi Barger quem usou a denominação Weblog pela primeira vez para ao seu site. A título de curiosidade, Barger também é o autor de um dos primeiros FAQs (Frequently Asked Questions), conhecido no Brasil por “perguntas freqüentes”.

Os blogs tinham uma estrutura diferente da mais comum dos dias de hoje. Eram páginas com um layout rudimentar, mas que tinham foco no conteúdo. Os blogueiros, autores dos blogs, costumavam resumir as notícias e criar links para outras páginas com os créditos ao real autor da notícia.

Já no ano de 2000, empresas de softwares passaram a investir na criação de programas para atualização de blogs. Um desses é o blogger, uma das mais famosas ferramentas de publicação de blogs do mundo. Com esses softwares ficou dispensável o conhecimento em programação para a criação de blogs e isto acabou democratizando a ferramenta, que passou a ser utilizada por milhões de pessoas.

Para se ter uma ideia a blogosfera, termo que define o mundo dos blogs, era de menos de 50 blogs em 1999. No final de 2000 o número já havia saltado para mais de mil. Três anos depois a blogosfera atingiu a marca de quatro milhões de blogs. Segundo estudos do site Technorati (http://www.technorati.com) denominado “State of blogosphere” existem hoje cerca de 133 milhões de blogs e esses números crescem vertiginosamente, tendendo a dobrar a cada seis meses.

Ao contrário de outras ferramentas de comunicação, os blogs não demoraram a chegar ao Brasil. O primeiro blog brasileiro que se tem registro é datado de fevereiro de 1998. Porém a gaúcha Viviane Vaz de Menezes criou seu blog, o Delights to cheer, todo em inglês. O primeiro a ser escrito em português foi criado um mês depois por Renato Pedro Junior e se chamava Diário da megalópole. O blog Zamorim (http://zamorim.com), criado em março de 2000, é o mais antigo ainda em atividade no país.

Apesar de todo esse sucesso imediato, ainda não existem muitos estudos sobre os blogs, suas origens e suas perspectivas, por isso essa história não é aceita com consenso. Além disso, não há registros confiáveis sobre o histórico dos blogs esportivos, reais objetos de pesquisa desse artigo científico.

Essa nova maneira de se ler, e por conseqüência escrever, na internet trouxe uma nova maneira de se entender a comunicação. Apesar do domínio da escrita pela maioria da população mundial, poucos eram os que tinham a oportunidade de se fazer ouvir, de expor suas idéias. Agora, com a democratização desse meio de comunicação, os blogs, qualquer um pode ser um comunicador. E, mais importante que isso, não apenas para seu grupo de convívio, mas de todo o mundo.

Outro ponto importante a ser estudado é a nova possibilidade de agrupamento. Podemos, com a chamada blogosfera, criar novas aldeias através dos interesses e não das barreiras geográficas. Não importa onde se mora, se gosta de futebol, por exemplo, o sujeito pode se unir a uma comunidade que discute futebol. O pesquisador Pierre Levy assim definiu as novas “aldeias”:

“Uma comunidade virtual pode, por exemplo, organizar-se sobre uma base de afinidade por intermédio de sistemas de comunicação telemáticos. Seus membros estão reunidos pelos mesmos núcleos de interesses, pelos mesmos problemas: a geografia, contingente, não é mais nem um ponto
de partida, nem uma coerção. Apesar de “não-presente”, essa comunidade está repleta de paixões e de projetos, de conflitos e de amizades. Ela vive sem lugar de referência estável: em toda parte onde se encontrem seus membros móveis… ou em parte alguma. A virtualização reinventa uma cultura nômade, não por uma volta ao paleolítico nem às antigas civilizações de pastores, mas fazendo surgir um meio de interações sociais onde as relações se reconfiguram com um mínimo de inércia”
(LEVY, 1996, p. 20).

Isto posto, O objetivo deste trabalho é identificar como os blogs esportivos brasileiros se tornaram meios democráticos de comunicação. Porém, com essa facilidade de se ter um blog, são eles meios confiáveis de divulgação de notícias?

Acreditamos que os blogs esportivos brasileiros podem sim ser meios confiáveis de divulgação de notícias, desde que nos atentemos a alguns detalhes na hora de julgar um blog, como quem é o autor, se as informações publicadas são checadas pelo autor, dentre outros.

Para obtermos as respostas quanto aos objetivos propostos no artigo, serão feitos alguns questionamentos básicos para nortearem as pesquisas, são eles:

– Como separar os blogs informativos, de caráter jornalístico, dos demais?
– Qual a opinião dos blogueiros, excepcionalmente os esportivos, quanto ao
conteúdo da blogosfera esportiva brasileira?
– Como os blogueiros recebem o feedback dos leitores?

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

Comentários

Deixe uma resposta