Universidade do Futebol

Publif

08/02/2011

Seleção feminina de futebol do Haiti: considerações acerca dos treinamentos técnico e tático

Sabe-se da importância de fatores extrínsecos no tocante ao processo de treinamento de uma equipe de futebol. Diante disso, cabe sublinharmos a relevância da infraestrutura física, da equipe multidisciplinar e também de uma comissão técnica coesa e, principalmente, que atue respeitando uma sequência pedagógica e objetivando o cumprimento dos objetivos propostos durante a fase de planejamento.

Porém, o enfoque será dado ao processo de sistematização, elaboração e aplicação do treinamento técnico e tático da seleção feminina de futebol do Haiti, que esteve presente no Brasil por um período de 60 dias (setembro e outubro/2010) para efetuar vossa preparação para a Copa Ouro, competição organizada pela Concacaf em Cancún, no México, e que classificou as duas melhores equipes para a Copa do Mundo de futebol feminino que acontecerá na Alemanha neste ano.

Diante disso, abordaremos de forma sucinta e objetiva a metodologia utilizada para desenvolver os componentes técnicos e táticos da equipe feminina do Haiti. O treinamento foi desenvolvido de forma globalizada, a fim de otimizar a questão técnica dos gestos motores. É evidente que um repertório motor desenvolvido de forma adequada facilita a transferência para o elemento tático do jogo, visto que o maior repertório técnico influencia diretamente na tomada de decisão.

A opção pela forma globalizada de trabalho vem da ideia de que os elementos técnico-táticos estão diretamente ligados, assim a importância de desenvolver ambos em conjunto de forma ótima, rompendo com a teoria tradicional (analítico-reducionista).

Entretanto, não discutiremos os obstáculos estruturais e sociais que o país enfrenta há alguns anos e nem abriremos debate sobre os motivos dessa cultura motora não ter sido desenvolvida a contento. Aqui, delinearemos o estudo baseado nos fatos e dados observados através das intervenções práticas.

Para tanto, foram utilizados exercícios objetivando não apenas a correção do movimento e refinamento do gesto, mas a introdução do elemento técnico-tático cognitivo adaptando a equipe à forma globalizada de jogar. Logo, também fizemos uso de jogos adaptados e em espaço reduzido, criamos nos treinos inúmeras situações-problemas onde as atletas se depararam com momentos de tomada de decisão que se assemelham as situações inerentes ao jogo, haja vista que elas estão muito presentes nos aspectos cognitivos emocionais que estreitam as esferas do treino em forma de jogo e do jogo em si.

Sendo assim, buscamos desenvolver os princípios de ataque e defesa durante as sessões de treino e criamos jogos para execução das ações táticas específicas e situacionais, com a intenção de fornecer e nutrir o repertório motor e cognitivo das atletas a fim de equilibrar o desenvolvimento ofensivo e defensivo da equipe.

*Alexandre Pereira Lemos, graduando em Educação Física pela Universidade Federal de Viçosa é auxiliar técnico da seleção haitiana de futebol feminino.

Augusto Moura de Oliveira, professor Especialista em futebol, é técnico da seleção haitiana de futebol feminino.

Comentários

Deixe uma resposta