Universidade do Futebol

NUPEF

04/10/2013

Posse de bola no futebol: indicador determinante para os últimos campeões mundiais?

O tempo de posse de bola é um dos indicadores de performance mais estudados no futebol atual. Estudos comprovam que a prevalência desse indicador é fator diferencial entre equipes vencedoras e perdedoras (JAMES; JONES; MELLALIEU, 2004; LAGO; MARTÍN, 2007)

Apesar da discussão em torno do tempo de posse de bola como característica determinante para o sucesso de uma equipe, a importância de se conhecer as características das equipes campeãs através de dados fidedignos de competições de futebol se faz necessária, uma vez que através disso, tem-se um maior conhecimento da variável em equipes de alto nível (GARGANTA, 2001). E nada melhor do que identificar características nas equipes campeãs da Copa do Mundo de Futebol FIFA™, a competição de futebol mais importante do mundo.

A partir disso, objetivou-se identificar como se deu a posse de bola das últimas equipes campeãs da Copa do Mundo de Futebol FIFA™, Brasil (edição de 2002), Itália (edição de 2006) e Espanha (edição de 2010). A questão a ser respondida é: a prevalência do tempo de posse de bola foi característica das equipes campeãs?

De acordo com o site da Federação Internacional de Futebol (FIFA, 2010), coletou-se a porcentagem do tempo de posse de bola em todos os jogos das últimas três equipes campeãs mundiais, identificando a prevalência desse indicador em relação a seus adversários.

Os resultados apresentaram que o Brasil, equipe campeã da Copa do Mundo de 2002, obteve prevalência do tempo de posse de bola em 4 dos 7 jogos da competição. A Itália, campeã da Copa do Mundo de 2006, obteve prevalência do tempo de posse de bola também em 4 dos 7 jogos da competição. Por último, a Espanha, campeã da Copa do Mundo de 2010, obteve prevalência do tempo de posse de bola em 7 dos 7 jogos da competição.

Conclui-se com os resultados, que ocorreu prevalência do tempo de posse de bola entre as equipes campeãs das últimas três edições da Copa do Mundo, sendo destacada a prevalência da variável na equipe da Espanha (prevalência do tempo de posse de bola em 7 dos 7 jogos). Esse resultado em específico pode ser explicado pelo modelo de jogo espanhol, no qual o maior tempo de posse de bola e a sua prevalência jogos é característica marcante na equipe (ANDRADE; PADILHA; TEOLDO, 2012).

Por fim, têm-se alguns dados que podem nos ajudar a entender os indicadores de performance que são relacionados ao sucesso no futebol, destacando a importância da realização de estudos que atentem-se à posse de bola nas principais equipes de futebol.

Referências:

ANDRADE, M. O. C.; PADILHA, M. B.; TEOLDO, I. Análise da Posse de Bola da Seleção Espanhola na Copa do Mundo de Futebol FIFA™ – África do Sul/2010: Estudo Comparativo entre as fases Classificatória e Eliminatória. Revista Mineira de Educação Física, v.3, n.7, p.2071-2079. 2012.

FIFA. Statistics from 2002, 2006 and 2010 FIFA World Cups: FIFA.COM. Acessado em: 30/06/2013. 2010.

GARGANTA, J. A análise da performance nos jogos desportivos. Revisão acerca da análise do jogo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v.1, n.1, p.57–64. 2001.

JAMES, N.; JONES, P. D.; MELLALIEU, S. D. Possession as a performance indicator in soccer. International Journal of Performance Analysis in Sport, v.4, n.1, p.98-102. 2004.

LAGO, C.; MARTÍN, R. Determinants of possession of the ball in soccer. Journal of Sports Sciences, v.25, n.9, p.969 – 974. 2007.

 

Comentários

Deixe uma resposta