Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A mudança faz parte do universo do futebol! Não existem mais mares calmos e estáveis nos quais atletas podem navegar em paz sem passar por turbulências eventuais. Muitas vezes essas turbulências são nada mais do que processos de mudanças que permeiam a vida de todos os envolvidos no futebol e como sabemos que as mudanças muitas vezes causam medo, como o atleta pode lidar melhor com isso?

Se pensarmos a respeito, podemos compreender que viver, por si só, já é sinônimo de mudanças. Com os atletas, isso é mais do que comum do que imaginamos, pois são inúmeras as situações diferentes vivenciadas por eles. Muitas vezes essas mudanças podem acontecer por iniciativa do próprio atleta (conseguir jogar num grande clube do exterior por exemplo) ou por motivos externos (troca de treinador por exemplo).

Em ambos os casos, os atletas são impactados e eles precisam ser flexíveis e até mesmo buscar correções de rota!

Uma ferramenta valiosa para lidar com as mudanças é a “Matriz de Gestão de Mudança”, um exercício pertinente e eficaz para avaliarmos a necessidade de promover algumas mudanças de comportamento e com isso poder traçar uma estratégia eficiente para conseguir mudar. Aqui o processo de coaching se enquadra e foca-se plenamente na esfera concreta do "como fazer" a mudança.

Podemos exemplificar a utilização da ferramenta da seguinte forma:

Imagine o atleta com possuindo em sua mente uma META que deseja intensamente atingir, neste ponto ele faz reflexões e como resultado de algumas sessões de coaching ele consegue listar uma série de ações e comportamentos que o aproximam verdadeiramente de sua meta, as quais irá plotar na matriz juntamente com outras atividades que ele faz atualmente em sua vida cotidiana, conforme os seguintes critérios.

• No primeiro quadrante, tudo aquilo que ele FAZ e GOSTA, lhe dá prazer.

• No segundo quadrante, todas ações que ele FAZ mas NÃO GOSTA.

• No terceiro quadrante, tudo que ele NÃO FAZ mas que ele GOSTA.

• No quarto quadrante, finalmente, tudo aquilo que ele NÃO FAZ e NÃO GOSTA.

 Feito isso, acompanha-se o atleta para elaborar um plano de ação para endereçar as questões dos 4 quadrantes, conforme a seguir:

1. As ações do primeiro quadro são para manter estas atividades; elaborar planos de manutenção são muito importantes.

2. As ações do segundo quadro são para transformar ou eliminar essas atividades, de maneira que elas se tornem mais prazerosas ou eficientes.

3. As ações do terceiro quadro representam aquelas que ele necessita mas não faz. Neste ponto muitos atletas podem precisar de ajuda para realizar uma revisão sobre como administram seu tempo e rever as prioridades das ações do seu cotidiano.

4. Finalmente, no último quadro, verificar como algumas dessas atividades podem ser transformadas ou adaptadas para serem feitas também, de acordo com sua importância.

A utilização desta ferramenta é muito eficaz num processo de coaching e seus benefícios na prática são muito grandes para os atletas! Desta forma, podemos usar e abusar do uso da Matriz de Gestão de Mudança no meio do futebol.

Até a próxima!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais conteúdo valioso