Transmissões televisivas de eventos esportivos

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A televisão brasileira vem se interessando cada vez mais na transmissão de eventos esportivos. Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro de futebol, Libertadores da América e torneios internacionais de vôlei incitam a competição entre as redes. Porém, nos Estados Unidos, a competição entre as redes de tv é ainda mais acirrada, uma vez que existem várias modalidades esportivas com grande potencial de público.

Alguns eventos extrapolam as fronteiras e despertam os interesses da mídia internacional. São alvos de disputa de grandes redes e de empresas de marketing esportivo do mundo todo, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Embora o número de emissoras que dedicam sua programação aos esportes tenha crescido, assim como o número de emissoras convencionais que transmitem competições e eventos esportivos, isso não significa que estejam atrás de todo e qualquer evento esportivo que seja oferecido.

Os canais de tv são orientados por duas premissas: audiência e venda de espaços de patrocínio. Se o evento em questão pode render ganhos de audiência e venda de espaços comerciais, então haverá interesse.

Além de interesse, existem maneiras diferentes de contratos de veiculação de evento esportivo por redes de televisão. Quando o evento atrai massas, a emissora poderá cobrir os custos de produção e ainda pagar uma comissão pelos direitos de transmissão. Na segunda hipótese, o evento é atrativo, mas não a ponto de merecer pagamento por ele, assim a emissora só se responsabiliza pelos custos de produção e transmissão. Finalmente, existe a possibilidade mais desvantajosa para os produtores de eventos esportivos, que é aquela onde eles compram espaço na programação de uma emissora ou rede, produzem o programa e veiculam, podendo ganhar com comerciais no intervalo.

Em todos os casos, é importante lembrar que devem ser observados os contratos de patrocínio para verificar se há exclusividade.

Para o rádio, estas regras pouco valem. No futebol, por exemplo, o clube dos 13 ensaiou algumas tentativas para cobrar o direito de transmissão das emissoras radiofônicas, mas foi imediatamente criticado. Nos Estados Unidos, esta é uma prática comum.

Bibliografia

CARDIA, Wesley. Marketing e Patrocínio Esportivo. Editora Bookman, 2004.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Deixe o seu comentário

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais conteúdo valioso