Universidade do Futebol

Artigos

26/07/2007

Papel da musculatura do ombro em lançamentos do goleiro

Quando o goleiro realiza um lançamento com a mão, a articulação do ombro se distende consideravelmente e exige muita ação muscular do membro superior para controlar e contribuir com o movimento, apesar do membro inferior também ser um contribuinte importante para a geração de força no lançamento.

Este tipo de movimento pode ser dividido em três fases. Na fase preparatória – pouco tempo depois de escolher para quem lançará a bola, o goleiro toma impulso, onde a intensidade varia de acordo com a distância onde se encontra seu companheiro em condições de receber a bola – a mão e a bola recuam para o lado do corpo, antes do lançamento.

Isto se consegue com abdução e rotação externa do braço, retração ou adução da escápula e flexão do antebraço. Também ocorre a propulsão para a frente do corpo pela extensão do membro inferior e o tronco gira para mover a mão.

Nesta fase de preparação a atividade muscular é mínima nos estágios iniciais, mas torna-se importante no final, quando o braço está rodado externamente ao máximo e o tronco começa a fazer rotação para um dos lados enquanto move-se para a frente.

Aceleração

A fase seguinte é a da aceleração, uma ação explosiva que é marcada pelo início da extensão do cotovelo, rotação interna do braço com variados graus de abdução e alguma flexão horizontal à medida que o braço é trazido para a frente.

Segundo os professores norte-americanos Joseph Hamill e Kathleen M. Knutzen1, “os músculos mais ativos na fase de aceleração são aqueles que iniciaram sua atividade tardiamente na fase de preparação, incluindo: subescapular, grande dorsal, redondo maior e peitoral maior, gerando os movimentos de flexão horizontal e rotação interna; o serrátil anterior, que traciona a escápula para frente em protração ou abdução; e o tríceps braquial, que inicia e controla a extensão do antebraço”. Os músculos que são pouco ativos na fase de aceleração são o bíceps braquial, o trapézio, o infra-espinhoso e o redondo menor.

Desaceleração

A última fase do lançamento é a desaceleração, quando o braço se retrai e volta para sua posição normal. Ainda de acordo com os professores, “essa fase começa após a liberação da bola e, nas fases iniciais, após a rotação interna máxima ser alcançada na articulação, há uma ação muscular muito rápida que resulta em rotação externa e flexão horizontal do braço. Em seguida, nos estágios finais do seguimento, ocorre rotação do tronco, e a repetição dos movimentos de ombro e escápula (…)”. Nesta fase do lançamento, a cápsula posterior e músculos correspondentes correm risco de lesão, pois são alongados rapidamente.

Bibliografia

Joseph Hamill e Kathleen M. Knutzen. Bases biomecânicas do movimento humano . Editora Manole, 1999.

 

Comentários

Deixe uma resposta