Universidade do Futebol

Colunas

14/10/2019

Um “Bola da Vez” especial – Tiago Nunes

Quem viu o programa da ESPN, ainda que sem olhos e ouvidos muito apurados, teve orgulho da Escola Brasileira de Futebol tão bem representada que foi por um de seus protagonistas. A vez era do treinador athleticano Tiago Nunes no “Bola da Vez”! Um profissional que passou por todos ou quase todos os estágios da formação até chegar ao alto nível e deu show de competência na narração da sua trajetória.

Olha que eu, consciente do tamanho da minha ignorância, sei apreciar qualidade quando o assunto é futebol.

Tiago Nunes discorreu sobre várias nuances do futebol, brasileiro e internacional, do Athletico em particular e da vida, enfim foram minutos de muito prazer, orgulho e aprendizado.

O ambiente do futebol brasileiro – gestão, calendário, êxodo de jogadores, estrutura de clubes, politicagem, dentre outros – é tão perverso que não consegue refletir mais naturalmente a competência dos seus profissionais que andam ali “perdidos”. São sempre julgados pelos resultados de campo e responsabilizados com exclusividades absurdas pelas mazelas do nosso futebol.

Se tudo fosse “redondo” no futebol brasileiro escancararíamos muita coisa boa para o mercado interno e internacional. Não tenho dúvidas.

– Estar na final da Copa do Brasil não tinha nada de absurdo para mim, pois chegar onde estou hoje como profissional do futebol já é o maior dos absurdos!

Foram mais ou menos estas as palavras do Tiago, quando perguntado sobre os seus sentimentos nos momentos que precederam a final.

Genial! Humildade dos grandes homens!

Não quero citar outros nomes brasileiros para confirmar minha certeza sobre a qualidade profissional da nossa escola de futebol. Vou acabar cometendo injustiça me esquecendo deste ou daquele. Quero ficar apenas no Tiago Nunes, até porque ele levantou taças importantes nos últimos dois anos e quero dar destaque a isso.

O Athletico, no entanto, não pode passar despercebido neste contexto. Citado várias vezes pelo próprio treinador, o “gigante paranaense” é um grande exemplo de estrutura clubista com “gestão esportiva” de alto nível.

Este clube está repleto de excelentes profissionais respaldados por aparatos científicos de ponta que dão importante suporte ao ambiente que todo treinador construtor de jogo precisa e gostaria de ter.

O presidente Mário Celso Petraglia é um mestre na valorização da modernidade científica do esporte, dentre outras coisas. Se me perguntassem qual é o diferencial do presidente athleticano em relação aos seus pares brasileiros, eu responderia:

 Gere o seu Athletico com “foco no clube e no jogo da sua equipe”! Ou seja, o seu modelo de gestão está totalmente apontado para o futebol!

Que novidade!!

Muita novidade sim! Por incrível que pareça, nós, futebol brasileiro, estamos sem foco esportivo em nossas ideias e atitudes, desrespeitando às instituições, aos profissionais, às ciências do esporte, etc.  Além disso, tudo e todos são mais importantes que o clube há muitos anos. E nisso o Mário Celso Petraglia não fraqueja: O crescimento do seu Athletico é prioridade sempre!

Voltando à competência dos nossos treinadores, outra demonstração de amor e respeito ao futebol brasileiro foi quando Thiago Nunes respondeu sobre a possibilidade de trabalhar no Continente Europeu:

– Quero um dia morar na Europa sim, mas muito por questões culturais. Conhecer e viver costumes e línguas diferentes. Acho que isso será enriquecedor para mim e minha família.

Totalmente na contramão do que se espera de qualquer profissional brasileiro em várias áreas do mercado de trabalho. Até compreensível porque nosso país está marchando, marchando e saindo pouco do lugar, o que estimula o êxodo em geral.

Personificado no que estamos vendo do grande trabalho do Thiago Nunes e do Athletico e ao contrário do que está no imaginário dos brasileiros, o nosso futebol não precisa de treinadores “donos de clubes”, como o passado e parte do presente produziu. Acho até que isso sempre foi efeito colateral da ausência de gestão esportiva competente. Muitos treinadores se sobressaíram ao longo da história porque souberam e/ou tiveram que ocupar o vazio de gestão técnica que sempre teve e continua tendo em muitos clubes de futebol no Brasil.

Thiago Nunes tem sido o treinador do Athletico e o Athletico um clube de futebol que oferece as condições necessárias ao trabalho do Tiago Nunes. Posso dizer isso sem medo de errar porque também estive no Athletico por três ótimos anos da minha vida profissional.

Tiago Nunes é um técnico raiz do futebol brasileiro, já que passou por duas dezenas de clubes pequenos até chegar a este ponto. Obrigado por ter sido campeão brasileiro e sul-americano como foi. Você fortalece e se faz referência da nossa escola que tem vários outros profissionais do seu nível em condições de aparecer.

Que continuemos ganhando com o respaldo das competências aqui citadas e outras que irão surgir.

Que o “complexo vira-latas” não nos tire a visão dos verdadeiros problemas e virtudes do nosso futebol! Lições para todos nós que fazemos o futebol brasileiro.

Parabéns à ESPN que produziu momento especial na televisão brasileira.

Até a próxima!

Comentários

  1. Ezequil disse:

    Excelente reportagem, conteudo magnifico,, parabens a ESPN

Deixe uma resposta