Universidade do Futebol

Ceaf

18/08/2008

Princípios defensivos no futebol

No futebol mundial, os sistemas táticos estão em constante evolução. Isso por conta da modernidade dos tempos, que não somente atinge diretamente o futebol, mas em todos os setores da vida. Pensando nesta contemporaneidade, a ação técnico-tática despertou através deste período nos treinadores, estratégias que anulassem as atuações com êxito do adversário. E como fazer para evitar estas ações? É o que o texto abaixo tentará abordar:

É necessário termos em mente os conceitos de: flutuação, cobertura ofensiva e compactação. A flutuação é um movimento tático defensivo que está ligado ao fato da equipe definir a marcação fechando as linhas de passe do adversário, de modo que, nesta ação defensiva não se marca individualmente, mas sim por setores. Abaixo, o esquema de flutuação em duas linhas de 4:


Fig. 1: Marcação em setor, com os jogadores fechando as linhas de passes onde a bola está localizada.

Esta marcação é um princípio defensivo, e pode ser feita nos setores recuado, intermediário ou de pressão. Juntamente com a flutuação está também a compactação, que faz com que os jogadores fiquem próximos em ações defensivas para que em um eventual desarme, o time mantenha sua estruturação ao dar início à uma nova posse de bola. Sendo assim, o sistema de ataque não se compromete e evita a perda constante na transição ofensiva.

Seria fácil somente dizer que o princípio defensivo é um ato de quem está sem a bola, mas quem está com a bola também não se defende? O fato de a equipe reter a bola já é um princípio defensivo, que se o entendimento do grupo não for completo cederá o contra ataque a todo o momento, por quê? Trata-se da cobertura ofensiva que sempre ocorrerá se houver um jogador dando suporte por trás da jogada que está sendo realizada.

Conceituar estes princípios pode ser muito fácil teoricamente, mas na prática a sistematização necessita de muito planejamento, ou seja, ter em mente aonde quer chegar com a equipe, pois a grande dificuldade do futebol brasileiro é que os treinadores somente visam o imediato e não o processo, sendo que trabalhar o princípio defensivo é se arriscar em termos de resultados, já que os jogadores passarão por um plano de aprendizagem a médio e longo prazo; mas isso também é culpa das diretorias que também não acreditam nesta metodologia.

Modernizar o futebol não é somente um ato de investir em tecnologia ou em estrutura física, mas sim em pensamentos modernos e estudos que proporcionam ao treinador um ambiente de constante ruptura de paradigmas que fazem as pessoas sempre saírem da zona de conforto e se arriscarem ao novo.

Comentários

Deixe uma resposta