Universidade do Futebol

Colunas

06/05/2018

Tentando inverter um dos paradigmas do futebol brasileiro

Futebol: admirado por milhões, praticado por muitos, estudado por poucos

Estimados amigos,

Meu nome é Julian Tobar e foi com muita satisfação que aceitei o convite para escrever quinzenalmente para a Universidade do Futebol, uma instituição que tem se mostrado extremamente importante para o crescimento teórico e prático do futebol brasileiro, tão rico em conhecimento e, ao mesmo tempo tão carente de produção científico-literária.

Me somo a uma brilhante equipe de colaboradores, onde contribuirei da maneira que puder, a fim de tentar inverter um dos paradigmas brasileiros vigentes, detectado há muito tempo pela Universidade do Futebol – Futebol: admirado por milhões, praticado por muitos, estudado por poucos.

Para facilitar o entendimento e a interação com vocês leitores, nesta coluna sempre que for possível, complementarei os textos e seu embasamento teórico, com recursos de vídeo e imagens, gerando assim maior clareza nos conceitos apresentados.

Pretendo, através de uma perspectiva sistêmica, abordar diversos conteúdos, como:

Conceitos de Jogo:

– Aspectos Táticos (abordagem sobre conceitos táticos do jogo e/ou de um jogar, tanto a nível coletivo, intersetorial, setorial, grupal e individual);

– Análise de Equipes (abordagem dos padrões de jogo que caracterizam as equipes, tanto nacionais como internacionais);

– Análise de Jogo (análise de um jogo em específico, e como/por que as situações do jogo “x” se desenrolaram);

– Análise de Gols (como e por que os gols de determinado jogo ocorreram);

Metodologia de Treino:

Enfoque especial para a Periodização Tática, abordando tanto sua parte conceitual, como operacional.

“Extra”-campo:

Abordagem sobre gestão, liderança, etc.

Sou treinador de futebol (CBF Licença-B); graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP). Autor do livro La Periodización Táctica Es…(2018).

Ao longo da minha carreira, tive a oportunidade de trabalhar com todas as idades do futebol de formação (Sub 10, 11, 12, 13, 14, 15, 17 e 20) até o futebol profissional. Exerci predominantemente a função de treinador principal, embora também tenha sido auxiliar técnico e analista de desempenho. Os clubes que trabalhei foram o São José (RS), Grêmio, Cruzeiro (RS), União Frederiquense (RS), Fragata (RS), Boavista (Portugal) e Joinville (SC), sendo este o meu último trabalho, onde fui treinador da equipe Sub-17, Sub-20 e profissional (esta, interinamente).

Conto com a participação, questionamentos e críticas de vocês para que possamos juntos gerar debates interessantes e construtivos.

Comentários

Deixe uma resposta