Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O Brasil ainda não se acostumou à disputa por pontos corridos. 

Não vai dar nem tempo de respirar e, no próximo final de semana, em meio à ressaca de jogos decisivos pelos Estaduais, pela Copa do Brasil e pela Copa Libertadores, vamos entrar na disputa do Campeonato Brasileiro.

E, até agora, ninguém falou nada sobre o principal torneio do ano. Ou, se não for tão importante quanto uma Libertadores, pelo menos é o mais longo.

Sim, eu sei, é muito chato, no meio de uma grande festa, você ficar olhando para o que ainda nem começou. Mas o fato é que o Brasileirão é uma espécie de sol entre nuvens para o torcedor e, especialmente, para a imprensa no país todo.

No Rio e em São Paulo, os dois principais mercados do país, ganharam as duas maiores torcidas do Brasil, as de Flamengo e Corinthians. Títulos que reforçam a hegemonia estadual de ambos, mas que também mascaram muito a realidade que os dois terão pela frente.

Ambos têm elencos reduzidos, com poucos jogadores em condição de serem titulares. E isso, num campeonato que dura oito meses, é fatal. São muitos jogos, muitas viagens e, também, muitas lesões que se aproximam no torneio por pontos corridos. Se um time não estiver com jogadores à altura no banco de reservas, não conseguirá chegar tão longe.

Já se vão seis anos de Brasileirão em pontos corridos. Em 2009, entraremos na sétima edição de repetição da fórmula. E, no país todo, só podemos apontar São Paulo, Inter e Cruzeiro como times que poderão ver o torneio de maneira ensolarada.

Os três sabem que é importante disputar a competição em alto nível desde o começo. E que, para manter o nível, é preciso ter mais do que 11 jogadores e outros 15 reservas. É preciso ter cerca de 15 a 20 atletas em condições de ser titulares. E, ao longo da temporada, mesclar esses jogadores para não “estourar” o time. 

Desses três, Cruzeiro e Inter ganharam seus estaduais de maneira invicta. Mesmo jogando Libertadores e Copa do Brasil simultaneamente. Sinal de que seus rivais diretos não estão no mesmo nível. 

Nesta semana virão as sempre prováveis escolhas de favoritos ao título. Não duvide que muitos dos campeões estaduais entrarão nessa lista. Mas também não pense que os jornalistas estarão de olho na capacidade aeróbica desses times para um torneio que começa em maio e vai até dezembro…

Para interagir com o autor: erich@universidadedofutebol.com.br

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais conteúdo valioso