Colunas

05/12/2017

Reina o camarote

Antes espaço de influência de dirigentes, o camarote possui importante papel no relacionamento e experiência proporcionada a segmentos de torcedores

Outrora relacionado a um vínculo muito próximo com “oligarcas” do futebol, as áreas mais exclusivas e com melhor campo de visão dos estádios têm deixado esta imagem – retrógrada – de lado para serem espaços – ainda exclusivos – de relacionamento, experiência, retenção e fidelização de clientes. Ou melhor, torcedores, mas clientes também, que consomem um produto esportivo e que possuem condições de ter uma experiência “de camarote”.

Por isso, este tipo de área tem se voltado muito mais para fazer relacionamentos. Utilizados pelo próprio clube, empresas ou particulares, conseguem receber muitos convidados que entram em contato direto com os produtos da organização esportiva: o jogo, o estádio e a loja oficial, por exemplo. Ademais, são mergulhados em uma atmosfera de entretenimento e são alvo das ativações de patrocínio que buscam proporcionar o contato direto com as marcas mas, sobretudo, uma experiência agradável.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

 

Além disso, é uma vital fonte de receitas para a manutenção do estádio. O plano anual de um camarote é caro. Entretanto o potencial de viabilização de negócios – através de relacionamentos interpessoais e organizacionais – também é alto, o que viabiliza a sua venda. Para vendê-lo, é preciso também ter bons produtos (bons jogos, bons eventos). O estádio Azteca, na Cidade do México, possui 4 anéis de arquibancadas. Os dois maiores são o superior e o inferior. Os dois do meio, menores, são divididos em mais de uma centena de camarotes, todos eles vendidos com uma margem de lucro bastante confortável para a operacionalização não apenas destes espaços, mas de todo o estádio.

O futebol do Brasil aos poucos volta-se mais para o mercado. Portanto, buscam outras opções de receita para formar equipes mais competitivas e produzir bons espetáculos esportivos. Como consequência, conseguem atrair mais público para os estádios e mais clientes para os camarotes. Dentro de um trabalho de relacionamento das marcas e experiência proporcionada ao torcedor (cliente), o camarote possui este importante papel.

Comentários

Deixe uma resposta

Sobre a Universidade do Futebol

A Universidade do Futebol é uma instituição criada em 2003 que estuda, pesquisa, produz, divulga e propõe mudanças nas diferentes áreas e setores relacionados ao universo do futebol, enquanto atividade econômica e importante manifestação de nosso patrimônio cultural, nas dimensões socioeducativas e no alto rendimento, e que conquistou o reconhecimento e credibilidade da comunidade do futebol.

Posts Recentes

Cursos em Destaque

© 2016 Universidade do Futebol. Todos os direitos reservados.