Universidade do Futebol

Artigos

06/04/2016

Qual é o melhor caminho para ser treinador no Brasil?

O futebol brasileiro está muito atrasado taticamente. Esta afirmação vem se tornando cada vez mais frequente em qualquer conversa ou discussão quando se fala da evidente grande crise que nosso futebol vem enfrentando nos últimos tempos. Muito desse atraso cada vez mais evidente apresentado no nosso jogo é sempre relacionado ao atraso dos nossos treinadores e a necessidade de renovação e atualização dos profissionais para que nossa forma de jogar se modernize.

Essa renovação dos nossos técnicos é algo saudável e que muitas vezes se mostra necessária. No entanto, quando se defende essa renovação pouco se discute uma questão muito importante: como se formam os treinadores no Brasil?

Apesar de existirem bons cursos a serem feitos por quem tem interesse (a própria Universidade futebol disponibiliza vários deles), ainda não possuímos um curso superior ou um “caminho único” para quem quer ser treinador no país. Não possuímos nenhuma regulamentação obrigatória para exercer a profissão, sendo assim qualquer um hoje pode ser treinador de futebol no Brasil, independente de suas qualificações ou estudos, basta que algum clube julgue o indivíduo preparado para o cargo.

Se realmente temos a inteção de evoluir e voltar a ser o melhor futebol do mundo, com toda certeza um dos passos mais fundamentais é desenvolver um curso de formação obrigatório para quem quiser ser treinador de futebol no país, com “módulos bem desenvolvidos e gerando um “padrão obrigatório de formação” ( importante ressaltar, porém, que isso não significa tornar a faculdade de educação física obrigatória para o cargo, pois o futebol exige que quem trabalhe com ele tenha uma formação específica para isso, de acordo com suas particularidades, algo que a formação em educação física não abrange totalmente).

Como ouvimos frequentemente, a formação do treinador no Brasil ainda é autodidata, dependendo do que cada um julga ser melhor fazer (ou não fazer) para se preparar. Existem inúmeros países que realizam a formação dos treinadores de maneira profissional e servem de exemplo para nos inspirarmos para que, por meio de debates e ações, possamos desenvolver urgentemente nosso próprio padrão de formação de técnicos, e assim avançarmos rumo à recuperação do nosso futebol.

Enquanto essa necessidade não vira realidade, fica a pergunta: qual o melhor caminho para ser treinador no Brasil?

Comentários

  1. isso e a pura realidade do nosso futebol por isso quero me especializar cada vez mais para para ser um grande treinador

    • josé nilton araujo silva disse:

      meu sonho é ser treinador de futebol queria muito treina grande time do brasil principalmente meu time do coração eu estuda pra consigui e min forma no senario brasileiro

    • Carlos Rafael De Oliveira Pinto disse:

      Meu sonho é colocar times pequenos no topo! Isso é uma grande aspiração.

  2. Gilson Granzotto disse:

    Se a classe fosse mais unidade se tivessemos palestras reunioes troca de idéias e muitas outras coisas entre todos os “treinadores” acredito que muita coisa boa teriamos para melhorar e qualificar nosso nivel de trabalho e nos valorizarmos muito mais profissionalmente essa é minha opniao
    Gilson Granzotto ex Gama e atual campeao estadua de Brasilial 2015.
    Abs Carlinho estou plenamente de acordo

  3. Renan Nunes disse:

    Creio que o curso de Educação Física é essencial para o trabalho de treinador. Aqui mesmo no site temos conteúdos que são diferentes entre si, mas que compõem a estrutura de treinamento, como fisiologia, bioquímica, treinamento de força, psicologia do esporte, crescimento e desenvolvimento motor (quando falamos de categoria de base), teorias de treinamento desportivo (metodologia) e até gestão. O treinador precisa saber disso tudo de forma aprofundada? Não. Mas precisa entender o básico disso. Aprofundamento ele tem que ter na parte técnico-tática, mas nas outras ele vai simplesmente acatar o que estão lhe dizendo sem senso crítico algum? Simplesmente porque não fez um curso superior. Acho que deveria ser obrigatório o curso de Educação Física e o curso de treinador ser uma especialização, como foi dito no texto, bem estruturada e com módulos definidos para a melhoria do nível de técnicos no Brasil. Estudar sempre é bom e conhecimento nunca é demais.

  4. HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

    Se a dificuldade era essa (carência de conteúdo, etc.), não é mais. Foi lançado agora recentemente um livro que contempla de forma abrangente o essencial para se trabalhar o futebol ou qualquer esporte, que é o livro “FUTEBOL: UMA REVOLUÇÃO À VISTA – Decifrados, enfim, os segredos da genialidade de nossos craques”. Confira e adquira seu exemplar pelo site http://www.clubedeautores.com.br.

  5. infelizmente o futebol brasileiro cada vez mais perderá espaço. tendo o Sr. Romario dando autonomia em uma lei para que ex jogadores possam exercer a função de técnico, mostra a regressão em que vivemos.
    o brasil precisa se atualizar e regimentar um padrão de formação mínima e atualizada de conceitos de futebol, não somente a parte tática, mas, também psico-cognitiva da formação de jogador de futebol. Sem essas formações cada vez mais daremos passos largos à decadência do futebol nacional.

    • HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

      Sr. Allan, o problema é que achamos o que seja uma formação para os técnicos de futebol, e que o que está disponível através dos cursos de educação física e nas diversas publicações e até mesmo hauridos da experiência por ex-jogadores esteja correto, mas nós questionamos isto. Ao contrário toda a nossa cultura nesta área é equívoco monstro tanto pelo lado da formação acadêmica quanto do lado de uma formação empírica de ex-jogadores, por suposto.
      Por exemplo, todos os treinamentos aplicados aos atletas do futebol desde as categorias de base, juntamente com a psicologia que os acompanham, sejam formal ou informal, estão na verdade é lesando o cérebro desses atletas, ou seja, estamos é destruindo os nossos craques, e por isto é que quando assistimos uma Copa São Paulo, ou qualquer torneio no Brasil, vemos times inteiros formados com jogadores limitados e praticando um futebol medíocre e feio, e lógico, que resultado das práticas adotadas baseadas neste paradigma que vige atualmente no futebol. Enquanto não mudarmos toda esta cultura calcada no chamado “método positivo” a tendência vai ser esta, e isto, se não piorar! Ou seja, vamos chegar na situação paradoxal de que quanto mais nos esforçarmos nesta nossa filosofia atual, maiores vão ser os estragos,
      independente da formação que eles detenham. Pode?
      E é exatamente o que o livro “FUTEBOL: UMA REVOLUÇÃO Á VISTA – Decifrados, enfim, os Segredos da Genialidade de Nossos Craques” investiga, e que acreditamos, traz a solução para este e muitos outros problemas que assolam o futebol brasileiro.

  6. Edson Souza disse:

    Claro que o ideal é que se padronize a formação de treinadores através de cursos a serem ministrados pelas instituições competentes que tratam com futebol . Porém a maior escola de futebol é o dia dia, a convivência com as particularidades que há no futebol . Como jogador durante vinte e cinco anos e com passagens por grandes e pequenos clubes e com oportunidade de trabalhar em cinco países diversos adquiri experiências que muito me ajudaram na minha preparação como treinador , juntamente com os cursos que participei . Penso que a possibilidade de ser treinador está aberto a todos independente se foi jogador ou não, ao meu ver se trata de você tem ou não competência para administrar as particularidades do futebol e principalmente o ego dos jogadores .
    Edson Souza .

    • HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

      Um grande problema no atual modelo vigente no futebol é que ninguém investiga os princípios que regem todo o aporte cultural por trás de nossas práticas dentro desse esporte, e se estes princípios estiverem errados, como afirmamos que estão em sua essência primeira, não adianta nada instituir cursos de formação para técnicos e ou mesmo uma universidade específica para o setor antes de substituirmos estes princípios, sob pena de tonarmos estes mesmos erros mais sofisticados, e portanto com um poder de causar um dano maior ao futebol, que é contrário do que se pretende.
      E onde está o erro neste paradigma atual?
      Está no. entre outros inúmeros, chamado “método positivo”. Esta abordagem positiva parte de um equívoco lógico e epistemológico que aparentemente começou ainda com Platão e Aristóteles, que parte do princípio de que se aprende, em outras palavras de que superamos nossas limitações, deficiências e problemas, etc., buscando o oposto do que temos que transformar, que supõe a falácia do chamado esforço, da repetição, do desenvolvimento (na psique não há desenvolvimento, na verdade na economia humana existem duas áreas totalmente diferentes entre si, com instrumentos específicos para cada uma: a área material, física e do fazer, onde cabe o pensamento, o conhecimento, como seu planejamento, esforço, etc., e a área da psique, dos relacionamentos, da ação, onde é preto no branco, que não cabe o tempo e o desenvolvimento, etc.), do progresso, etc., e que infelizmente é a base de todas as nossas ações seja no futebol ou em qualquer área da atividade humana.
      Mas, de fato, a solução do problema está no próprio problema, e não em outro lugar, e assim é a percepção (mas, atenção, não qualquer percepção, pois, para os gregos existiriam ao menos quatro formas de ver: blepen, teorein, eiden e opsetai) em vez do pensamento, o instrumento mais adequado tanto para a vida quanto para o futebol.
      Então a primeira coisa é aprender a ver, coisa que nunca é ventilada no futebol, e com base numa nova psicologia ( favor conferir na obra citada em outro comentário nosso nessa coluna acima), Pelé foi o craque genial que foi por sua capacidade de ver (eiden), ou seja pela capacidade de sua mente, pois, uma mente é caracterizada por sua capacidade de ver, incluindo aí, logicamente todas as suas capacidade, inclusive a arte de jogar bola, e que este chamado dom, que na verdade é uma capacidade, pode ser ativada em qualquer indivíduo, e este entendimento é que deveria ser princípio norteador de todas as práticas dentro do futebol, e aí então, podemos instituir os cursos de formação para técnicos com a certeza de que realmente vão dominar a arte de conduzir o esporte como um todo.

  7. reinaldo olliveira disse:

    o que vc disse no ultimo paragrafo e a evolução do individuo como jogador comum se tornar um craque .sim e possivel aplicar essa filosofia em todas as categorias de base
    eu penso nessa filosofia todos os dias existem cenetenas de exercicios especificos p-ara se tornar um craque porem nunca treinado ainda

  8. INVICTUS ANONIMUS disse:

    Saber tomar no cu e ter muito dinheiro acumulado para pelo menos ter o nível I.

  9. João Vitor disse:

    Eu me chamo João Vitor Miranda Oliveira e eu não tenho o sonho da maioria das pessoas tenho quinze anos e meu sonho é ser treinador de futebol do Santos futebol clube meu clube do coração

  10. Vinicius disse:

    Essa abordagem foi interessante.
    Acredito que o caminho para uma evolução, crescimento e modernização no futebol brasileiro precisa-se tomar uma atitude de humildade. Reconhecer que estamos ultrapassados em comparação com a Europa, avaliar todo o trabalho e o processo que está sendo realizado atualmente e sentir-se incomodado com a situação posteriormente buscando mudanças, ou seja, aprender com quem está em ascensão futebolístico.
    Meu sonho é trabalhar no futebol como técnico, existem características de técnicos brasileiros que por partes é fundamental para meus estudos e formação, mas pretendo me inovar com técnicos de fora para buscar de certa forma um diferencial no mercado de trabalho.

  11. marcus vinicius disse:

    eles tem muito dinheiro mesmo né modernização não por isso q ultrapassa o brasil realidade e essa!

  12. marcus vinicius disse:

    nada de copia e sim inventar formas de jogar Simples e objetivas !

  13. maikon adriano da silva disse:

    Meu sonho Quero ver técinco uma vez minha Por isso eu vou bom isso.

    • HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

      Recentemente na mídia saiu uma polêmica entre o Renato Gaucho, técnico do grêmio, e o Antonio Carlos Zago, recentemente contratado pelo internacional, que pode ser visto no UOL. O Renato relativizando a questão de uma preparação mais teórica e aparentemente defendendo uma abordagem mais empírica, e o Zago, que fez recentemente uma incursão pela Europa fazendo cursos específicos de capacitação defendendo um estudo mais especializado para a carreira de treinador. Lendo o artigo ensaiamos um comentário que em síntese é mais ou menos o que segue: “Para quem tem uma inteligência inata para o futebol como Renato Gaucho, ótimo, mas ele com certeza teria muito a ganhar com uma preparação teórica, e talvez tivesse o dever de o fazer justamente para com sua inteligência ajudar a corrigir o que está errado neste nosso paradigma atual, quase tudo na verdade, pois para quem não tem esta inteligência pode procurar estudar nas melhores instituições e faculdades disponíveis, seja aqui ou na Europa (questionamos se o europeu pode nos ensinar alguma coisa nesta área, já que quem é melhor neste esporte ainda é o brasileiro) que não irá agregar quase nada à sua competência já que o conhecimento sem a inteligência para geri-la é inócua se não for fonte de grandes prejuízos para os atletas sob sua responsabilidade. O Antonio Carlos Zago fez muito bem em aliar sua inteligência, que é atestada pela sua longa e vitoriosa carreira, com uma preparação teórica mais aprofundada o que o faz muito mais capacitado do que muita gente boa por aí, o que demonstra que ele é muito responsável, pois, quer com isto oferecer o melhor de sua parte para os que trabalharem com ele. A questão é como ter acesso a esta inteligência, o que ninguém ou qualquer universidade e ou instituição sabe como fazer, pois elas só se preocupam com a questão do conhecimento, mas, como podemos agora entender, só ele, o conhecimento, não é e nunca foi suficiente por si só para qualquer área e muito menos no futebol. A solução para ativar esta inteligência está na nossa sugestão para o futebol brasileiros feita nos comentários anteriores. obrigado

  14. fsil161 disse:

    Resultados. São o que importa na carreira de um jogador e ainda mais na carreira de um treinador. Pode estudar o que for. Mas vai precisar ganhar jogos se quiser crescer. Não ha outro caminho.

    • HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

      O técnico para ganhar jogos tem que entender de futebol, óbvio, mas, existe alguém nesta condição? Para ilustrar isto, vejamos a metáfora da lagarta e da borboleta: o desenvolvimento natural da lagarta é se transformar (denominada de metamorfose), em borboleta, pois, assim ela como que dará um salto em termos de capacidade, entre elas, voar, e com isto aumentar suas chances de sobrevivência, etc. No caso do futebol, os diversos profissionais que atuam nesta área específica, o que fazem? Só se preocupam em formar super-lagartas em vez de craques, entre outros inúmeros equívocos do atual paradigma, pois não entendem quase nada da nova psicologia que está surgindo neste momento, cuja publicação acima vem divulgar, então, montam um time com 11 super-lagartas, mas, basta uma borboleta, ou seja, um craque, ou qualquer diferencial, por minimo e fortuito que seja, para demolir todos os seus esforços, empenhos, estratégias, etc., ou seja, a atual preparação dos técnicos, seja brasileiro ou europeu, não importa, é deficiente em todos os seus aspectos, não tenham dúvida, tendo em conta o que sugere o exemplo da borboleta acima, pois, em tese os técnicos estão usando um instrumento tanto cognoscitivo, quanto teórico, vamos dizer, que é insuficiente de uma maneira absurda para a sua tarefa, que é dirigir um time com toda as complexidades que isto representa.

  15. Rodrigo disse:

    alguem pode me indicar algum curso online e com certificado, que seja de capacitação para treinador de futebol ?
    Obrigado

  16. Everton Cordeiro disse:

    Boa tarde a todos , tenho um grande interessa em me tornar um treinador de futebol , tenho visto sobre os cursos pela internet , mais também, não sei se os que são oferecidos, são de qualidade e se depois de fazer o curso vou ter alguma chance em algum clube, então se alguém já fez algum desses cursos , e esta trabalhando na área, se puder passar alguma informação seria muito importante , pois ai teríamos um “norte” a seguir. Obrigado

  17. HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

    Everton eu acho que para começar você tem que se espelhar no exemplo de um Guardiola, de um Mourinho, pois, em primeiro lugar demonstraram possuir um certo amor pelo futebol (amor é essencial para tudo), pois, desde de crianças, acho, já optaram pelo futebol, jogaram profissionalmente até, ou seja, adquiriram o máximo de experiência dentro de campo, dos bastidores de um time de futebol, do inter-relacionamento dentro do mundo esportivo, não esquecendo de adquirir um aporte teórico substantivo sobre a função, penso eu que até acadêmica (não conheço em detalhe a vida dos dois treinadores acima, eu estou supondo isto, porque na Europa é exigido uma formação acadêmica, e acho que é o caso deles), e pessoas assim, que gostam do que fazem, são ávidos em buscar conhecimento, e portanto, leem bastante, ou seja, tudo que cai em suas mãos, ou seja, quem quer ser técnico não pode ter preguiça, o que destoa um pouco de nossa cultura, pois, achamos que uma preparação mediana é suficiente, porque se você não se preparar de forma séria, os desafios e a responsabilidade que são enormes não vão contemporizar com você, porque o mundo do futebol é bem cruel no que tange aos treinadores, porque eles vivem de resultados e para isto eles têm que administrar no mínimo 22 atletas com um nível psicológico bem precário, o que não é fácil, mas, na minha visão o que o sistema acadêmico como um todo oferece, mesmo que você acrescente uma formação empírica, isto ainda em nosso entendimento não é suficiente, justamente porque todo este cabedal teórico atual está embasado em equívocos epistemológicos substanciais, como você pode ter visto em comentários anteriores, o que torna qualquer preparação nos moldes que eles são ofertados nos dias de hoje, insuficiente de um forma absurda para exercer a função de treinador. Um só detalhe, e não mais, pode fazer você entender o que estamos afirmando acima: sem inteligência, não adianta você obter qualquer quantidade de conhecimento, porque sem inteligência você não vai saber usar este mesmo conhecimento, e inteligência não é uma coisa inata, pois, você têm que fazer um trabalho para que ela surja, justo, porque inteligência dada de graça não faz de você um individuo inteligente, talvez sim um robô, porque ai você vai agir de forma correta sempre, sem nem mesmo possibilidade de errar, e se você não tem possibilidade de errar, isto não é inteligência, entende? E qual a escola que sabe como dar condições para que o indivíduo ative esta inteligência em si próprio? Nenhuma não é, mas, acho que se você prestou atenção aos comentários anteriores, tal coisa já não é segredo para você, não? Abraços.

    • Everton Cordeiro disse:

      Hélio, realmente você tem razão em dizer que temos que nos espelhar em um Gardiola ou um Mourinho, mas infelizmente não tive a oportunidade de poder ser um jogador de futebol, sonhava com isso sim , creio que a metade dos brasileiros sonham com isso, mas infelizmente sempre morei em cidade pequena (embora isso não seja uma desculpa) e também não tinha o talento necessários , ou talvez até tivesse, não sei , mais a minha paixão pelo futebol é vidente, e o sonho também, mais para isso, tenho que ter um início, e realmente , a vida de treinador aqui no Brasil é bem difícil , e o que manda são os resultados, será mesmo que apenas um conhecimento acadêmico não seja o suficiente para engrenar no mundo do futebol ? Creio que não, pois aqui no Brasil mesmo, temos exemplos de treinadores que nunca foram jogadores de futebol, e que são treinadores hoje, creio que a pratica leva a perfeição, e a perfeição se leva a mais conhecimento, quando se pratica aquilo que aprende, acaba montando a sua própria forma de trabalho, creio que a inteligência do indivíduo não seja uma coisa robótica, e sim formas de se adaptar as mais diversas situações do cotidiano, seja ela em qualquer área, com erros e acertos , mais porque não aprender com os próprios acertos? Melhorar aquilo que já está bom? Quem sabe seja isso que esteja faltando para o nosso futebol. Abraços

  18. HÉLIO CEZAR TEODORO disse:

    Olha Everton longe de te desestimular com o texto acima, eu só quis dizer para você procurar se preparar da melhor forma possível, buscando ou não uma formação acadêmica e a maior quantidade de experiência possível, mas, tendo consciência das limitações tanto de uma quanto de outra em virtude dos equívocos do atual paradigma em que elas estão baseadas (o exemplo do Guardiola e do Mourinho, foi só para mostrar a você que o interesse e o amor pelo futebol é essencial, porque a pessoa que gosta de algo mergulha fundo no seu objeto de interesse, e é isto o que vai lhe dar a capacidade necessária), mas, o que realmente faz a diferença é a inteligência, e a inteligência como foi minha intenção demonstrar, é necessário e possível de ser ativada (nós achamos que o ser humano atual seja inteligente, pois, confundimos habilidade e capacidade com inteligência, mas, como ela tem que ser ativada por um ato nosso, e nunca nos ensinaram isto, praticamente todos nós carecemos desta inteligência, com raras exceções, que bem pode ser os craques, pois, somente o conhecimento é insuficiente pra lidar com as complexidades do ser humano, representado pelo atleta), e longe de dizer que você não a tenha ainda, porque só pelo fato de você fazer perguntas, buscar compreensão e ter amor pelo esporte em si, isto tudo é indício de uma pessoa inteligente, que com certeza você é, e isto é um começo e tanto, agora se você puder se aprofundar nos problemas que cercam o mundo do futebol, pois, é vendo a realidade como ela é, tomando consciência da sua possível desordem, das insuficiência, dos equívocos, do caos, da ignorância, da irracionalidade que impera neste meio, e que o livro acima bem pode auxiliá-lo nesta empreitada, que infelizmente acontece, é que esta tua inteligência vai engendrar a ação que pode fazer de você um grande treinador. O remédio está dentro do próprio mal, entende? Por isto que o craque é craque, sua genialidade está em que ele sabe olhar os problemas de frente, evitando as fugas e tudo o que impeça sua percepção direta dos desafios, e então, os próprios desafios dão a força, a inteligência e a ação apropriada para enfrentá-los, e lógico que com toda a arte possível. Então faça como o craque encare a escuridão para ter a luz, pois é preciso atravessar o deserto para chegar à terra prometida, e todo este itinerário que temos que percorrer a obra citada acima pode ajudá-lo a palmilhar para que você possa sentir por si próprio, ver com os próprios olhos o que é, o que é real neste mundo dos esportes, e não o que deveria-ser (tal coisa vai ser melhor entendida no próprio texto livro em referência), o que é essencial, repetindo, pois, as qualidades e capacidades que você vai precisar você tem que extrair de dentro do próprio problema, que infelizmente o futebol também é e como acontece com todas as áreas da atividade humana, ele também não escapa. Espero com isto ter esclarecido um pouco mais a questão. Abraços.

  19. Adriano Rodrigues disse:

    Quero fazer o curso de futebol

  20. Douglas disse:

    Eu tenho 21 anos de idade e gosto muito do cargo de treinador de futebol mas acho que eu nunca vou ser um técnico ?

  21. Abner Halcsik disse:

    Gostei deste curso, muitas informações necessárias.
    Caso haja interessados, estou disponível para a atuação de Treinador de Futebol, Tanto em Elenco Principal tanto em
    Categorias de Base.
    Abs à todos.

  22. Erik disse:

    O meu sonho é minha tornar técnico de futebol mais e bastante difícil encontrar alguém para mim ajuda com essas informações. Obrigado universidade do futebol eu acho que vou minha formar em educação física e logo em seguida buscar um curso na CBF

  23. Davidson Henrique disse:

    Primeiro passo é conhecer é trabalhar nos bastidores em um clube de futebol profissional ,aí vc vai ter ideia como funciona está área. A busca por resultado é absurda. Tem que conhecer em primeira lugar Vc,pra ver se consegui viver sobre pressão diária.

  24. Dionata disse:

    Por:Dionata Alexander Ramos.
    posso dizer que é meu único sonho, virar técnico de futebol, poder levanta a taça junto ao meu time poder disputar diversas competições e poder vibrar com as emoções que nossos torcedores passam..

  25. kaique dantas da silva disse:

    MEU SONHO É SER TREINADOR COMEÇAR POR UM TIME PEQUENO E COLOCAR ESSE TIME PARA BRIGAR TITULOS E SE TORNAR GRANDE CLUBE BRASILEIRO, UMA EQUIPE QUE EU TENHO MUITO DESEJO DE TREINAR É O SANTOS QUERO COLOCAR DE NOVO O SANTOS COMO O MAIOR DA AMERICA E DEPOIS PARTICIPAR DE UMA CHAMPIONS POR QUALQUER CLUBE EUROPEU

  26. Rubens disse:

    Estou começando agora. Do 0. Pra se tornar técnico. Preciso fazer Educação Física em bacharelado ou licenciatura? Alguém me ajuda.

Deixe uma resposta