Universidade do Futebol

Colunas

21/04/2018

#RespeitaOProfessor: o caso Carille visto por outra perspectiva

Todo mundo tem necessidade de um professor na vida. A torcida corinthiana, representada pela população brasileira, também tem

Os próximos três textos desta coluna semanal terão como tema o professor/treinador.

Por que?

Porque ninguém passa pela vida sem aprender, ninguém passa pela vida sem inspiração. Muitos de nós fomos inspirados por professores. E precisamos enxergar o futebol dentro de algo maior, a Educação.

Para isso, é preciso parar de pensar só em futebol e fazer uma simples reflexão sobre uma figura que está globalizada em todas as áreas, o Professor.

Quantas vezes você foi catapultado a patamares superiores de consciência por algum professor? Quantas vezes foi instigado a pensar para conseguir compreender um ponto de vista interessante de algum professor? Ou foi convencido por uma argumentação inteligente sobre determinado problema? Quantas vezes já viu no comportamento de algum professor um exemplo a seguir na sua própria vida?

Se reconheceu nessas reflexões/experiências da própria vida. Como podemos responder a seguinte pergunta:

Por que não respeitam o Professor? Difícil explicar, não é?

Para iniciar essa série, vou comentar um caso que aconteceu há semanas atrás, quando colocaram a seguinte mensagem no outdoor do estádio do Corinthians:

Imagem: Divulgação

 

Gostei da reação da torcida do Corinthians ao reconhecer no Carille “O Professor” e sentir empatia pela situação que ele passou. Não me importa se no caso o treinador do São Paulo estava bem ou mal intencionado. O que me importou foi ver os jogadores e a torcida respeitarem o profissional, o Professor Carille.

O Corinthians tem um histórico interessante quanto ao perfil de treinadores que teve nos últimos anos. Mano, Tite e Carille parecem, por algumas vezes, a antítese do estereótipo do próprio torcedor corinthiano. Os três são tranquilos, de fala mansa e persuasiva, bons gestores do ambiente, serenos nas decisões na maioria das vezes, possuem comportamentos que servem de exemplo para qualquer pessoa comum e, que além disso tudo, ensinam os jogadores a conviverem e não só a jogar bola.

Todo mundo tem necessidade de um professor, a torcida corinthiana também tem – os brasileiros de forma geral tem essa necessidade. A torcida corinthiana representa uma parte da sociedade, mais de 30 milhões. Parte destes torcedores têm necessidades comuns à população brasileira, neste caso, relacionada à Educação. Isso porque as oportunidades de educar-se ainda são privilégios no Brasil e não direitos de fácil acesso, como deveria ser, conforme a Constituição.

O ambiente do futebol é oportuno à Educação e ao desenvolvimento de pessoas – quando dirigidos por bons professores, evidentemente.

Nos últimos cinco anos, ouvi alguns relatos de jogadores que treinei com relação a vida escolar e penso que podem representar parcialmente a população brasileira. A maioria desses relatos em São José dos Campos, onde trabalhei com jogadores de futebol que participavam de um programa municipal de Esportes chamado atleta-cidadão, no qual o acompanhamento e o incentivo ao estudo eram parte da filosofia do programa.

Embora a cidade tenha indicadores de qualidade educacional (Ideb) acima da média do estado de São Paulo, percebi o ambiente escolar pouco atrativo para os jovens jogadores de futebol, segundo alguns relatos. No ensino público, com estruturas e organizações precárias. No ensino privado, muitas vezes com uma rotina massacrante e inibitória da autonomia e criatividade dos alunos, geralmente voltada para o sucesso em aprovações em provas e exames vestibulares.

Por essa razão comecei a entender o porque de tanta dedicação no sentido de ser esportista, jogador de futebol. E por essa razão comecei a me valorizar pelo caminho que escolhi.

Sendo assim, para mim há muito mais sentido na mensagem corinthiana. Todo mundo tem necessidade de um professor na vida. A torcida corinthiana, representada pela população brasileira, também tem. Os professores/treinadores de futebol, e de esportes em geral, são importantes para a transformação de pessoas. Principalmente por que eles contam com algo importante, que ainda não se perdeu, a vontade dos alunos de aprender. O futebol ainda é atrativo para eles e pode ser um importante ambiente de aprendizagem, do jogo e para a vida.

Portanto: #RespeitaOProfessor.

Comentários

Deixe uma resposta